Por que a advocacia resiste a mudanças?

Por-que-a-advocacia-resiste-a-mudanças

Estamos presenciando diversas mudanças na advocacia, fruto da Transformação Digital e inserção das novas tecnologias na atividade. Porém, ao mesmo tempo, é visível a resistência por parte dos profissionais. Qual a causa disso?

Mesmo com o surgimento das LawTechs — empresas de tecnologia voltadas para o meio jurídico — a advocacia ainda resiste a mudanças e demora a se adaptar aos novos tempos.

Aqui neste artigo, vou repassar alguns pontos interessantes sobre o tema, falando um pouco sobre as consequências dessa inércia por parte dos escritórios de advocacia em relação à Transformação Digital.

Quem mexeu no meu café?

Você já ouviu falar no livro “Quem mexeu no meu queijo”? Essa publicação, de Spencer Johnson, tornou-se um clássico ao demonstrar como as pessoas lidam com mudanças e como nossas atitudes podem prejudicar ou auxiliar nesses casos.

Na história, existem duas duplas que disputam um queijo em um labirinto, dois ratos e dois duendes. Ao encontrar o alimento, as duplas agem de formas distintas: os ratos se mantêm alertas, pois sabem que o alimento é limitado e, com seus cérebros simples, tratam de se alimentar o mais rápido possível. Já os duendes acabam na zona de conforto e perdem a vontade de progredir, pois acreditam que seu prêmio já está garantido.

A narrativa é simples, mas retrata muito bem nossa reação diante das mudanças e facilidade de adaptação à rotina, sendo difícil abrir mão dela depois de algum tempo.

Esse é o contexto atual dos escritórios de advocacia que acabaram entrando em uma zona de conforto, como os pequenos homenzinhos do livro, acreditando que sua fonte de alimento nunca acabaria.

Contudo, a Transformação Digital não ficou limitada a alguns nichos de atuação no mercado. Ela chegou em todos os lugares, fazendo com que os clientes, que antes eram abundantes como o queijo, começassem a desaparecer.

O que aconteceu com os clientes?

Os nativos digitais — pessoas nascidas após a era digital, por volta de 1994 — já estão iniciando sua entrada na força consumidora, e mesmo aqueles que não são dessa época, já estão migrando para o mundo digital.

Boa parte dos escritórios de advocacia sobrevivem por meio da indicação de clientes, contudo, com a falta de clientes, como continuar crescendo e recebendo mais ações?

Tempos atrás, quando alguém necessitava de orientação jurídica, o caminho mais óbvio era ligar para seus amigos e conhecidos em busca de indicações de escritório que trabalhasse na área específica. Hoje, os clientes podem encontrar diversos advogados com apenas alguns cliques, mudando toda a forma como os escritórios devem se apresentar para atrair seu público e fideliza-lo.

Na verdade, os consumidores não estão desaparecendo do mercado, eles estão migrando para as plataformas digitais, e quanto mais rápido os escritórios perceberem essa mudança e agir para alcançá-las, maiores as chances de crescer e se destacar da concorrência.

De quem é a culpa?

Segundo uma pesquisa publicada pela Altman Weil em 2017, os escritórios de advocacia afirmam investir em inovação e novas tecnologias para melhorar seus serviços e oferecer um diferencial aos seus clientes. Porém, conforme outro estudo desenvolvido pela Thompson Hine e realizado com mais de 176 profissionais da área, menos de 4% dos advogados reconhecem mudanças reais na situação atual.

Advogados são naturalmente avessos às inovações, pois a advocacia é uma ciência altamente tradicional, não existindo muitas aberturas para mudanças em seus processos. Ou seja, podemos dizer que a culpa da falta de inovação não é da tecnologia ou das novas empresas, mas do próprio mercado e dos escritórios, que não possuem a cultura de investir em inovação e mantém um distanciamento e até mesmo uma desconfiança acerca das mudanças.

Com isso, a lacuna inovativa, ou gap, torna-se cada vez maior, uma vez que outras indústrias e ramos de atuação vêm investindo mais em tecnologia e obtendo ótimos resultados.

Com o passar do tempo, o problema da falta de inovação no setor jurídico começará a se tornar um empecilho para o crescimento e a manutenção das operações de muitos escritórios, que terão de fechar suas portas. Além disso, podemos esperar, no futuro, que algumas empresas e LawTechs ganhem destaque pelo uso da tecnologia e inovação e tomem o lugar de grandes escritórios tradicionais, que permaneceram parados no tempo.

Como buscar a Transformação Digital?

São vários caminhos que levam à Transformação Digital e algumas tecnologias são fundamentais para que se alcance significativas mudanças na advocacia. Entre elas podemos citar:

Alteração do modelo de entrega de serviços

É preciso aliar a criatividade e a tecnologia para criar modelos interativos de entrega de serviços por parte dos escritórios de advocacia para melhor servir seus clientes.

Entre os pontos buscados estão a rapidez, pronta resposta, melhor comunicação, entre outros pontos que possam auxiliar os clientes a compreender como suas demandas estão sendo supridas, melhorando, assim, a fidelização.

Utilização de tecnologia de apoio

Um escritório de advocacia é uma empresa como qualquer outra e enfrenta os mesmos desafios de gestão, que podem ser sanados por meio das aplicações de softwares de administração, como um ERP e CRM.

Automatização de serviços jurídicos

Já existem, hoje, soluções para facilitar o trabalho dos advogados dentro do escritório, otimizando processos e automatizando partes repetitivas de suas atividades.

Dessa forma, é possível padronizar determinadas partes do processo jurídico e manter um controle de qualidade acerca dos serviços prestados aos clientes.

Análise de dados

Coletar, analisar e monitorar dados se faz cada vez mais importante no mundo digital, afinal, esses processos podem ajudar o escritório a entender melhor seus consumidores e prestar um serviço de excelência.

Além disso, uma base de dados sólidas sobre causas passadas pode ajudar a criar novos argumentos em ações realizadas no futuro, melhorando ainda mais os resultados obtidos.

As mudanças na advocacia vieram para ficar e quanto mais rápido os escritórios se adaptarem a essa Transformação Digital, maiores as chances de alcançar o sucesso e despontar como líderes neste mercado.

CEO na AdvBox

Especialista em Estratégias de Marketing Jurídico Digital e Gestão Digital de Escritórios de Advocacia, construiu com sua equipe o primeiro escritório de advocacia totalmente online do Brasil. Atualmente é CEO da Koetz Advocacia e da Plataforma AdvBox.