Como construir uma cultura ágil em sua empresa

Entenda como construir uma cultura ágil em sua empresa para acompanhar a inovação da Transformação Digital

Vivemos em constante e acelerada transformação. Novas tecnologias surgem o tempo todo, fazendo com que as empresas necessitem de uma cultura ágil para lidar com as alterações das expectativas do mercado e as respondam com rapidez.

Contudo, esse vem sendo um grande desafio para muitas organizações. Dificuldades em se reestruturar e recriar processos com base em agilidade acaba fazendo com que a empresa perca espaço para novos negócios disruptivos. Hoje, novas empresas nascem e chegam ao topo enquanto as tradicionais ainda nem entenderam o que está acontecendo.

Neste artigo, vou mostrar para você o que é a cultura ágil, como ela funciona e quais os seus benefícios para as empresas. Por fim, apresentarei o passo a passo para que você aplique essa metodologia de trabalho em seu negócio!

O que é cultura ágil?

A cultura ágil é um novo modelo de gestão dentro das organizações. Ela prioriza os resultados por meio de uma divisão igualitária de funções e responsabilidades em vez de uma hierarquia. O principal ponto da metodologia é o trabalho em equipe e a autonomia dos indivíduos dentro da empresa. Com ela, todos assumem uma mesma visão de crescimento, podendo cobrar resultados um dos outros sem a figura direta do chefe.

O modelo de cultura ágil é baseado no “Manifesto Ágil“, um documento criado pela comunidade de desenvolvedores cujo objetivo é que o desenvolvimento de aplicações fosse mais enxuto e eficiente.

Seus princípios foram tão bem aceitos e trouxeram inúmeros resultados positivos que não demorou para que as empresas trouxessem as diretrizes propostas para a administração de seus negócios e para a orientação dos colaboradores.

Como a cultura ágil funciona?

O funcionamento de uma organização que adota a cultura ágil em suas atividades diárias pode variar muito, uma vez que existem diversas metodologias ágeis passíveis de aplicação. No entanto, as empresas costumam apresentar algumas características em comum:

  • equipes colaborativas e multifuncionais, contando com todas as habilidades necessárias para a realização do trabalho;
  • colaboradores confiáveis para aplicar processos em busca do controle de riscos organizacionais;
  • compromisso com a entrega e a busca por feedbacks, promovendo a melhoria contínua;
  • clara visão do valor agregado em cada atividade realizada;
  • negociação, tomada de decisões e resolução de conflitos de forma autônoma por parte das equipes;
  • pesados investimentos no treinamento de colaboradores;
  • transparência total em uma escala estratégica, tática e operacional;
  • gerenciamento para resolução.

Essa é apenas uma pequena lista, mas muitos outros itens podem integrá-la, a depender da organização e da visão dela sobre a utilização de uma cultura ágil.

Qual é o passo a passo para a implantação?

Como falamos, aplicar a cultura ágil em uma empresa é uma tarefa um tanto quanto complexa, pois exige uma mudança organizacional e de visão sobre as atividades realizadas. Dessa forma, criamos um pequeno passo a passo com cinco etapas para ajudar você nessa jornada. Acompanhe!

01. Menos comando

Uma mudança organizacional que visa a criação de uma cultura ágil deve ser algo natural, apenas contando com um direcionamento e não com um controle rígido como ocorre atualmente dentro de muitas empresas. Isso porque o excesso de comando pode trazer aversão e resistência dos colaboradores à mudança. Assim, é impossível promover a cultura ágil.

Em uma empresa ágil, todos devem ter responsabilidade sobre os seus atos, sendo apenas orientados acerca do trabalho, organizando-se e realizando as atividades da melhor forma possível, sem ordens diretas.

02. Equipes menores, maior eficiência

Grandes equipes perdem o foco e contam com problemas de comunicação. Fazer uma reunião torna-se algo difícil e disseminar o conhecimento também. Já em equipes menores, é muito simples reunir todo mundo para um bate papo rápido, a comunicação é fácil, ágil e todos ficam cientes sobre as suas responsabilidades.

Além disso, times menores têm maior poder de adaptação e são capazes de dar uma resposta a mudanças de forma imediata — tudo o que se espera de uma cultura ágil.

03. Responsabilidades para todos

Em uma empresa ágil, o cliente está no centro de tudo e a responsabilidade por tomar as decisões fica na mão de cada colaborador (que precisam estar cientes dessa realidade).

Por conta disso, pensar como o cliente é um passo importante para que todos cumpram as suas responsabilidades da melhor forma possível. Com o tempo, a equipe será capaz de tomar as melhores decisões para o negócio.

04. Liderança de apoio

A divisão da responsabilidade é um dos principais desafios para os líderes tradicionais, acostumados a ter todas as decisões sob a sua tutela. Contudo, a figura deles não desaparece, mas se transforma.

Em vez de dar ordens, o líder central torna-se uma liderança de apoio e é consultado sempre que os times não se sentem seguros sobre alguma escolha. Nesse momento, o profissional compartilha a sua sabedoria para o crescimento de todos.

Isso não quer dizer, no entanto, que o líder não se envolva. Ele não dita as regras diretamente, mas deve manter uma visão sobre todo o negócio para garantir que o processo seja desenvolvido de forma eficaz.

05. Construção de pontes de informação

A informação não deve ser compartimentada em silos dentro de cada time, mas circular livremente para que todos ganhem conhecimento e a empresa cresça. A experiência de cada um deve ser compartilhada entre os demais para que todos ganhem com isso.

Claro que determinados dados estratégicos e sigilosos não serão compartilhados. Porém, o resto, que possa agregar valor aos demais, deve circular livremente.

Há casos de sucesso?

Um dos maiores casos de sucesso sobre uma empresa que se utiliza de uma cultura ágil é o Spotify. A metodologia escolhida pelo negócio em sua fundação, em 2008, foi o Scrum. Contudo, com o passar do tempo, a organização verificou que a metodologia não estava suprindo todas as suas necessidades e desenvolveu uma nova versão do framework ágil, o qual fosse capaz de sanar sua demanda.

Hoje, o Spotify renomeou sua metodologia para Agile Coach, construindo um novo documento que pudesse melhor atender aos inúmeros times internos e garantir a agilidade que a empresa precisa. A empresa percebeu que mais importante que utilizar uma metodologia ágil é colocar em prática os seus conceitos e, com isso, evoluir ainda mais a sua cultura, criando um empreendimento capaz de lidar com mudanças de forma rápida.

A cultura ágil é uma exigência para as organizações que têm de lidar com um mercado volátil e clientes cada vez mais exigentes em busca de uma experiência única.

Para continuar aprendendo sobre ela e entender sua urgência, saiba como as metodologias ágeis impactam a transformação digital!

CEO na Introduce

Formado em Redes de Computadores, com especializações em Gestão de Pessoas, Coaching e MBA em Marketing. É co-founder da introduceti.com.br, que conduz o crescimento dos negócios através de estratégias e tecnologias. Além disso é investidor no projeto Globin.it, Middas e Grupo 3Minds.