Talvez no lugar de se perguntar para quem serve a geolocalização, o ideal fosse pensar em como cada empresa pode utilizá-la. No decorrer do texto, vai notar que ela tem um valor especial para as empresas de varejo.

Isso ocorre porque essas organizações podem usar a ferramenta de forma mais ativa, estimulando o cliente. Contudo, sempre que a forma como o seu público se movimentar for relevante, o recurso pode ser usado para entender o comportamento do consumidor.

Estamos falando de um mercado que, segundo estimativas, deve alcançar 16,34 bilhões de dólares até 2021. Por isso, as perspectivas são imensas se puder aplicá-la na sua inteligência de negócios.

O que é a geolocalização?

Geolocalização é o recurso que permite identificar a localização e a movimentação de um indivíduo, mais especificamente dos dispositivos utilizados por eles, como smartphones e computadores.

Assim, ela funciona com a identificação e o monitoramento desses dispositivos, que pode ser aprimorado com o cruzamento de dados gerados por cada um deles. Além disso, essas informações podem ser processadas em softwares de inteligência de mercado, combinando outras variáveis para auxiliar na tomada de decisões.

Para esclarecer melhor esse funcionamento, vamos agora conferir as tecnologias envolvidas.

Quais são as tecnologias envolvidas?

A coleta de dados de localização pode ser realizada com base em dispositivos como smartphones, tablets, laptops, computadores, smartwatches e os trackers de fitness (que monitoram distâncias e outros dados relativos a atividades físicas realizadas ao ar livre), pois usam GPS ou possuem um endereço de IP.

Além da localização dos aparelhos que usam GPS, a precisão é aprimorada cruzando os dados entre os dispositivos conectados na mesma região. Por isso, quanto maior a intensidade populacional em um determinado espaço, maior a exatidão da posição.

Também é possível fazer o levantamento baseado em um servidor. Além de usar o sistema de rastreamento do IP do equipamento, também é possível melhorar a precisão colhendo dados de formulários que solicitam o CEP, por exemplo. Esse serviço é oferecido na forma de assinatura.

A atividade de check-in nas redes sociais também pode ser monitorada e, além da localização, fornecer informações sobre preferências e o nível de engajamento do cliente com outras marcas e atividades. Além disso, também é possível utilizar os Beacons.

Como a geolocalização afeta a estratégia dos negócios?

Chegamos à parte mais interessante. A primeira observação importante é que a geolocalização tem dois aspectos principais, um positivo e outro negativo. As informações possíveis de serem levantadas ajudam a melhorar a experiência de compra e tornam mais efetivas as ações promocionais.

De outro lado, as pessoas não se sentem completamente à vontade com relação ao aspecto invasivo dessa estratégia. Obviamente, o receio de ser monitorado é maior ou menor, dependendo do perfil de público, mas ele deve ser considerado. Contudo, a solicitação de permissão permite evitar o problema e transmite confiança na sua política de privacidade.

O recurso também permite a emissão de um sinal em uma determinada região, criando um perímetro virtual. Desse modo, é possível saber quando um potencial cliente ingressa nesse espaço com seu dispositivo móvel e enviar alertas, mensagens ou promoções específicas.

Além disso, saber onde o seu cliente está e por onde caminha permite identificar os pontos de venda com maior potencial. Apesar de existirem vários métodos para fazer esse levantamento, nenhum deles oferece dados tão precisos e detalhados.

A informação sobre localização é tão importante que alguns serviços são totalmente baseados na geolocalização. Os de chamada de taxi são o primeiro exemplo que vem à memória, mas até mesmo os aplicativos de relacionamento usam o recurso.

Do mesmo modo, estratégias de omnichannel, em que um usuário efetua a compra online e retira o produto em lojas físicas, podem oferecer ajuda na localização do estabelecimento e até avisar o cliente se seguiu pelo caminho errado.

Observar o comportamento no interior de uma loja também gera informações importantes que permitem aplicar ações diversas com melhores resultados. Todos esses detalhes juntos formam um material rico que contribui para a inteligência estratégica.

Até mesmo modelos de negócios podem ser reformulados com base neles. Assim, a influência na estratégia se reflete tanto na sua definição quanto nas aplicações de ações necessárias para sua execução.

Como deve ser aplicada ao marketing?

A geolocalização serve o marketing quando o negócio, os clientes ou a concorrência têm um local fixo. Assim, mesmo que sua empresa só trabalhe com vendas online, pode monitorar a aproximação do seu público com as empresas rivais. Para entender o contexto em que ela pode ser aplicada ao marketing, vamos começar com um dado.

De acordo com o relatório de marketing anual da Hubspot, 91% dos entrevistados acham anúncios mais intrusivos do que dois anos atrás e 70% não gostam de anúncios para celular. Os 419 milhões de anúncios bloqueados em aplicativos custaram US$ 22 bilhões em receita perdida para as empresas apenas em 2015. No entanto, 77% dos clientes admitem que preferem filtrar os anúncios bloqueados.

Por que esse dado é importante? A geolocalização permite enviar promoções e avisos em situações em que eles são recebidos mais naturalmente e são úteis. Imagine, por exemplo, você receber uma mensagem da padaria informando que está saindo um pão quentinho quando você está próximo do local e do horário que costuma comprar pão.

Do mesmo modo, saber que uma campanha de descontos está no último dia quando está próximo do ponto de venda ou sobre um evento de seu interesse na região são ações que podem ser consideradas mais facilmente como a prestação de um serviço adicional e não um incômodo.

A geolocalização ajuda, inclusive, na identificação de fraudes. Imagine o caso de uma loja virtual em que um cliente solicita uma entrega em local diferente da localização identificada. Ele pode estar comprando de sua residência e solicitando a entrega no local de trabalho, mas se ele estiver muito distante do destino final do produto, pode significar que há algo errado.

O acompanhamento também permite monitorar a fidelidade dos seus clientes observando quando eles visitam a concorrência, além de segmentar suas ações por localização geográfica. Isso porque as necessidades mudam de região para região dependendo do serviço ou produto que oferece.

Aliás, agora que já sabe para quem serve a geolocalização, o melhor exercício que você pode fazer é usar as informações desta postagem para refletir sobre como ela pode ajudar no seu caso específico. Para isso, relacione as situações em que gostaria de saber onde o seu cliente está e os momentos em que ele está mais aberto para receber um contato, mensagem, alerta ou promoção.

Esdras Moreira

CEO na Introduce Formado em Redes de Computadores, com especializações em Gestão de Pessoas, Coaching e MBA em Marketing. É co-founder da introduceti.com.br, que conduz o crescimento dos negócios através de estratégias e tecnologias. Além disso é investidor no projeto Globin.it, Middas e Grupo 3Minds.

tecnologiaTecnologia
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Entenda as expectativas do consumidor na Era Digital
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Saúde Sistema médico na nuvem: como funciona e quais suas vantagens?
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]