O contexto atual é de incertezas. Uma pandemia tomou proporções inesperadas e o isolamento social passou a ser a medida preventiva mais recomendada para evitar a disseminação do novo coronavírus, o que impactou diversos segmentos — especialmente o setor de produção de eventos.

Incontáveis ações já programadas foram canceladas. Outras tantas, suspensas. O universo digital passou a ser uma alternativa para que muitas empresas mantivessem as suas operações e as lives ganharam popularidade diante de um público, agora, hiperconectado. 

No entanto, atualmente, já é possível observar uma cautelosa retomada das atividades, que devem observar medidas restritivas para conter a propagação da Covid-19. 

Diante desse cenário atípico, porém, como ficarão os eventos em 2021? Neste conteúdo, trataremos de algumas tendências que ganharão cada vez mais espaço nessa indústria. Confira!

5 tendências de eventos em 2021:

1. Limitação do número de participantes em ações presenciais

Entre os cuidados a serem adotados pelo setor na produção de eventos em 2021, certamente, a limitação da quantidade de pessoas presentes é um dos mais importantes. 

Nesse sentido, é fundamental observar as regras do local de realização, já que há algumas variações quanto ao número máximo de participantes permitido em cada localidade.

Além disso, em razão das flutuações no número de casos, é comum que disposições a esse respeito sejam constantemente alteradas — daí a importância de checar sempre as normas mais atuais. 

Entretanto, algumas práticas são invariáveis, como aquelas relativas à higienização, à utilização obrigatória de máscaras e ao distanciamento mínimo (de cerca de dois metros) entre os indivíduos.

2. Aposta em novos formatos para os eventos em 2021

Como mencionado na introdução, o meio digital, diante das circunstâncias, passou a representar uma oportunidade de enfrentar a crise sem uma queda significativa das receitas. A necessidade de se reinventar e de se adaptar para evitar a suspensão ou o encerramento das atividades acelerou a transição.

As ações online, então, ganharam força e as famosas lives, certamente, representaram um marco desse movimento. Essa transformação, entretanto, acabou por abrir espaço para outra tendência que, provavelmente, permanecerá em alta no próximo ano: os eventos híbridos.

A união dos dois universos

Basicamente, nessa modalidade, ocorre o que podemos chamar de “integração” entre os ambientes digital e físico, de modo que o real se misture ao virtual. 

Com a possibilidade de utilizar diversos recursos tecnológicos, o modelo, se bem aplicado, pode garantir um maior engajamento dos participantes.

Esse resultado se dá em razão da busca da conexão com o público, priorizando a interatividade. A ideia é fazer com que as pessoas, mesmo a distância, se sintam parte da ação e próximas umas das outras.

Nesse formato, o evento acontece virtual e presencialmente ao mesmo tempo. Geralmente, ele é transmitido ao vivo por meio de uma plataforma, que, em alguns casos, ainda permitirá o acesso ao material mesmo quando concluída a transmissão.

 

 

3. Priorização do engajamento emocional

No tópico acima, falamos acerca da relação entre o engajamento do público e a sensação de proximidade das demais pessoas. Mas por que esses elementos estão ligados e de que forma impactam a performance do evento?

Bem, o homem — aqui, em sentido amplo — é um ser social. Por si só, essa característica já revela a importância do toque humano e a relevância de impactar as emoções do público. Por essa razão, mais uma vez, há que se falar no quão imprescindível é a experiência híbrida. 

Embora o presencial permaneça atrativo e até preponderante sobre os demais formatos, é possível (e necessário), no âmbito das ações digitais, priorizar o engajamento emocional. Visando a esse propósito, inclusive, surgiu a metodologia denominada Emotional Tracking.

O método tem como objetivo justamente combinar uma sequência de práticas para sensibilizar positivamente a audiência, a fim de garantir uma conexão simultânea de até três sentidos. Essa aposta inovadora e imersiva ainda promove outras vantagens, como a elevação da retenção.

4. Adoção de um protocolo próprio de segurança

Independentemente do cenário, os protocolos de segurança sempre constituíram uma parte fundamental da gestão de eventos. Entretanto, o novo coronavírus e a falta de conhecimentos mais concretos acerca da Covid-19 representam complicadores.

Além disso, embora haja práticas de prevenção reforçadas a todo momento pelos órgãos de saúde, é possível notar uma queda na adesão a essas medidas, o que torna o contexto ainda mais preocupante. 

Por essa razão, mais do que definir protocolos de segurança, adote ações próprias para garantir o cumprimento.

Basicamente, o que dizemos é: garanta a real aplicação das regras. Certifique-se de que as recomendações de segurança são observadas, de que o distanciamento social é mantido e de que os participantes fazem o uso correto da máscara, por exemplo.

5. Diversificação das parcerias

Um ponto que também merece ser abordado ao falarmos da produção de eventos em 2021 é, sem dúvida, a diversificação de parcerias. Isso porque o ano de 2020, incontestavelmente, trouxe inúmeras mudanças inesperadas, porém nem tudo girou em torno da pandemia.

Falhas no sistema capitalista foram expostas e desigualdades e fragilidades na organização econômica se tornaram ainda mais explícitas. Diante disso, foi iniciado um movimento mundial, embora ainda tímido, em que os setores buscam se alinhar em prol de mudanças positivas e a indústria de eventos deve fazer parte disso.

O apoio aos pequenos negócios pode manter portas abertas

Sendo assim, busque diversificar os seus parceiros na organização das ações, seja em âmbito presencial, seja no espaço digital, buscando abrir espaço para pequenos negócios ou para empreendimentos que voltam os seus esforços à inclusão e à diversidade cultural, por exemplo. Especialmente em um contexto tão delicado como o atual, iniciativas de apoio podem fazer toda a diferença e evitar o encerramento de empresas de menor porte.

Como você viu, embora muitos segmentos estejam no estágio de retomada das atividades, ainda há muitas incertezas quando se trata do que esperar da produção de eventos em 2021. 

No entanto, diante desse cenário, uma boa alternativa é fazer da tecnologia uma aliada, pensando de forma criativa e sendo receptivo às tendências inovadoras, que, certamente, permanecerão durante os próximos anos.

Este post sobre as tendências na indústria de eventos para o próximo ano foi útil? Que tal, então, continuar a visita ao nosso portal e entender como a transformação digital pode contribuir para reinventar experiências nesse setor? Leia agora!

marketingMarketing
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Marketing Patrocínio para eventos online: como gerar valor?
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Marketing Tudo que você precisa saber para fazer um evento online com a TD
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]