A IoT já deixou de ser apenas uma tendência para fazer parte do dia a dia de pessoas e empresas. Contudo, uma nova tecnologia vem surgindo para maximizar o potencial da IoT: a inteligência das coisas.

Imagine um mundo no qual os objetivos comuns do dia a dia não apenas têm a capacidade de responder a estímulos e se comunicar, mas são munidos de uma inteligência que permite que eles entendam o que está ocorrendo e ajam de acordo com a situação.

Hora de entender essa nova realidade e o que esperar desse mais novo passo em direção à transformação digital de nossa sociedade:

O que é Inteligência das Coisas

Já estamos nos acostumando com a ideia de manter ao nosso redor uma série de dispositivos conectados com a web, e sistemas de inteligência artificial também já são comuns em diversas aplicações.

Com tudo, a convergência dessas duas tecnologias está ocorrendo de forma natural e dando início ao conceito de Inteligência das Coisas. Esse termo terá um impacto direto sobre as empresas, de forma a permitir um melhor atendimento e relacionamento com os consumidores.

Os primeiros sensores, desenvolvidos com base em IoT, reuniam uma variedade enorme de dados. No entanto, nada disso era processado in loco e sim transmitido para sistemas, muitas vezes munidos de inteligência, para que fossem analisados e as decisões fossem tomadas.

A Inteligência das Coisas é a incorporação de conceitos de Inteligência Artificial (IA) nos dispositivos de IoT, sendo assim, as próprias máquinas podem realizar os processamentos das informações que reúnem e tomar decisões por conta própria, sem a interferência de terceiros.

Como surgiu

O surgimento da Inteligência das Coisas é uma tendência natural de junção entre as duas tecnologias, uma vez que IA e a IoT vem evoluindo constantemente e essa nova realidade nada mais é que a evolução em direção a um mundo automatizado.

Imagine que sua empresa possua um Data Center responsável por armazenar dados críticos e munido de sensores de monitoramento. Ao visualizar alguma falha, os dispositivos entram em contato com um sistema central e realizam o alerta.

Essa seria a atuação normal da IoT. Já com o auxílio da IA, o conjunto de aparelhos poderia tomar as decisões de forma autônoma. Ao perceber a falha, verificar sua origem, contatar o técnico para realizar a manutenção, assinar um acordo baseado nos valores de mercado e até mesmo realizar o pagamento.

Onde se aplica

Assim como a aplicação de IoT pura e simples, a Inteligência das Coisas tem grande abrangência e serve para ampliar os usos da Internet das Coisas, melhorando seus resultados. Entre os principais campos de utilização estão:

Transportes

Pistas de estradas que se adaptam ao fluxo de veículos. Por exemplo, caso exista um maior número de carros em uma direção, as pistas alternaram o sentido para garantir uma maior passagem de fluxo, diminuindo o número de faixas de rolamento para o sentido contrário.

Automação residencial

Dentro de residências e até mesmo em empresas, podemos esperar muitas inovações, como portas inteligentes que apenas se abrem de acordo com uma leitura biométrica, luzes que diminuem ou aumentam sua intensidade de acordo com a luminosidade do ambiente, entre outras soluções.

Agricultura

O campo do agronegócio poderá ser um dos mais impactados pelos dispositivos munidos de inteligência. Robôs autônomos poderão realizar diversas atividades dentro das fazendas, decidindo, por exemplo, qual o melhor horário para realizar o plantio ou colheita.

Sustentabilidade

A busca por melhorar nossa interação com o meio ambiente terá um aliado na tecnologia de Inteligência das Coisas. Hoje já existe o projeto de um robô autônomo, capaz de navegar pelos mares realizando a coleta de plástico e diminuindo o impacto ambiental.

Brinquedos

Imagine as possibilidades de brinquedos inteligentes que possam interagir com as crianças, facilitando suas rotinas de aprendizado e minimizando problemas de interação social.

Veículos

Os veículos autônomos são um dos maiores exemplos atualmente de Inteligência das Coisas. Essa tecnologia, em fase avançada de desenvolvimento, é capaz de levar o passageiro até o seu destino sem nenhum tipo de interação humana e com a máxima segurança.

Sua relação com a IoT e como irá evoluí-la

A relação entre a IoT e a Inteligência das Coisas é direta, uma vez que para que possamos incrementar o conceito de IA nos dispositivos e máquinas é preciso que, em um primeiro momento, eles estejam munidos de sensores que lhe permitam recolher informação.

Contudo, a Inteligência das Coisas não é uma tecnologia, ou conceito, que veio para a substituição da IoT, mas sim para a sua evolução. Com isso, munimos com IA os dispositivos que já se comunicam por meio da internet.

Dessa forma, os aparelhos evoluem e contam com a capacidade de tomar decisões estratégicas de forma autônoma, com base em conhecimentos adquiridos por meio de machine learning ou aprendizados  pré-programados.

Sendo assim, podemos esperar um desempenho muito melhor desses dispositivos, que realizam correções e buscam por melhorias de forma autônoma, agilizando processos e garantindo resultados.

Um panorama para o futuro

A JustEat é uma empresa de delivery de comida no Reino Unido e começou em 2016 os testes de entrega realizada por meio de um robô autônomo. O funcionamento é muito simples, você faz o seu pedido e o veículo realiza a entrega na porta de sua casa. É preciso apenas digitar um código que é enviado ao smartphone para liberar a comida.

Esse é o tipo de inovação que podemos esperar em um futuro próximo. Cada vez mais serviços serão realizados por máquinas, munidas de sensores e inteligência para empenhar suas tarefas.

Isso tornará o mundo um lugar muito mais inteligente e encontraremos esses dispositivos em todo lugar, sendo muito natural ser atendido em um restaurante por um garçom robótico que sabe exatamente quais são as nossas preferências.

A Inteligência das Coisas é uma evolução natural da IoT e um passo fundamental para que as empresas possam alcançar a transformação digital. Ela já está em curso hoje, por isso é preciso estar atento a todas as mudanças com o objetivo de se adaptar a essa nova realidade.

Entenda melhor o que é a Internet das Coisas neste outro post que escrevemos especialmente para você!

tecnologiaTecnologia
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Jurídico ROSS, o primeiro robô advogado do mundo
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Chatbot para WhatsApp já é uma realidade?
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]