Preparando os dados do consumidor para o marketing

shutterstock_606840716

Não basta apenas coletar os dados do consumidor na internet para que possam ser utilizados com eficiência dentro do setor de marketing, é preciso processá-los de maneira correta, além de saber o que é realmente relevante.

Todos os dias são geradas milhões e milhões de informações na rede e saber como coletar e preparar os dados necessários para o marketing pode fazer a diferença entre o fracasso e o sucesso de algumas ações.

Neste artigo, meu objetivo é trazer um guia simples para ajudar você a lidar com essa grande massa de dados e criar campanhas cada vez melhores ao lidar de forma correta com as informações disponíveis. Acompanhe:

Os dados do consumidor

Sempre que seu cliente interage com a sua marca, seja em seu site ou redes sociais, é possível coletar informações acerca de sua navegação, que podem ser úteis para o setor de marketing.

Podemos chamar esse conjunto de informações como “dados comportamentais”, “ciclo de vida do cliente”, “dados analíticos”, ou qualquer outra denominação que possa se encaixar.

Contudo, o objetivo é um só: entender o comportamento do cliente, quais seus interesses, motivações e demandas, e trabalhar essas informações para poder vender uma solução para ele.

No entanto, não basta apenas sair coletando informações como um louco e salvando tudo em um banco de dados gigantesco, pois isso não é uma estratégia. É preciso saber o que se busca e reunir apenas os dados relevantes.

Benefícios da coleta de dados do consumidor

Analisar dados pode trazer uma série de vantagens para a empresa, que estará mais preparada para vender ao conhecer o seu cliente. Entre os principais benefícios, podemos destacar:

Segmentação de público

Segundo dados da Abeerden, 70% das empresas que capturam dados em seus vários canais de atendimento, buscam a segmentação e personalização, criando jornadas de compra com base nas informações coletadas.

Alinhamento com o cliente

Por meio dos dados, sua empresa pode alinhar suas ações aos interesses do cliente, afinal, é por conta de sua demanda que ele adquirirá ou não suas soluções.

Outra pesquisa da Abeerden afirma que empresas que alinham suas ações ao interesses dos clientes recebem 14,6% mais menções positivas nas redes sociais.

Maximiza os resultados do marketing

A coleta de dados e a sua análise permitem uma ação personalizada do marketing, que voltará seus esforços para clientes que mantenham um perfil ideal e, com isso, melhorará seus resultados.

Pontos importantes na coleta de dados do consumidor

Alguns erros durante a coleta de dados podem prejudicar uma estratégia baseada em informações. Abaixo, você confere alguns deles.

Termos e condições

Alguns profissionais são avessos a colocar em suas páginas termos e condições que informem ao consumidor que seus dados serão utilizados para determinadas atividades, por conta de criar uma experiência ruim. Contudo, isso é um mal necessário.

Responsabilidade com os clientes

Ninguém gosta de ver seus dados sendo utilizados de forma indiscriminada ou, até mesmo, sendo comercializados sem o seu consentimento. Ao lidar com as informações dos consumidores, é preciso manter a responsabilidade.

Leis e regulamentações

No Brasil, tivemos recentemente a promulgação da Lei de Proteção de Dados, Lei 13.709, que entrará em vigor no ano que vem e foi criada com o intuito de garantir a idoneidade na hora de lidar com dados de clientes.

Principais dados do consumidor para coleta

Uma estratégia de sucesso deve se apoiar em dados, mas nem toda informação é relevante. O primeiro passo para preparar os dados para o marketing é escolher o que é importante para o seu negócio.

Grandes coletas de dados podem gerar vários insigths, mas é preciso lembrar também que isso aumenta a complexidade do ambiente a ser gerido e demanda mais tempo de análise. Estes são alguns dos principais dados.

  • nome e contato — permite uma abordagem direta e comunicação personalizada;
  • histórico de transações — indica quais são as preferências de um cliente, quanto ele gasta e quando costuma comprar;
  • histórico de mensagens — um registro com todos os contatos realizados pode auxiliar a refrescar a memória sobre as expectativas do cliente;
  • perfil — informações como renda, idade, hobbies, gênero e outras podem ser úteis para a hipersegmentação;
  • hábitos de gasto — compras por impulso, preferência por promoções e outras informações que auxiliam a criar uma estratégia de abordagem;
  • aniversário — oportunidade para envio de mensagens personalizadas e criação de descontos especiais;
  • pagamento — fundamental para a saúde do fluxo de caixa.

A coleta de dados do consumidor

O mais importante é evitar assediar demais os consumidores em busca de seus dados, uma vez em que há chances deles se dispersarem ou desconfiarem da conduta da sua empresa.

Afinal, existem várias estratégias de coletas de dados que podem funcionar para a sua marca, fazendo com que você alcance um bom volume de informações relevantes em pouco tempo.

Seu site e vendas

Informações básicas como nome, contato e o histórico de transações podem ser obtidas por meio de seu site e das vendas que você já fez a algum cliente, bastando coletá-las e armazená-las de forma estruturada.

No caso de uma venda online, você pode pedir mais alguns dados simples, como data de nascimento, de forma opcional, uma tática eficaz e nem um pouco invasiva.

Pesquisa

Alguns clientes são propensos a responder pesquisas de forma anônima. Para melhorar os resultados dessa estratégia, ofereça um desconto ou brinde para os consumidores que a responderem.

Esse modelo pode ser apoiado até mesmo por sorteios nas redes sociais, incentivando o compartilhamento da pesquisa, que será respondida por ainda mais pessoas.

Dados de navegação

Dentro de seu site, é possível criar rotinas para rastrear os dados de navegação do usuário, tempo dispendido em cada página, cliques e outras informações que serão interessantes para entender quais as suas preferências.

Coletar e analisar os dados do consumidor não é mais apenas algo opcional para as marcas. Em um ambiente digital, no qual clientes se tornam cada vez mais exigentes, entender suas demandas é fundamental para sobreviver.

Para continuar aprendendo, entenda como utilizar os dados do consumidor de forma criativa!

CEO na upLexis

Engenheiro de software formado pela POLI-USP com pós em Administração pela FGV-SP. É Sócio e CEO da upLexis Tecnologia com perfil empreendedor, visionário, responsável pela definição e execução estratégica da empresa, investimentos e inovações em produtos e serviços, e estudioso do tema Big Data, Inteligência Artificial e Data Driven Companies.