Desenvolver times ágeis se tornou uma necessidade de maior prioridade em razão da nova dinâmica imposta pela realidade do empreendedorismo. Isso porque, se há um ponto unânime na atualidade, é justamente o de que as empresas serão exigidas na sua capacidade de se adaptar rápida e constantemente.

Como os times ágeis são mais orgânicos em comparação com as equipes tradicionais — hierarquizadas, lineares e mecânicas —, eles conseguem combinar estabilidade e dinamismo para se adaptar o tempo todo. Como uma empresa tradicional conseguiria competir com uma organização assim?

No entanto, um time ágil não se forma sozinho e, para algumas empresas, pode ser um desafio reunir as pessoas certas. Vejamos então o que você pode fazer para contornar os desafios!

Entenda o perfil do colaborador ideal

Assim como ocorre em toda ação voltada aos colaboradores, existe um perfil que define as características das pessoas com maior potencial de corresponder às expectativas da organização. Por isso, sua primeira tarefa é entender como é o profissional de um time ágil.

Segundo a McKinsey, em geral as pessoas que se destacam em uma organização ágil têm as seguintes capacidades:

O artigo da consultoria ainda afirma que:

“[…] os dois fatores mais importantes para uma pessoa que trabalha em um ambiente ágil são: a capacidade de lidar com a ambiguidade e um alto nível de amabilidade”.

O primeiro aspecto não é exatamente uma surpresa, já que a natureza da agilidade requer um alto grau de flexibilidade, mas o segundo resultado é inesperado. Ainda assim, é preciso notar que a maioria das culturas reforça o hábito de competição, mas podemos observar outras maneiras de construir uma organização ágil e de alto desempenho, nas quais a cooperação e as parcerias são fatores-chave.

Promova o desenvolvimento do modelo

As empresas não dispõem de um botão de agilidade que possa simplesmente ser ligado. É preciso que ocorra uma mudança fundamental no modo como as pessoas trabalham e elas precisam estar dispostas a “entrar no jogo”.

Compartilhe conteúdo útil sobre o tema e prepare a equipe para iniciar a mudança. Nesse momento de largada, o objetivo principal é fazer com que todos concordem em dar uma chance à inovação e à adoção do conceito e da prática ágil. Se você tem algumas pessoas que não estão dispostas, então você tem um silo a ser eliminado — ou o processo será boicotado.

Compreenda as regras e os papéis

Ao iniciar o processo para desenvolver times ágeis, a tendência é de começar com uma equipe que possa contar com talentos que tenham experiência e habilidades especializadas. No entanto, outros membros da equipe provavelmente precisarão aguardar que esses especialistas concluam algumas tarefas, antes de dar sequência a algum procedimento.

Proprietário do produto (PO)

Esse papel pode ser exercido por partes interessadas ou por algum integrante de sua equipe, desde que tenham um problema que sua equipe pode ajudar a resolver. Basicamente, falamos da pessoa que sabe se sua solução elimina efetivamente uma dor sentida pelo mercado.

Sem ter alguém para cumprir esse papel, você terá grandes chances de concluir com algo que não é bem o que o mercado deseja, o que gera retrabalho e tempo perdido.

Scrum Master

O papel do Scrum Master é o de ajudar a equipe a manter o foco. É alguém que pode dar à equipe o suporte e o espaço necessários para se organizar. Eles são capazes de eliminar quaisquer entraves ou problemas que a equipe não pode mudar por conta própria, mas ele não tem a função de dizer à equipe o que fazer ou como executar suas tarefas.

Transpareça as pendências

Um dos principais benefícios de desenvolver times ágeis deve ser a transparência do trabalho. Uma boa analogia para reforçar essa necessidade é a de que a louça escondida debaixo da pia vai demorar mais para ser lavada, pois não é diferente com os entregáveis pendentes em uma empresa.

Para “manter a pia vazia” é preciso senso de urgência e muita capacidade crítica. Isso não quer dizer que “a pia” terá a mesma aparência todos os dias, já que isso depende de variáveis de influência fluidas, sujeitas a mudanças e de acordo com prioridades concorrentes.

Porém, manter as pendências visíveis facilita em muito a percepção sobre o que precisa ser feito. Além disso, os projetos seguintes podem ser planejados de acordo com as prioridades das demandas e pendências.

Garanta a estrutura de trabalho

Os métodos ágeis dependem diretamente de uma estrutura adequada. Quando você começa a trabalhar de forma ágil, precisa das ferramentas que ajudarão a obter o máximo de eficácia, organização e rapidez, o que é especialmente importante se você tiver uma equipe remota.

Às vezes, as equipes escolhem opções mais complexas e caras, mas você também pode contar com soluções simples, personalizadas e gratuitas. No entanto, dados os possíveis problemas de segurança de TI, as versões gratuitas podem não ser indicadas, ainda mais considerando as novas leis de proteção de dados, seja a nacional, sejam outras como a GDPR, e a crescente preocupação do consumidor com privacidade.

Feita essa ressalva, alguns bons exemplos de ferramentas são:

  • Trello: um recurso para registro e compartilhamento de planejamento, que permite criar quadros com listas;
  • Slack: uma ferramenta de comunicação muito boa, que costuma ser muito bem aceita pelas equipes;
  • Google Hangouts: versão de videochamada que faz parte do G Suite, do Google.

Além de tudo o que mencionei neste texto, desenvolver times ágeis demandaa construção de uma cultura adequada na organização. As pessoas não vão se esforçar coletivamente para assumir a postura ideal com falta de estímulo para mudar, e muito menos com barreiras às adaptações necessárias.

Mas esse é um tema que merece um pouco mais de atenção. Confira o artigo complementar: “Como construir uma cultura ágil em sua empresa”.

Esdras Moreira

CEO na Introduce Formado em Redes de Computadores, com especializações em Gestão de Pessoas, Coaching e MBA em Marketing. É co-founder da introduceti.com.br, que conduz o crescimento dos negócios através de estratégias e tecnologias. Além disso é investidor no projeto Globin.it, Middas e Grupo 3Minds.

tecnologiaTecnologia
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Vendas O que é inteligência comercial? Como usar em sua empresa?
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Agências O poder do growth mindset em agências de marketing
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]