Como preparar sua equipe de marketing para utilizar dados

Entenda como preparar sua equipe de marketing para utilizar dados e alcançar melhores resultados na Transformação Digital

Um dos atuais desafios de qualquer empresas é preparar a equipe de marketing para utilizar dados, uma vez que muitos desses profissionais nunca tiveram contato com as ferramentas de análise de informações.

Contudo, com as mudanças que estamos enfrentando em plena era digital, as habilidades de análise não são apenas um plus e, sim, uma exigência para sobreviver no mercado atual.

Neste artigo, vou dar algumas diretrizes necessárias para preparar a sua equipe de marketing para atuar utilizando a grande massa de dados disponível atualmente. Vamos lá?

As mudanças de mindset

Um dos principais desafios e, com certeza, o mais difícil, é a mudança de mindset da equipe. Os profissionais de marketing têm uma forma peculiar de trabalhar, afinal, sua atuação é pautada pela criatividade e, com isso, o uso de dados pode parecer uma forma de engessar o processo criativo.

Contudo, é preciso demonstrar aos colaboradores que o uso de dados não é, em hipótese nenhuma, um controle sobre a criatividade e, sim, um direcionamento, visando a criação de um microuniverso no qual as campanhas conseguirão atingir resultados cada vez melhores.

Essa mudança de mindset não é algo rápido e simples, que pode ser realizado em poucos dias. É preciso dar tempo ao tempo, afinal, busca-se dar à “artistas” as aptidões necessárias de “cientistas”.

O principal ponto que auxiliará nessa mudança é o resultado obtido por meio de novas práticas, pois demonstrará a todos os incrédulos que a análise de dados pode realmente trazer uma melhor forma de trabalhar o marketing e as campanhas da empresa.

É preciso que os profissionais entendam que a publicidade sem dados é um tiro no escuro, que pode ou não trazer resultados, enquanto que a análise traz um maior retorno e precisão para qualquer ação realizada.

Em uma era onde tudo, além de digital, é mensurável, tiros no escuro não serão mais permitidos.

Esse conhecimento será o principal ponto de mudança. A criatividade sempre foi e continua sendo o principal motor da publicidade e a tecnologia não veio para substituí-la e, sim, para melhorar o seu aproveitamento.

Leitura complementar: O desafio do marketing em aliar Big Data e criatividade

As mudanças de funções

Para fazer uso dos dados dentro no marketing e preparar a sua equipe para lidar com essa nova realidade, são necessárias algumas mudanças estratégicas.

Isso pode gerar um grande impacto dentro da empresa, sendo que novos processos podem ser criados, e outros, extintos, de acordo com a nova realidade. Além disso, a maneira como a criação é realizada pode ser alterada totalmente.

Entre as possibilidades existentes, estão:

  • capacitação da gerência e colaboradores por meio de insights e análises de dados;
  • acompanhamento do ROI de cada ação de marketing em tempo real e de forma eficiente, permitindo uma mudança de direção, caso necessário;
  • identificação de personas adequadas a cada campanha com base em análises completas de perfil do público-alvo da empresa;
  • aprimoramento de produtos e serviços de acordo com a análise individual da experiência dos clientes;
  • construção de abordagens e cenários ideais de acordo com os dados coletados acerca de cada um dos indivíduos;
  • construção de abordagens eficientes de acordo com as características de cada público-alvo;
  • personalização de campanhas com o objetivo de gerar o máximo de valor agregado possível e alavancar a marca no mercado;
  • abordagem muito mais eficiente, destacando os pontos fortes de produtos e serviços de acordo com as necessidades de cada cliente;
  • otimização do orçamento de marketing e gastos com a veiculação de peças publicitárias, garantindo maior retorno.

As habilidades necessárias

Pode-se pensar que, para se trabalhar com dados, seja preciso ter uma formação específica na área, o que inviabilizaria a adaptação dos profissionais de marketing. No entanto, essa não é uma visão correta.

Na verdade, basta o desenvolvimento de alguns pontos para que seus colaboradores já estejam prontos para agir com base em informações e não apenas em puro instinto.

Entre as habilidades necessárias, estão:

Experimentação

Testes e experimentações fazem parte da rotina com a aplicação de análise de dados, uma vez que as informações nos cedem apenas a direção e não a certeza de alguma coisa.

Sendo assim, os profissionais de marketing não devem ter medo de experimentar, e as ferramentas de análise de dados poderão auxiliá-los na medição de seus resultados de forma rápida.

Sendo assim, é simples verificar se as atitudes tomadas e decisões realizadas estão trazendo retorno ou não, corrigindo a direção do barco conforme a necessidade.

Estatística

Uma mente estatística é outra habilidade necessária para se trabalhar com dados, uma vez que é preciso verificar números a todo momento e entender o que cada um deles revela.

Muitas vezes, ela poderá nos mostrar algo que vai contra aquilo que acreditamos e ela sempre estará certa, pois se trata de um padrão baseado em informações. Por conta disso, os profissionais de marketing deverão se despir de suas vaidades e acatar aquilo que é demonstrado pelos números.

Muitas vezes, confiar em seu instinto pode ser uma boa ideia, mas, no fim, o que importa é o retorno e, nisso, a estatística é muito melhor, rendendo um ROI garantido sobre cada ação de marketing.

Técnica

A terceira habilidade necessária é a técnica, capacidade de lidar com as novas ferramentas e tecnologias que estão surgindo no marketing e auxiliando os profissionais a tomarem melhores decisões.

Não basta apenas ter uma grande massa de dados à disposição, é preciso saber utilizar a tecnologia para manipular essas informações e extrair aquilo que pode fazer a diferença na atuação da equipe.

O desenvolvimento dessa habilidade se dá por meio de um treinamento, no qual os profissionais de marketing devem manter a mente aberta e esforçar-se para absorver todo o conhecimento possível.

As boas práticas

Para finalizar nosso texto sobre o uso de dados no marketing, listei algumas boas práticas que podem auxiliar os profissionais nessa transição:

  • insigths valem mais que dados: de nada adianta uma grande massa de informações se os profissionais não conseguem aproveitar suas possibilidades;
  • disponibilidade é fundamental: tão importante quanto manter os dados é poder acessá-los de qualquer lugar e horário;
  • fontes de dados precisam ser confiáveis: a sua estratégia de dados deve se pautar em boas fontes de informações, e a precisão pode fazer a diferença;
  • garantia da integridade: coletar, armazenar e processar dados é um trabalho árduo e, para que ele tenha resultado, é preciso garantir a integridade das informações.

Espero que, agora, você tenha compreendido como preparar equipe de marketing para utilizar dados, sendo que, em um mundo cada vez mais conectado, essa é uma exigência cada vez mais comum.

Continue aprendendo, confira como utilizar o Data Driven em sua empresa!

CEO na upLexis

Engenheiro de software formado pela POLI-USP com pós em Administração pela FGV-SP. É Sócio e CEO da upLexis Tecnologia com perfil empreendedor, visionário, responsável pela definição e execução estratégica da empresa, investimentos e inovações em produtos e serviços, e estudioso do tema Big Data, Inteligência Artificial e Data Driven Companies.