Obter bons resultados é o objetivo de qualquer setor e em qualquer empresa. Mas para conseguir chegar lá, é preciso saber primeiro como medi-los. Não é por acaso que as famosas KPIs (abreviação do inglês key performance indicator) despertam tanto a atenção de CEOs, gerentes e demais profissionais em cargos de liderança. 

É avaliando métricas de performance que equipes constroem e adaptam constantemente suas estratégias para obter sucesso na era da transformação digital. Mas, embora soem como um assunto de TI, Marketing ou Vendas, os indicadores de desempenho, no RH, são muito bem-vindos também!

Isso acontece porque o setor de Recursos Humanos hoje vive uma revolução chamada People Analytics, conceito que visa implementar a decisão com base em dados na gestão de pessoas. Pode parecer estranho, mas a busca por data talvez seja a parte mais simples deste processo. Afinal, a TI está cada vez mais próxima do setor, garantindo que isso seja possível. 

A grande questão aqui é definir que tipo de informações buscar e ainda, o mais importante, o que fazer com elas. Está aí o papel das KPIs no RH, que vamos apresentar para você agora. Continue com a leitura e veja!

O que são KPIs?

A dúvida sobre o que são KPIs pode ser bastante recorrente, principalmente por essas métricas serem bastante importantes para as gestões. As KPIs são o que chamamos de indicadores-chave de desempenho. Seu papel é medir o sucesso de uma empresa em diferentes operações. 

A maneira mais fácil de explicá-las é ir mostrando alguns exemplos das mais famosas e utilizadas como: 

  • Retorno de Investimento (ROI);
  • Volume de Vendas;
  • Ticket Médio;
  • Produtividade;
  • Custo Por Aquisição de Clientes (CAC);
  • Page Views;
  • Custo por Clique;
  • Entre tantas outras.

Você deve ter percebido que elas podem variar conforme o setor dentro de uma empresa e o mercado em que ela atua. As KPIs podem considerar uma ação isolada, ou até mesmo o conjunto delas. Por isso são tão fundamentais para nortear estratégias de crescimento

Com elas, conseguimos mensurar o tamanho do resultado (ou do prejuízo), e assim tomar as melhores decisões de negócio. Neste caso em específico, na gestão de pessoas.

Quais as vantagens de utilizar KPIs no RH? 

O Recursos Humanos é muito mais do que uma área operacional. Hoje em dia, o RH assume papel de protagonismo dentro de uma empresa

Ele atua auxiliando nas tomadas de decisões, atraindo talentos, retendo funcionários e contribuindo com a produtividade de inúmeras equipes. Todos os exemplos citados acima estão entre as vantagens de se adotar o uso de KPIs no RH. Mas elas definitivamente não param por aí, aqui vão mais algumas:

  • assertividade nas decisões de gestão;
  • redução do Turnover;
  • redução de custos;
  • otimização de resultados;
  • cumprimento de metas;
  • cumprimento de horários.

Em resumo, falar sobre as vantagens de usar KPIs é o mesmo que falar sobre as vantagens de fazer um trabalho bem feito no setor. Afinal, é com o uso delas que alcançamos os melhores resultados

Para obter estes e tantos outros benefícios, é preciso primeiro criar uma estratégia. E é sobre isso que vamos falar no próximo tópico. Acompanhe!

Como incluir KPIs no RH?

Para implementar esta cultura data driven, é necessário primeiro refletir onde você quer chegar, que problemas quer resolver e, então, definir quais métricas seriam úteis para contribuir com estes objetivos. A partir disso, se inicia a estratégia de como e onde buscar as informações

Pense: um monte de números serão apenas um monte de números se você não souber o que fazer com eles. E cada hora dedicada à coleta de dados, que serão ignorados no futuro, pode ser encarada como desperdício de tempo e de dinheiro para a sua empresa. 

Para criar uma boa estratégia, é fundamental um trabalho em conjunto entre RH e TI. A tecnologia nos ajuda a otimizar processos e facilita a avaliação desses dados. Comece com um número reduzido de KPIs e então analise o processo, tanto em relação aos resultados obtidos, quanto ao seu próprio desempenho na utilização da metodologia. 

Outra possibilidade é a inclusão de softwares de RH que oferecem estudos completos para a sua equipe, desde análise de motivação até o mapeamento das competências pessoais. Conforme o RH se familiariza com estes conceitos, você estará pronto para escalar a utilização de dados no setor, baseado na sua própria realidade. 

Quais KPIs posso incluir no RH? 

Turnover 

O Turnover é um dos principais índices de desempenho para ser aplicado no RH. Também conhecido como índice de rotatividade, essa KPI mede o número de colaboradores que deixam uma empresa em um determinado período.

A relevância desta KPI no RH vai além do índice em si. Sua real virtude está em possibilitar uma comparação com a média do setor (ou de outros períodos na sua empresa) e saber se o seu indicador pode ser considerado baixo ou alto. 

Caso o resultado não seja o esperado, você pode aprofundar a pesquisa e descobrir o que está causando tudo isso. 

O cálculo do turnover é bem simples: 

  • Passo 1: some o número de demissões + número de admissões e divida por 2;
  • Passo 2: divida o resultado pelo número total de funcionários;
  • Passo 3: multiplique o resultado por 100 para ter o índice em porcentagem.

Lembrando que um turnover alto significa, entre outras coisas, a redução na produtividade das equipes afetadas e aumento de gastos em contratações.

Sua causa normalmente está relacionada à motivação da equipe, baixa remuneração, ou até mesmo decisões erradas do time de Recursos Humanos no processo seletivo.

Motivação

Embora esta não seja exatamente uma KPI, qual RH não gostaria de medir o índice de motivação dentro de uma empresa? Pode parecer meio utópico, devido à subjetividade e profundidade do assunto, porém, existem alguns outros índices de desempenho que podem ser consequência diretas dessa questão. 

É o caso do Absenteísmo e dos Atrasos.

  • Absenteísmo: essa KPI mede a quantidade de faltas dos colaboradores em um determinado período. Quanto maior o índice, maior atenção ele demanda. Se as faltas estão sendo motivadas por questões de saúde, talvez sua empresa esteja apresentando falhas na segurança do trabalho ou proporcionando um alto nível de stress. Mas, como você já deve estar imaginando, uma das causas mais recorrentes é a motivação. Por isso, KPIs são tão importantes, pois o estudo de problemas possibilita encontrar e solucionar sua causa raiz. 

O cálculo pode ser feito da seguinte forma: 

(Total de horas perdidas / Total de horas trabalhadas) x 100

  • Atrasos: esta é provavelmente a KPI mais simples de se implementar, devido à facilidade de encontrar os dados para o cálculo. Através do registro de ponto, você pode identificar o número de funcionários que chegam atrasados em um mês, a quantidade de horas desperdiçadas e ainda fazer uma análise profunda pessoa por pessoa. Novamente, a causa deve falar mais alto do que o problema em questão. Apesar de comumente relacionados à indisciplina, os atrasos também podem estar relacionados à motivação dos seus colaboradores. 

Lembrando que, se estes dois índices estiverem altos, sua empresa tem grandes chances de estar com a motivação em baixa.

Produtividade 

A produtividade é uma das KPIs mais avaliadas dentro de uma empresa. Isto porque ela não diz respeito somente ao RH, mas, sim, a todos os setores.

Para identificar o índice de produtividade, podem ser metrificados os seguintes dados:

  • os números de metas que estão sendo batidas;
  • o cumprimento de prazos;
  • a quantidade de entregas em determinado período;
  • e entre outros, que podem variar de acordo com o setor de atuação e o produto ou serviço prestado. 

Para obter melhores índices dentro desta KPI, outro fator que pode ser analisado é a resiliência, uma das soft skills mais cobiçadas no mundo corporativo atual

Profissionais resilientes têm mais facilidade em se adaptar a novos desafios e conseguem romper barreiras para atingir suas metas sem que isso afete seu estado emocional. A melhor parte é que a resiliência, hoje em dia, é um indicador muito simples de ser obtido, pois existem softwares de RH dedicados exclusivamente para sua metrificação

Através deles, é possível avaliar a resiliência de um indivíduo ou de uma equipe. Pode-se também oferecer ferramentas para que pessoas se tornem mais resilientes e, até mesmo, identificar profissionais que apresentem maiores índices dentro de um processo seletivo.

ROI 

O ROI é uma KPI extremamente ligada aos mais altos cargos de gestão dentro de uma empresa. Ele mede o retorno sobre os investimentos e pode ser avaliado de maneira global ou em ações específicas. 

O cálculo é feito da seguinte maneira:

ROI = (lucro líquido – investimento) / investimento.

Para expressar o valor em percentual, basta multiplicar o resultado por 100

Dentro do RH, o ROI pode ser utilizado com objetivos variados. Mas, para facilitar o entendimento, vamos utilizar um exemplo citado anteriormente.

Digamos que você calculou o turnover da sua empresa um ano atrás e se assustou com o resultado. Para resolver este problema, decidiu agregar um software de análise de perfil comportamental ao seu processo seletivo, melhorando o índice de assertividade nas contratações.

Sabemos que uma contratação errada gera, em média, um desperdício de R$ 14.000,00 para uma empresa. Você pode pegar o número de demissões que reduziram de um ano para o outro e multiplicar por este valor para obter o lucro líquido da ação. Para calcular o ROI desse software, basta ter em mãos o valor investido neste mesmo período e inserir os devidos valores na fórmula citada anteriormente. Com o resultado em mãos, será possível avaliar o retorno desta ferramenta e apresentar ao seu gestor.

Como escolher as melhores KPIs para o RH 

Como você deve ter percebido, pode-se incluir KPIs no RH bem variadas, além dos exemplos que citamos, existem muitas outras. Horas extras, engajamento e gastos com treinamentos são algumas delas. 

A escolha de quais índices de desempenho escolher está relacionada a quais objetivos você busca alcançar. 

E agora, quer aumentar a produtividade? Desconfia que a motivação esteja em baixa? Precisa reduzir custos? Quer dar o primeiro passo para iniciar uma jornada de transformação digital? Então baixe nosso material e empodere a sua equipe.

Carolina Fuhrmeister

Psicóloga, especialista em Competências Comportamentais e Analytics para Softskills. Empresária há 16 anos, Co-founder da Grou, empresa pioneira no Brasil no fornecimento de inovação tecnológica para Gestão de Pessoas e Diretora da PDA International | Chapter Brasil. Está à frente da distribuição e implementação em ferramentas que mapeiam: Perfil Comportamental, Resiliência e Lideranças.

recursos-humanosRecursos Humanos
Agências Como identificar gaps de talento em seu time
Imobiliárias Como implementar Business Intelligence no setor imobiliário