7 Escolas de Marketing Jurídico Digital

Marketing Jurídico Digital

Atualmente, 7 escolas de marketing jurídico digital estão se destacando no mercado, visando objetivos diferentes e se posicionando de forma bem marcante para os escritórios e advogados que atuam nesta frente.

As diferenciações residem em combinações entre dois fatores: Objetivo do Marketing e Público Alvo Escolhido.

O Objetivo pode ser reforçar a marca jurídica ou o nome do advogado ou profissional de forma geral, ou ainda focar em determinado nicho de mercado. Escolhendo o nicho a ser focado, ele pode ser uma segmentação feita por área geográfica (cidade, região, estado ou país), por setor social ou profissional, ou por setor econômico.

É importante pensar em um planejamento estratégico a longo prazo para escolher a metodologia de trabalho e adequar o modelo de negócio ao plano de marketing.

1. Escritório Convencional em Transformação Digital

Vem crescendo vertiginosamente esse tipo de marketing jurídico que acaba sendo focado na população em geral e direcionado para a região geográfica próxima ao escritório.

Seja de maneira amadora ou ainda mais profissionalizada, o marketing digital focado em atingir a população local tem trazido resultados muito positivos para os escritórios convencionais, que atendem a população em geral ou determinadas áreas do Direito.

Não é caro nem difícil de fazer. Com ajuda do advogado na produção de conteúdo basta mais um profissional da área de marketing digital em tempo parcial para que os resultados sejam bons a médio prazo.

Mas é fundamental medir a chegada de clientes nesse período, fazendo a pergunta de como chegou ou lembrou do escritório quando precisou. Sem medir, 80% dos clientes novos que chegarem no escritório via marketing digital você não irá saber.

O importante desse tipo de marketing é aumentar sua autoridade sobre um assunto, tornando-o visível em sua na cidade – e, inclusive, conhecidos do advogado optam pelo escritório devido a ligação feita através de conteúdo publicado nas redes sociais de forma articulada, com foco e estrategicamente, e não com publicações desconexas e sem trazer sentido ao posicionamento do advogado.

Com o tempo, alguns profissionais ganham projeção nacional.

Algumas referências neste tipo de Marketing são:

Cristiane Morgado – Papo de Advogada
Goiânia/GO

Bruna Fernandes – Dom de Advogar
Balneário Camboriú

Daniele Lucena – Advocação
Palmas/TO

Mariana Thomé
Aquidauana/MS

Postar qualquer coisa a qualquer hora nas redes sociais é prejudicial à imagem do escritório e do advogado, pois expõe a desorganização da área de marketing e comercial, e que acaba passando a imagem de um escritório amador.

2. Escritório com segmentação por Profissão

Uma modalidade que vem crescendo é o marketing digital voltado para segmentos profissionais, o que antigamente era feito por intermédio de sindicatos e associações profissionais, a advocacia está conseguindo romper com essa intermediação muitas vezes viciada.

No Paraná, o escritório Anzoategui Advogados trabalha com foco em Direito Imobiliário Bancário, que está iniciando uma boa estratégia de prospecção e atendimento via digital.

No Rio Grande do Sul tem se destacado nesta estratégia a Banca Rodigheri, que atua com Direito Trabalhista Bancário e tem investido bem no seu site e marketing de relacionamento.

Escritórios que se posicionam assim, visam escolher uma PERSONA e fazer todos os tipos de ações voltadas para aquela profissão dentro do seu estado, e após 1 ou 2 anos atundo dessa forma, a referência e autoridade criada pelo escritório reverte em ações cada vez melhores e um respeito dentro da categoria profissional que eleva a moral da marca dentro daquela categoria.

É uma ótima forma de posicionamento e melhora imensamente a forma de estudo dos advogados do escritório, que gradualmente começam a trabalhar mais focados e se tornam especialistas nas dores jurídicas daquela profissão.

3. Inbound Marketing Especializado

Marketing de Conteúdo aliado com Inbound Marketing são ótimas opções para posicionar o seu escritório na internet e ampliar a visibilidade e propósito da marca, mas não apenas isso, também conseguir estabelecer relacionamento digital (não presencial) com os clientes, e fechar contratos de alto nível com clientes que seu escritório procura.

É uma adequação da Advocacia de Boutique para o digital, que tornando grande parte do atendimento como um atendimento “Self Service” permite que o escritório consiga ampliar o volume de clientes, melhorando ainda mais a experiência do cliente.

Demanda um investimento mais pesado em uma equipe interna de marketing, sendo composta de, pelo menos, 4 pessoas com conhecimento em Branding (posicionamento da marca), Marketing de Conteúdo, SEO, Social Media e Direção de Arte para Web, além de grande dedicação dos advogados para a produção de conteúdo rico.

O investimento é de longo prazo e dependendo da área do Direito escolhida pode demorar 2 anos para ingressar ações e 5 anos para ingressar receita, mas o retorno quando chega é volumoso, sem grande ampliação dos custos.

O maior exemplo deste modelo é da Koetz Advocacia, ao qual denominamos como Advocacia Web Service.

Outro exemplo interessante é do escritório Salem Advogados de São Paulo, que está com o projeto de Advocacia WebService para ações contra Planos de Saúde. A Doutora Flavia Penido, que utiliza esta estratégia para inovar no empreendedorismo, inclusive é pioneira em um escritório digital totalmente focado em Direito Digital. 

Pode ser aplicado para qualquer área do Direito e segmentado por qualquer tipo de profissão, mas tem o intuito de atingir todo público da internet no país ou até mesmo no mundo, sem barreiras geográficas.

4. Autoridade e Posicionamento para o Direito Corporativo

O Marketing Jurídico Digital está sendo utilizado fortemente em escritórios corporativos e na disputa por grandes empresas.

A construção de autoridade e produção de conteúdo nichado é essencial para conquistar os Executivos de Grandes Empresas, sendo que grandes escritórios como Siqueira Castro, Pinheiro Neto e Andrade Maia, por exemplo, vem investindo fortemente em marketing digital (e na transformação digital como um todo), e todas as áreas que atuam em Direito Corporativo.

E há direcionais fortes das diretorias destes escritórios para investir mais em Marketing Digital.

Entretanto, na Bahia, a Gabriela Macedo se destaca no ramo do Direito Corporativo com seu posicionamento em redes sociais, com o perfil Fale com a Advogada.

5. Influenciar Operadores do Direito

Inúmeros professores de concursos, pós graduação, ou até mesmo escritórios, que focam a Advocacia em Rede têm seu marketing digital direcionado para o mercado jurídico, visando trabalhar com produtos e serviços que atendam as dores dos advogados.

Atualmente, as mentorias em Marketing Jurídico estão em alta, como por exemplo do grande estrategista da ADVLider, Fernando Ricciardi que trabalha focado em ampliar conhecimentos de advogados, assim como Daniela Mascarenhas e Katia Macedo.

Outro posicionamento válido é da Advocacia In Foco, dos especialistas Ricardo Orsini e Thaiza Vitória.

Entretanto, é muito efetivo o marketing para correspondentes feitos pelo próprio escritório e advogado, especialmente para captar diligências mais robustas ou audiências mais complexas (e com maiores honorários) em geral.

Referências neste tipo de marketing:

Amaryllis Tissei – Direito Corporativo e Compliance
Erika Advogada Correspondente – Dia a Dia na Advocacia

6. Empresas de Serviços para o setor Jurídico

A AdvBox, por exemplo, é uma empresa de software de gestão de escritórios, que se posiciona como Plataforma Digital para Advocacia, pois almeja englobar diversos serviços que estão em sistemas separados e empresas separadas, em um sistema único.

A Verbo Jurídico é outra empresa que foca nesta modalidade.

Escritórios também podem trabalhar nesse sentido, quando optam pela Advocacia Terceirizada, seja atuando com parcerias fixas, seja para atuação como correspondentes.

Para nós, advogados, há inúmeras plataformas que oferecem espaço gratuito ou pago para este tipo de marketing pessoal ou de escritório, como por exemplo a JusBrasil, a Jurídico Certo ou a AjudaJus.

7. Publicidade e Atração

O Marketing de publicidade e atração visa uma expansão maior da marca para o público em geral, com produção de conteúdo genérico e abrangente, sem a delimitação de uma área do Direito ou de uma carreira jurídica, podendo ser lançada inclusive sobre estudantes e outros profissionais operadores do Direito.

Nesta escola, toda criatividade e imaginação são exteriorizadas, cabendo toda forma de posicionamento, desde que cada conteúdo seja adequado a rede social escolhida.

Expoentes desta estratégia são o Doutor Emiliano Paes Landim do site Empreender na Advocacia e a Doutora Sarah Ferreira da Repartição Jurídica.

É aconselhável também que se aborde todas as redes sociais possíveis, e se atraia seguidores em massa.

Esta é a melhor opção para tornar a marca e o profissional conhecido, mas talvez não seja a mais rentável e adequada para o escritório que seja especializado em alguma área do direito ou setor profissional e econômico, mas sem dúvida abre um leque de opções imensa para o escritório e o profissional.

Conclusão

O Marketing Jurídico Digital está se expandindo de forma avassaladora. 90% do mercado jurídico não percebeu isso ainda e está ficando para trás.

Nos próximos anos, muitos escritórios que atualmente estão bem estruturados e com uma receita relevante estarão falidos, e seus sócios/gerentes desempregados, sem saber sequer o que aconteceu com a prospecção de clientes.

A maioria dos exemplos citados acima são da nova geração de advogados, geração Y e pós geração Y, formados a menos de 10 anos – ou até mesmo menos de 5 anos.

Nossa dica: escolha a sua forma de se posicionar, adote uma escola (ou mais de uma) e esteja na web.

Se você está lendo este artigo e é um Diretor de grande banca jurídica, acorde!

Se é um advogado local com bons clientes e pretende atuar por mais uma ou duas décadas, acorde!

Agora, se você é da nova geração de advogados, mantenha-se motivado, estude Direito mas também as áreas da Administração. O mercado está favorável aos nativos digitais e, em poucos anos, a advocacia como é hoje fará parte dos livros de História do Direito ou de alguns artigos nossos, para as aulas de Gestão Digital de Escritórios que abordarão o passado.

Se ficou interessado, não deixe de ir na Imersão Digital da Advocacia dias 16 e 17 de Outubro em Floripa, pois no evento será ensinado tudo sobre cada plano de marketing jurídico digital e você irá adquirir um ano de estudos em apenas 2 dias.

 

CEO na AdvBox

Especialista em Estratégias de Marketing Jurídico Digital e Gestão Digital de Escritórios de Advocacia, construiu com sua equipe o primeiro escritório de advocacia totalmente online do Brasil. Atualmente é CEO da Koetz Advocacia e da Plataforma AdvBox.