Reter talentos na era digital: 7 movimentos estratégicos

Reter talentos na era digital

Na era dos Millennials, reter talentos na empresa é sempre um desafio. Certo?

Se você concordou com a afirmação a cima, melhor rever alguns conceitos (ou, talvez, todos).

Estamos vivendo uma era onde a tecnologia está empoderando pessoas, sejam elas consumidores ou colaboradores da sua empresa. A culpa não é dos Millennials, ela é toda sua, empregador.

A nova geração da força de trabalho global não está preocupada com salários altíssimos e uma vida confortável. Pelo contrário, é justamente do conforto que eles estão fugindo.

Os inconformados estão interessados em fazer parte de uma companhia que abrace suas crenças e propósitos em um plano de carreira, além de estimular sua constante evolução.

Quando deixamos os Millennials no passado e falamos de uma geração ainda mais nova, esse fato pode ser comprovado em números. Como abordamos anteriormente em nosso artigo sobre a geração Z, 32% desses jovens se esforça para o trabalho de seus sonhos em vez de simplesmente assumir um cargo qualquer – segundo um recente estudo da Fortune.

Independente se você gosta ou não delas, essas gerações são nativas digitais, o que significa que, muito provavelmente, serão profissionais Z ou Millennials que irão ajudar sua empresa a percorrer o caminho da Transformação Digital.

Hora de entender o que deve ser oferecido em troca:

7 passos para reter talentos na era digital

01. Cultura

Tudo sempre deve começar pela cultura.

Antes de pensar em reter talentos, pense em atrair: os profissionais da era da Transformação Digital só se sentirão atraídos pela sua empresa se ela for construída com base em uma cultura forte, que coloque o digital em primeiro lugar e empodere seus colaboradores para trabalharem em conjunto, terem voz ativa e se tornarem líderes.

Há algum tempo, a Bloomberg entrevistou Dan Ariely, especialista em comportamento econômico, sobre o que realmente motiva os funcionários de uma empresa. Dinheiro e benefício não fazem parte dessa lista, e sim algo que façam eles se sentirem melhores como pessoas.

O que queremos dizer é: ofereça uma cultura alinhada aos propósitos da nova geração e não tenha dor de cabeça um dia sequer pensando em alta rotatividade de funcionários.

O segundo passo aqui é entender que estes profissionais só saberão de tudo isso – antes de entrar em sua empresa – se esse código de conduta estiver claro para funcionários, consumidores e, principalmente, mercado.

02. Equilíbrio de expectativas

Mas faça tudo com os pés no chão.

Vender sua empresa como descolada e essa ser uma verdade apenas do setor de marketing pode fazer com que novos funcionários joguem sua força de vontade pela janela.

Aqui não estamos falando de estratégia, estamos falando de se posicionar no mercado com uma cultura digital forte que realmente possa ser vista de perto em cada setor da empresa.

Portanto, faça com que essa cultura seja entendida e vivenciada por todos, todos os dias.

03. Plano de carreira

Oferecer um plano de carreira logo de cara pode confirmar todas as expectativas que os novos funcionários viram em sua empresa quando estavam do lado de fora.

Definir as qualificações necessárias e responsabilidades de cada cargo não mostra apenas até onde o funcionário pode chegar, mas também qual caminho deve ser percorrido através do aprendizado e do crescimento – pessoal e profissional.

Lembre-se que, nesta nova era, reter talentos significa oferecer constante evolução.

04. Treinamento e Liderança

Podem parecer temas distintos, mas eles estão mais ligados do que você imagina.

Um estudo recente da Capgemini sobre a falta de profissionais com competências digitais mostrou que 55% dos colaboradores de grandes organizações ao redor do mundo trocaria de empresa caso a oferta envolvesse melhores condições de treinamento.

Preste atenção no que foi dito acima: as pessoas querem ter a oportunidade de aprender e, depois,  utilizar esse aprendizado para melhorar sua empresa. Parece um milagre, mas muitas organizações não dão o devido valor a isso.

Além de otimizar os resultados alcançados, um treinamento em diferentes vertentes digitais é capaz de capacitar funcionários early adopters a buscar novas soluções para dores da era digital, dividir aprendizados com diferentes equipes e liderar a Transformação Digital em uma empresa.

05. Mobilidade

Poderíamos resumir essa dica em poucas palavras: horários flexíveis e trabalho remoto.

A Transformação Digital trouxe consigo a possibilidade de desenvolver grande parte das funções empresariais, independente do setor, através da computação em nuvem. Ou seja, para fazer seu trabalho, só é necessário ter acesso à internet.

Este recurso abre as portas para que as empresas possam oferecer a seus funcionários uma rotina dos sonhos, trabalhando suas 8h diárias onde quiserem, de acordo com os horários que entenderem ser mais produtivos.

Pode parecer uma utopia, mas, dessa forma, é possível reter talentos, alinhar diferentes rotinas produtivas e alcançar resultados cada vez melhores.

06. Trabalho colaborativo

Troca de experiências profissionais e compartilhamento de informações, tanto sobre projetos quanto sobre hábitos de consumo dos clientes, podem fazer com que as barreiras entre setores se rompam e eles comecem a trabalhar em conjunto, visando as mesmas metas.

Isso não só ajuda a fazer os talentos sentirem-se motivados com projetos como é também uma conquista dos mais altos estágios da Transformação Digital em uma empresa.

Este, meus amigos, é o futuro das organizações na era digital.

07. Feedbacks contínuos

Partimos da premissa que, do CEO ao estagiário, ninguém tem bola de cristal.

Este item pode ser o alicerce para reter talentos, abraçando todos os outros citados acima. Afinal, o trabalho árduo pode nos cegar para diversas lacunas que estamos deixando abertas, seja na liderança, no entendimento da cultura ou no trabalho colaborativo.

Sejam positivos ou negativos, feedbacks constantes entre todos da equipe podem preencher essas lacunas muitas vezes invisíveis para nós, melhorando nossa visão como profissionais e seres humanos.

É importante entender que os feedbacks negativos são os mais importantes para evolução e, por isso, devem ser ouvidos e discutidos de forma organizada, para só então serem aceitos ou rebatidos.

Muitas vezes, é necessário definir datas para que todos possam sentar e passar seus feedbacks, em vez de explorá-los apenas em entregas e apresentações.

Isso faz com que a cultura da troca evolua, trazendo frutos para produtividade individual e coletiva, além de oferecer o sentimento de constante crescimento para os talentos da empresa.

Continue aprendendo

Head of Content no Portal Transformação Digital



Equipe TD