SaaS: o modelo de negócios da Transformação Digital

Entenda o que é SaaS e como funciona esse modelo de negócio

O modelo SaaS é um dos acontecimentos mais marcantes das transformações de nosso tempo. Na atualidade, é difícil imaginar uma aplicação que não esteja disponível nesse modelo.

Em decorrência disso, profissionais estão mudando o seu modo de vida e assumindo o nomadismo, empresas estão programando o crescimento em escala com mais tranquilidade e os recursos tecnológicos estão alcançando um número maior de pessoas.

Por isso, não poderia deixar de produzir este material sobre o tema com uma abordagem diferenciada. Então, vamos sair do lugar-comum e refletir de verdade sobre o assunto.

O que é SaaS

O SaaS é um modelo de distribuição de software no qual os aplicativos hospedados em nuvem são disponibilizados por provedores do serviço para os seus clientes. No Brasil, é comum se referir a esse modelo como uma forma de locação devido ao pagamento mensal do serviço.

Contudo, o aluguel de sistemas é uma prática proibida pela Lei de Software brasileira. No lugar disso, as aplicações devem ser licenciadas para uso. Essa norma se justifica em razão da necessidade de atualizações e suporte, que não está presente no caso do aluguel de uma casa, por exemplo.

Entretanto, essa é apenas uma informação adicional que precisava ser mencionada. O que é fundamental de entender é que o funcionamento do SaaS está baseado no pagamento de uma assinatura e tem papel relevante na Transformação Digital.

O modelo permite o acesso de qualquer local e não exige uma estrutura interna de hospedagem. Desse modo, favorece a mobilidade, facilita atualizações e a escalabilidade. Além disso, segue a tendência de integração. São raros os casos em que essa possibilidade não tenha sido planejada no desenvolvimento e não esteja disponível para uso.

Outra característica comum nos softwares disponibilizados por meio do SaaS é que eles respeitam a lógica do “um para muitos”. Ou seja, um único código de programação é disponibilizado para todos os usuários.

Eles podem configurar diferentes parâmetros para que o sistema se adapte as suas necessidades, mas o desenvolvimento ocorre de forma a permitir a flexibilidade necessária sem que seja preciso programar funcionalidades específicas para cada cliente.

O SaaS como modelo de negócio

Reconhecer a importância do SaaS depende de observá-lo como um modelo de negócios e não apenas do ponto de vista operacional da distribuição. Não que isso seja uma exclusividade. Formas diferentes de distribuir produtos estão presentes em várias iniciativas inovadoras.

De um modo geral, a Transformação Digital é um processo no qual a entrega de valor ao cliente é facilitada e ampliada com a utilização de recursos tecnológicos que facilitam o acesso, diminuem custos, agilizam os processos e favorecem as interações multicanais.

No caso específico do SaaS, o valor superior é essencialmente a eliminação de algumas preocupações e tarefas indiretas relacionadas à utilização de qualquer sistema. A principal delas é a necessidade de manter um servidor e uma equipe de manutenção para gerenciar a hospedagem, a segurança e a implantação.

Obviamente, a diluição dos custos de investimento também é determinante na percepção de valor por parte dos clientes. No lugar de desembolsar altos valores de licenciamento, o pagamento passa a ser recorrente e os custos indiretos relacionados à estrutura são eliminados.

Esse valor superior é entregue por meio de um canal de distribuição que, como vimos, é diferenciado. Além disso, o relacionamento com o cliente também assume uma nova lógica em decorrência de se tratar de um serviço e de uma cobrança que são recorrentes.

Os benefícios do SaaS

A maioria dos benefícios do modelo está descrita no decorrer deste post. Por isso, não pareceu o caso de detalhar sobre todos eles neste tópico. Ainda assim, vale relacioná-los para você incluindo os ganhos dos dois lados: cliente e fornecedor. São eles:

  • eliminação de altos investimentos em licenciamento para o cliente e pagamento recorrente para o fornecedor;
  • eliminação de custos indiretos para o cliente;
  • pagamento de acordo com o uso: normalmente de acordo com o número de usuários, ações efetuadas ou registros armazenados;
  • escalabilidade do serviço para o cliente e de crescimento para a empresa;
  • uso imediato: na maioria dos casos basta se cadastrar e começar a usar;
  • atualizações periódicas sem custos adicionais para o cliente e em um único ou poucos servidores para o fornecedor;
  • facilita a oferta de testes gratuitos por períodos determinados.

O mercado de SaaS

Brazil SaaS Landscape 2017, um relatório elaborado em conjunto pela Rock Content e pela SaaSholic, tendo a Redpoint Eventures e a Signal Hill como parceiras, informa dados completos sobre o cenário SaaS brasileiro.

Foram levantadas quase 600 empresas que utilizam o modelo. A maioria está no estado de São Paulo (47,8%), mas Santa Catarina e Minas Gerais também figuram com participação relevante, 16,3% e 11,3% respectivamente.

Pouco mais de 90% delas possuem até 50 funcionários e menos de 3% superam os 100. Isso não deve ser confundido com baixo faturamento, pois o modelo favorece estruturas enxutas. A maioria delas (77%), levou menos de 4 anos para superar o faturamento anual de 1 milhão.

Entre os maiores cases de SaaS no mundo despontam empresas como a: Netflix, com 40 milhões de usuários; o CRM da Salesforce; o antivírus da Sophos; a Adobe; e a Paypal.

Exemplos e cases de sucesso

RD Station

A RD começou em 2011 com apenas sete membros na equipe. Dois anos depois, chegou a 1 milhão de receita recorrente anual, chamando atenção de grandes investidores. Hoje, a empresa conta com quase 500 colaboradores e mais de 9 mil clientes.

O software foi elaborado para fazer a gestão de inbound marketing e reúne funcionalidades de automação e controle do processo.

Agendor

O mercado de CRM é um dos principais adotantes desse estilo e não é fácil se destacar. Como concorrentes, a Agendor tem a Salesforce e várias empresas brasileiras de variados portes. A integração costuma ser um ponto alto dessas ferramentas. Em razão disso, o modelo de negócios do SaaS se adapta muito bem a essa categoria de software.

O Agendor oferece um sistema intuitivo e tem conquistado mercado com uma ótima estratégia de conteúdo.

ContaAzul

O ContaAzul é um dos principais sistemas de gestão para micro e pequenas empresas atuantes no Brasil. Esse é outro mercado de alta concorrência e a maioria das empresas têm dificuldades de conquistar uma boa participação de mercado.

As facilidades do modelo SaaS foram fundamentais para empresas como a ContaAzul conseguirem destaque. Elas souberam se posicionar no mercado e aproveitar oportunidades pontuais, com a crise recente.

As empresas de menor porte sempre tiveram dificuldade de acesso aos sistemas de gestão mais famosos, como SAP e Oracle. Com a oferta de um sistema de controle mais simplificado e acessível em termos de investimento, a ContaAzul se posicionou como uma ótima alternativa para redução de custos dos seus clientes.

O SaaS é uma das principais categorias de serviços em nuvem. Como vimos, ele não está limitado a um procedimento operacional, mas envolve a elaboração do modelo de negócios. Isso significa que ele faz parte do esforço de entrega de um valor superior. Porém, existem outras categorias que também envolvem a estratégia do negócio. Por isso, vamos complementar este post com um conteúdo adicional.

Acesse agora a publicação PaaS: conheça o modelo de negócio das plataformas inteligentes e saiba mais sobre o assunto.

CEO na Introduce

Formado em Redes de Computadores, com especializações em Gestão de Pessoas, Coaching e MBA em Marketing. É co-founder da introduceti.com.br, que conduz o crescimento dos negócios através de estratégias e tecnologias. Além disso é investidor no projeto Globin.it, Middas e Grupo 3Minds.