As 5 cidades mais inteligentes do mundo

Conheça as 5 cidades mais inteligentes do mundo

O conceito de cidades inteligentes vem se popularizando desde o começo dos anos de 2010. Boa parte dessa popularização se dá pela viabilização de tecnologias e componentes que se comunicam pela internet, fenômeno conhecido como Internet das Coisas (IoT).

Cidade inteligente é uma forma de descrever lugares capazes de usar os avanços tecnológicos e uso de dados para produzir decisões de governança e entregar serviços melhores à população. Essas cidades vêm transformando a maneira como as pessoas trabalham, se divertem e até aprendem no seu dia a dia.

Em 2015 os Estados Unidos anunciaram a iniciativa nacional de cidades inteligentes. Segundo eles, para uma cidade ser inteligente é preciso usar a tecnologia em uma série de setores, como construções, infraestrutura, transporte, instalações elétricas e aquíferas, serviços de coleta, governança, saúde, educação e na própria população.

Logo em seguida a Organização Internacional de Normalização, conhecida popularmente como ISO, lançou a ISO/TS37151 que define medidas de avaliação de performance de uma cidade inteligente. Nessa ISO são destacadas 14 necessidades básicas vistas de 3 perspectivas diferentes: população, gestores e ambiente. Métricas como acessibilidade, uso eficaz de recursos, conservação de patrimônio, eficiência econômica, entre outras serão avaliadas em uma cidade inteligente.

Pensando nisso, este post falará sobre as cidades mais inteligentes do mundo, abordando as 5 principais e as características que as fazem presentes na lista. Confira!

1. Singapura

Considerada uma das cidades mais ricas do mundo, Singapura é oficialmente uma cidade-estado. Seu primeiro-ministro, Lee Hsien, tem o propósito de transformar a nação no primeiro país inteligente do mundo. O programa, que é chamado de Smart Nation, transforma a cidade, que já é capaz de detectar fumantes em locais não autorizados e se a população descarta o lixo em locais corretos.

Outro destaque da cidade é a alta velocidade de internet em todos os locais, sendo considerada uma das mais velozes do mundo. Isso propicia a comunicação de objetos inteligentes que executam projetos de planejamento urbano, monitoram a qualidade do ecossistema e também a produção de energia limpa. A cidade também conta com alta participação da população, que colabora com a rede inteligente.

2. Barcelona, na Espanha

Barcelona, que antes tinha um dos tráfegos mais intensos do mundo, viu essa realidade ser alterada devido ao uso de dispositivos inteligentes. Indo além, a cidade implementou também serviços de estacionamento e iluminação pública inteligente. A poluição sonora e do ar também é constantemente monitorada, aumentando a qualidade de vida nos espaços públicos.

A cidade também é conhecida pelas suas plataformas inteligentes: CityOS e Sentilo. A primeira é uma plataforma de análise de dados da cidade que coleta informações dos mais diferentes setores para a tomada de decisões.

A segunda é uma plataforma urbana de sensores e foi disponibilizada na internet em formato open-source no site GitHub. Isto permite com que outras cidades e até pesquisadores usem e contribuam com ela.

3. São Francisco, nos Estados Unidos

O novo polo tecnológico dos Estados Unidos, superando cidades famosas como Palo Alto ou São José, a cidade de São Francisco possui a maior concentração de construções certificadas com LEED do mundo. Essa certificação garante que as construções sejam sustentáveis e benéficas ao meio ambiente.

São Francisco também vem incentivando iniciativas públicas de transporte com o objetivo de reduzir o alto tráfego gerado pelo boom econômico. Soluções, como transporte compartilhado e veículos autônomos, vêm se tornando parte do cotidiano da cidade que, além de combater o tráfego, ajuda no combate a emissão de gases poluentes.

A cidade também conta com as plataformas SF Enviroment e SF Park. A primeira é um web site com ferramentas e dicas para colaborar com o meio ambiente e reduzir o desperdício de matéria e energia. A segunda é uma iniciativa que opera desde 2011 responsável por monitorar as vagas de estacionamento da cidade, medindo a taxa de ocupação delas e gerenciando a criação de novas vagas.

4. Copenhague, na Dinamarca

Os países nórdicos são conhecidos pelo alto índice de desenvolvimento humano e conquistas que vão além de seu tempo. A Dinamarca é tida como um dos países mais felizes para se viver e a sua capital, Copenhague, também é conhecida como sendo uma das mais inteligentes.

O país que investiu em educação, moradia e transporte como direito universal de seus cidadãos, colhe agora o fruto de contar com mão de obra qualificada para investir em transformação digital.

Copenhague desenvolveu um sistema inovador, baseado em troca de informação. Nesse sistema os usuários podem comprar, vender ou trocar dados. Essa troca de informação leva à colaboração entre setores público e privado que desenvolvem soluções em prol da comunidade.

A cidade conta com o apoio da população que trocou carros por bicicletas. A ideia é atingir emissão neutra de carbono até 2025. As ruas que já ficam sem trânsito, possuem um sistema que desliga os semáforos para economizar energia. A iluminação pública é fornecida em grande parte por energia solar e, assim como São Francisco, a cidade dispõe de aplicativos para facilitar o uso de serviços.

5. Estocolmo, na Suécia

Outra representante dos países nórdicos, a capital sueca é tida como a pioneira em iniciativas sustentáveis na Europa. A transformação digital que ocorre na cidade se passa principalmente nas escolas: todas possuem Wi-Fi a aproximadamente 30 mil tablets e 45 mil notebooks à disposição dos alunos.

A cidade também configura entre as melhores no quesito de participação dos cidadãos, digitalização do governo e velocidade de internet.

Em parceria com empresas suecas renomadas, como Scania e Ericsson, entre outras, Estocolmo estabeleceu a criação de um projeto denominado Digital Demo Stockholm. Esse projeto é responsável por fornecer soluções sustentáveis e inovadoras que contribuam com a qualidade de vida dos cidadãos. Outra parceria, firmada entre a prefeitura, universidades e indústrias locais, testa novas tecnologias e serviços na cidade.

Além disso, Estocolmo é conhecida por sua análise de outras cidades inteligentes. Ela escolhe boas iniciativas como inspiração para implantar em seu sistema. Em um esforço de colaboração com outros municípios, Estocolmo lidera a iniciativa de boas práticas para cidades inteligentes.

Percebe-se que para ser uma cidade inteligente, não basta apenas possuir tecnologia. É preciso usá-la de forma consciente e sustentável. O conceito de cidade inteligente vai além. É colaborar com o meio ambiente e construir também com cidadãos inteligentes que farão parte de todo um ecossistema. As cidades mais inteligentes do mundo sabem disso muito bem.

Quer saber mais sobre como a tecnologia está afetando o dia a dia da sociedade? Entendo a fundo a transformação digital na sociedade.