Estudo de Caso SAP: como fazer transformação digital para 84 mil colaboradores

Entenda como a SAP leva a transformação digital para colaborares

No RH Summit em Novembro de 2017, eu conversei com o Marcelo Carvalho, Diretor de Recursos Humanos da SAP, para falar sobre Gestão de RH e Serviços Compartilhados abordando temas como vantagens e desafios de se trabalhar em uma empresa tão grande e sobre as metodologias utilizadas para avaliar, engajar e contratar colaboradores dentro da maior empresa de softwares para aplicações empresariais do mundo.

Com 44 anos de atuação no mundo, A SAP é líder de mercado no ramo de softwares para aplicações empresariais e possui mais de 84 mil funcionários e quase 400 mil clientes distribuídos ao longo de 180 países.

Marcelo é Profissional de recursos humanos com experiência em orientação empresarial internacional, e um participante-chave em grupos estratégicos, onde desenvolve e propõe soluções para permitir a transformação da área de RH. Formado em ciências contábeis, hoje ele atua como diretor de RH da SAP Brasil.

No vídeo, ele conta como foi seu ingresso na área de recursos humanos após se formar em RH e como chegou a ser o Diretor de Recursos Humanos de uma das maiores empresas de Tecnologia do Mundo, a SAP.

Entenda os principais temas abordados

Transição para o RH

  • GJ: Como foi a mudança de profissão para ingressar na área de Recursos Humanos em uma das maiores empresas de ERP do Mundo?

    MC: Antes de entrar na SAP trabalhei na área de tecnologia de uma outra empresa onde acabei pegando uma base de inovação e constante transformação, entrar na SAP e vivenciar como a Transformação Digital influência e impacta na vida das pessoas. Entendendo como elas planejam sua carreira a curto e médio prazo, visto que as mudanças ocorrem muito rápido, a Transformação digital põe esse desafio para o RH que levanta questões como: “qual o perfil do profissional do amanhã”, “o que eu preciso fazer para atrair esse profissional” , “quais são as pessoas que vão conseguir manter o ciclo de inovação que estamos construindo”.

O papel dos líderes na contratação de talentos

  • GJ: Como você lida com o desafio de auxiliar líderes e gestores de diferentes gerações a recrutar e lidar com os diferentes profissionais dentro da SAP?

    MC: Nós tentamos eliminar os mitos de características atribuídas a cada geração, o importante é trabalhar esse vieses inconscientes através da educação para que a gente elimine os preconceitos e as diferenças no tratamento e pré conceitos entre as pessoas.

Integração entre áreas

  • GJ: Qual o papel do centro de serviço compartilhado na integração entre as áreas e a atuação em diferentes regiões?

    MC: Nós utilizamos o centro de serviços compartilhados que ficam com as tarefas mais repetitivas e automatizadas, para que os HR’s Business Partners tenham mais tempos para atividades estratégicas, temos dois centros que atendem a SAP no mundo todo.

Adoção do Centro de Serviço Compartilhado

  • GJ: Em qual momento você acha que a ideia de centro de serviço compartilhado deve ser levado para uma empresa?

    MC: Isso não depende muito da quantidade de funcionários, quando a empresa está em um momento de crescimento e a área de recursos humanos está buscando desenvolver mais os profissionais da sua área de negócios, é importante criar uma área para os serviços transacionais e operacionais. É preciso ter um grupo de pessoas que consiga padronizar e prover o mesmo nível de serviços para todos os colaboradores, inclusive gestores.

Consultoria interna: vantagens e desvantagens

  • GJ: Muitas empresas procuram consultorias externas para lhe auxiliarem no RH, vocês optaram por uma consultoria interna, quais as vantagens e desvantagens desse modelo?

    MC: Nós utilizamos nossa solução de atração de talentos onde o gestor acompanha todo o processo de atração e seleção dos talentos para a posição, exibindo a vaga e necessidade nas redes sociais de forma automática e fluida. Um outro ponto é que temos uma taxa de indicação interna muito alta, também utilizamos soluções de recrutamento do linkedin que facilitou muito a encontrar o talento certo para a vaga.

O papel dos colaboradores dentro do RH

  • GJ: Vocês tem algum tipo de incentivo para os colaboradores que indicam um talento para a empresa?

    MC: Sim, temos o referral fee que é pago após o 2o mês de contratação do funcionário.

Avaliação de desempenho

  • GJ: Como é feita a avaliação de desempenho de funcionários?

    MC: Mudamos radicalmente nosso processo de avaliação de funcionários que antes era anual e agora é contínua, pois o mais importante do processo de avaliação de performance é o feedback continuo, a conversa com o gestor para entender o andamento dos projetos. A responsabilidade do processo acaba ficando com o gestor e o profissional, onde trimestralmente o colaborador avalia a quantidade e qualidade dos feedbacks que está recebendo.

Engajamento das equipes

  • GJ: Como vocês trabalham o engajamento de funcionários dentro da SAP?

    MC: Oferecemos diversas oportunidades de curto, médio e longo prazo, um exemplo é o programa de Trainee de Vendas que é feito na Califórnia onde eles têm a oportunidade de conhecer pessoas de diversos lugares do mundo e aumentar seu networking. Temos também o que chamamos de Fellowships, são 6 meses onde o funcionário pode participar de uma oportunidade de trabalho em outras áreas, dando a possibilidade para os funcionários usarem suas skills em outras áreas proporcionando uma troca de experiências.

Autonomia e Flexibilidade

  • GJ: Como vocês trabalham autonomia e flexibilidade para os funcionários?

    MC: A flexibilidade depende muito da área em que o funcionário trabalha, tem áreas que têm rotinas de visitas a clientes e projetos, e essa rotina é de acordo com a rotina do cliente, em outras áreas você pode flexibilizar o trabalho dedicando parte do tempo trabalhando em projetos de inovação, estruturação de processos e projetos com autonomia, de onde já surgiram diversas ideias inovadoras.

Quer ver o vídeo na íntegra? Clique aqui e assista!

Continue aprendendo

 

CEO na Gama Academy

Fundador e CEO da Gama Academy, escola que seleciona e treina talentos nas áreas de programação, design, marketing e vendas p/ o mercado digital com a missão de impactar 1 milhão de pessoas em 5 anos, foi eleito pela Revista Forbes como um dos 30 jovens abaixo dos 30 anos mais promissores do mundo.