Como a falta de talentos digitais afeta sua inovação

Como a falta de talentos digitais afeta sua inovação

Devido ao fato de a tecnologia fazer parte de quase todos os aspectos de nossas vidas, empresas e governos estão desenvolvendo rapidamente suas ações para apoiar as demandas dos consumidores com experiência digital. Tecnologias como IoT (Internet das Coisas), IA (Inteligência Artificial) e computação em nuvem estão evoluindo velozmente à medida que são implantadas em mais organizações.

Como consequência da agilidade do digital, os profissionais não conseguem acompanhar as mudanças, gestores não conseguem treinar suas equipes e a demanda por talentos digitais capacitados só cresce.

A competição por esses profissionais nunca foi tão forte, e é disso que falarei neste artigo!

Qual o cenário atual da falta de talentos e habilidades digitais dentro das empresas?

A falta de habilidades digitais está dificultando a transformação digital em 54% das organizações. E essa lacuna está aumentando: uma pesquisa do Instituto Korn Ferry prevê que as indústrias de tecnologia, mídia e telecomunicações, até 2020, provavelmente estarão com déficit 1,1 milhão de trabalhadores qualificados em todo o mundo.

No ano de 2030, esse número poderá chegar a 4,3 milhões. Devido ao fato de empresas de todos os setores já buscarem grandes talentos digitais, isso já se tornou um grande problema. Na totalidade, prevê-se que essa escassez custe às indústrias de tecnologia trilhões de dólares em receita não realizada.

Em 2018, as empresas de tecnologia enfrentaram uma grande concorrência por talentos digitais com setores tradicionais, englobando manufatura, saúde, seguros, bancos, varejo, energia e serviços públicos. Em curto prazo, haverá um aumento do prêmio relacionado à aquisição de tal talento, à medida que a oferta atinja a recuperação.

Esses setores continuarão a investir de maneira maciça para reestruturar modelos de negócios, possibilitar iniciativas de transformação digital e também evoluir para que sua força de trabalho seja ágil e capaz de prosperar em um ambiente de intervenção digital e maximização das expectativas dos clientes.

Já no cenário brasileiro, as organizações estão buscando profissionais qualificados para trabalhar em projetos de transformação digital — e estão tendo que procurar alternativas criativas para conseguir esses talentos.

A indústria de tecnologia no Brasil cria mais de 1,3 milhão de empregos e, segundo a Softex (Associação para a Promoção da Excelência do Software Brasileiro), são necessárias mais de 48.000 pessoas para preencher vagas disponíveis, mas as empresas não conseguem encontrar profissionais suficientes.

Segundo essa Associação, até 2020, caso seja fracassada a tentativa de fechar essa lacuna, perdas podem ocorrer para as empresas locais no valor de R$ 115 bilhões. As organizações estão adotando novas estratégias a fim de encontrar experiência em áreas como desenvolvimento de produtos, experiência do usuário e dados.

Algumas dessas estratégias são: intensificar sua presença em eventos do setor e fortalecer os laços com as universidades.

Quais as maneiras de superar esse desafio nos próximos anos?

Inúmeras abordagens estão sendo empregadas, de crowdsourcing a parcerias estratégicas, a fim de ajudar com educadores em treinamentos avançados e currículos mais personalizados. As organizações também estão investindo em programas aceleradores ou realizando aquisições estratégicas para complementar seus requisitos de talentos digitais.

Será fundamental o aprendizado constante — orientado tanto por organizações quanto por trabalhadores — para o futuro do trabalho. Dessa forma, expandindo-se muito além da definição tradicional de aprendizado e desenvolvimento.

Investir nos funcionários com iniciativas de treinamento e estimular uma cultura de aprendizado frequente ajudará sua empresa a se manter à frente da crescente falta de talentos digitais. É necessário concentrar-se em aprimoramento de colaboradores novos e atuais, pois a chance de encontrar talentos com as habilidades de que você precisa só aumentará.

Existem ações que as empresas podem realizar para atrair mais funcionários qualificados, como investir em capacitação, oferecer oportunidades, valorizar seus talentos, além de criar ambientes de trabalho que recompensem o aprendizado dos trabalhadores e a inclusão do talento digital como consideração primária da liderança de talentos.

A qualificação individual dos colaboradores pode ser uma maneira de evitar a escassez de competências, além da aprendizagem ser encorajada no local de trabalho.

Quais são os talentos digitais importantes para o sucesso das empresas na era da Transformação Digital?

Enquanto a concorrência para competir no mercado digital continua, todas as organizações estão se tornando empresas de tecnologia. Como resultado, estamos mudando rapidamente para uma economia em que todos os colaboradores precisam de uma variedade de habilidades modernas.

Ter conhecimentos de tecnologia e dados é parte integrante da descrição do cargo para todos, desde contratações de nível básico até a diretoria executiva da empresa. A automação também elimina os caminhos tradicionais para o sucesso, porém a tecnologia que a possibilita está criando oportunidades de carreira totalmente novas. Um ótimo exemplo é a ciência de dados como campo de carreira, sendo nova na última década.

Na verdade, a engenharia de dados, pesquisa quantitativa e análise avançada são como especializações-chave para as empresas compreenderem e treinarem capacidades para impulsionarem totalmente o potencial da ciência de dados.

Aprimorar as habilidades dos funcionários em áreas como marketing digital, engenharia de software, experiência do usuário e ciência de dados não apenas assegura que as empresas tenham essas habilidades essenciais, mas também oferece caminhos contínuos de oportunidade para os colaboradores avançarem em suas carreiras.

Entender o talento necessário se inicia com a compreensão das capacidades que as empresas digitais precisam. Mesmo que esses produtos variem de acordo com o mercado e a localização, os negócios digitais bem-sucedidos partilham algumas características em comum: operam rapidamente, estão focados no cliente, podem criar ideias proprietárias e são responsivos e ágeis. 

Devido ao ritmo acelerado das mudanças, as organizações precisarão cada vez mais se envolver com campos de atuação mais amplos, englobando uma série de empresas e tecnologias, bem como posicionar-se para tirar vantagem da IA (inteligência artificial) emergente e da IoT (Internet das Coisas).

Por fim, apesar de a tecnologia não ser o único componente de uma transformação digital bem-sucedida, ela é um dos mais complexos e importantes dentro de uma organização. Porém, devido a essa constante renovação tecnológica, existe uma crescente falta de talentos digitais disponíveis. Por este motivo, é preciso investir em treinamentos e aprimoramento constante dos colaboradores e não deixar brechas para que a concorrência tenha um local de trabalho mais atrativo que o seu.

CEO na Introduce

Formado em Redes de Computadores, com especializações em Gestão de Pessoas, Coaching e MBA em Marketing. É co-founder da introduceti.com.br, que conduz o crescimento dos negócios através de estratégias e tecnologias. Além disso é investidor no projeto Globin.it, Middas e Grupo 3Minds.