A era da assistência chegou para sua empresa também

Entenda como os assistentes virtuais estão criando a era da assistência e como sua empresa deve se adaptar a este novo momento

Estamos entrando na era da assistência, em que humanos cada vez mais serão apoiados por tecnologias de inteligência artificial. Você já deve ter percebido que seu smartphone conta com um assistente virtual não é mesmo?

Mesmo que você ainda não o utilize com frequência ou ainda nunca o tenha utilizado, em pouco tempo essa se tornará uma das principais formas de interações entre humanos e máquinas.

Neste artigo, vamos falar um pouco mais sobre o que é a era da assistência e o que esperar em questão de mudanças, para pessoas e marcas, com a ascensão dessa tecnologia em nossas vidas.

O que é a era da assistência

Antes mesmo de falar sobre a era da assistência, é preciso entender que nos trouxe até aqui e nos conduzirá até ela, pois foi o conjunto de diversos pontos que possibilitou o vislumbre desse futuro. Vamos lá:

Tendências que contribuíram para a era da assistência

Algumas tendências estão influenciando o surgimento de uma nova era hoje. A primeira delas é a popularização dos smartphones. Somente no Brasil, já ultrapassamos a marca de um dispositivo móvel por habitante.

Isso influência diretamente no número de pessoas navegando na rede e utilizando serviços da web em seu dia a dia, aumentando a demanda para os profissionais de marketing.

Outra tendência muito interessante é o aumento do número de pessoas que estão utilizando comandos por voz em seus dispositivos móveis, gerando mais investimentos nessa tecnologia.

A terceira tendência mostra que o público está gastando mais tempo em aplicativos do que em redes sociais, como podemos ver nesse estudo realizado pela Business Insider.

Desde 2015, as redes sociais perdem espaço para os aplicativos quando falamos no tempo gasto pelos usuários todos os dias, o que demonstra uma queda na eficiência da aplicação de marketing nesse canal.

Por último, podemos destacar o crescimento no número de dispositivos conectados por usuário. Uma vez que a tecnologia de Internet das Coisas (IoT) se popularizar, esse aumento será ainda maior.

A era da assistência

Essas quatro tendências juntas estão dando início a era da assistência, na qual as pessoas já não se conformam em ter várias experiências separadas nos vários canais que utilizam.

Os usuários hoje buscam por algo totalmente integrado, no qual hardware e software funcionem em perfeito equilíbrio para conceder rapidamente as respostas que procura dentro do contexto descrito.

Aqui, o conceito do smartphone evolui para uma espécie de assistente real, que não apenas reage a comandos específicos de seu usuário como “qual a previsão do tempo hoje?”, mas sim é capaz de interpretar comandos muito mais complexos, como “vou precisar de uma guarda-chuva hoje?”, analisando vários dados como localização, linguagem natural e previsão do tempo para dar uma resposta significativa.

Esse modelo não só é muito mais interessante para as pessoas comuns como tem muito mais aplicação no mundo empresarial, apoiando colaboradores a fazer um trabalho melhor.

No futuro (não tão distante), os assistentes poderão marcar e desmarcar compromissos, agendar reuniões, gerar lembretes de forma automática e até mesmo responder e-mails urgentes de forma natural e totalmente autônoma.

Uma das principais razões para isso é a evolução da Inteligência Artificial e Machine Learning, dando uma grande capacidade de compreensão e automação para as máquinas.

Como ela impacta os consumidores

Toda essa evolução que estamos presenciando é fruto, principalmente, de uma mudança causada pela transformação digital nos consumidores.

Existem basicamente três tipos de consumidores hoje. São eles:

  • curioso — busca novas informações o tempo todo e baseia suas decisões totalmente nas respostas encontradas;
  • exigente — demanda por uma experiência personalizada em todos os canais que busca por atendimento;
  • impaciente — aguarda que seja sempre atendido no exato instante em que faz contato, sem paciência para esperar nenhum minuto a mais.

Os assistentes virtuais têm grande potencial para facilitar a vida dos três tipos de comportamento, uma vez que podem auxiliar na realização de pesquisas, criar experiências personalizadas e apontar repostas prontas a qualquer questão.

Como as marcas são impactadas

Nessa nova era, as exigências sobre as empresas e marcas serão muito maiores. Com a entrada de nativos digitais no mercado consumidor, as expectativas estão mudando rapidamente. Veja algumas das características necessárias na era da assistência:

Seja visto

O cliente está cada vez mais imerso no mundo digital e as opções existentes são cada vez maiores. É preciso se destacar do restante dos players para chamar a atenção do público.

Apenas realizar uma filtragem simples e técnicas de segmentação já não é suficiente. É preciso investir em um conjunto complexo de ferramentas de marketing, apoiadas por dados e desenhadas para se integrar com assistentes virtuais, para garantir a visualização.

Seja esperto

Muitas empresas ainda não estão visualizando a mudança que está ocorrendo e com isso estão mantendo seus investimentos em estratégias que deixarão de ser efetivas no futuro.

As organizações que visualizarem as oportunidades existentes na era da assistência sairão na frente e poderão dominar o mercado rapidamente, uma vez que todas as outras ainda terão de se adaptar.

Seja rápido

Uma das características principais entre todos os comportamentos apresentados é a necessidade de respostas rápidas. Os novos consumidores da era da assistência não querem perder tempo buscando por respostas.

Eles querem a informação disponível de forma simples e rápida, o que exige uma reformulação nas plataformas das empresas, buscando oferecer uma experiência única voltada para UX e UI.

Como as marcas podem utilizar a era da assistência a seu favor

Por muito tempo, o marketing tratou os consumidores apenas como números em uma planilha, da qual eles buscavam o máximo de retorno possível. Mas os tempos mudaram e essa abordagem não tem mais espaço.

Os clientes hoje sabem o que significa se tornar um lead para as empresas, sabem do seu poder em mãos e estão cobrando das empresas as melhores experiências possíveis para estarem ali, naquela planilha. O marketing deve entender suas demandas e personalizar suas ações conforme as necessidades apresentadas.

Essa mudança de comportamento propicia uma oportunidade de negócios para as empresas que se adaptarem a esse novo modelo mais rápido. Para isso, o investimento em tecnologias de coleta e armazenamento de dados, como Big Data, se faz necessário.

Além disso, a Inteligência Artificial e o Aprendizado de Máquina também são fundamentais para liderar essa mudança de comportamento do marketing na busca por entender o novo consumidor.

Estamos entrando na era da assistência e o poder de adaptação das organizações vai ditar quem serão os novos players dominantes de um mercado em constante mutação.

Para continuar aprendendo, entenda mais à fundo como o reconhecimento de voz está impactando os negócios!