Posição zero no Google: o que é e como alcançar

Posição-zero-no-Google-o-que-é-e-como-alcançar

Vitor é gerente de uma agência de marketing de conteúdo e recebeu a missão de um grande cliente: colocar os seus artigos no topo do ranking do Google. Não foi fácil, mas com muito trabalho e conhecimento, Vitor e sua equipe de marketing conseguiram colocar o blog do cliente em primeiro lugar com as suas principais palavras-chave.

Dias depois do feito, Vitor recebeu uma ligação: era o cliente, decepcionado porque o blog do seu maior concorrente estava aparecendo em destaque na busca pela sua palavra-chave mais estratégica.

Sem entender, o gerente de marketing foi conferir e descobriu que a página do cliente permanecia em primeiro lugar na busca orgânica, mas acima aparecia uma caixa em destaque, com um resumo bem detalhado sobre a palavra-chave e com o link do concorrente.

Um novo desafio começou ali para Vitor e sua equipe: descobrir o que era aquele elemento acima da primeira posição — chamado de posição zero — e como chegar lá. Quer descobrir junto com o Vitor o que é a posição zero? Então continue a leitura deste artigo!

O que é posição zero?

A posição zero é uma caixa — também chamada de Featured Snippets — que fica logo acima do artigo primeiro colocado no ranking de busca orgânica. Ela apresenta respostas objetivas para buscas específicas, com a finalidade de que usuário tenha a melhor experiência possível ao utilizar o mecanismo de busca.

Todos nós sabemos que o Google não é uma instituição filantrópica, portanto, além de melhorar a experiência do usuário, todas as mudanças nos algoritmos desse buscador têm o objetivo de destacá-lo cada vez mais como referência no segmento.

Os Feature Snippets não estão fora disso. Além de oferecer mais praticidade ao usuário que busca respostas rápidas, com essa ferramenta o Google mantêm o visitante mais tempo em sua página principal.

Como são escolhidas as páginas para a posição zero?

Não existem regras específicas para entrar na posição zero e muito menos para permanecer por lá. Ao contrário do que muita gente pensa, estar em primeiro lugar no ranking não é garantia de seus esforços, unicamente. Na verdade, os resultados são gerados organicamente, com base na relevância e no formato das informações.

O Google pesquisa automaticamente a resposta nos sites, determina a melhor e exibe para o usuário. Alguns padrões podem ser identificados nessas escolhas, como:

  • prioridade para os resultados da primeira página — geralmente nos primeiros 5 resultados;
  • informação relevante — o artigo deve fornecer respostas corretas em relação ao termo buscado e as informações na página devem ser relevantes;
  • formatação padronizada — se você utilizar o padrão dos Snippets em seus artigos, terá mais chances de conquistar a posição zero.

Qual é a importância de estar na posição zero?

O tema “posição zero” não está em alta à toa: a importância de colocar um artigo lá no topo gera alguns benefícios.

O seu site ganha o status de autoridade no assunto relacionado à palavra-chave que o usuário buscou, além de evidenciar a relevância do seu conteúdo para o algoritmo do Google.

O Feature Snippet também dá a oportunidade de a sua página, mesmo não estando entre as 3 primeiras dos ranking, ganhar evidência e mais visitas. Aliás, essa é uma boa oportunidade para ficar à frente de sites gigantes que utilizam a mesma palavra-chave que a sua e que não perceberam o poder da posição zero.

Existe fórmula para chegar à posição zero?

Diferentemente das técnicas de SEO — que se bem executadas no longo prazo melhoram o ranqueamento do seu site —, não há uma receita pronta para chegar conquistar a posição zero.

No entanto, como dissemos no início do texto, existem alguns padrões nos Feature Snippets, e eles podem ajudar você a preparar o seu site.

Identifique no seu artigo as perguntas específicas

Nem todas pesquisas feitas no Google apresenta um Feature Snippet nas respostas, visto que o foco estás nas buscas objetivas.

Se você buscar termos genéricos, como “Notebook”, provavelmente não encontrará um Snippet em destaque, mas se pesquisar “qual é o melhor notebook para editar vídeos?” provavelmente terá como resposta uma tabela comparativa ou uma lista produzida por algum site especializado.

O foco deve estar nas palavras-chave long tail (cauda longa), pois elas são mais específicas e respondem a perguntas objetivas.

Crie respostas em parágrafos curtos

Tente responder a pergunta da maneira mais simples e clara possível. Isso significa que você deve começar a produzir microartigos? Evidentemente que não! O Google “gosta” de artigos aprofundados e relevantes, dando pontos positivos para o seu ranqueamento.

No entanto, para que o seu artigo tenha Features Snippets e seja colocado em destaque na posição zero, é necessário que dentro dele haja resumos que forneçam respostas para a questão principal. O ideal é que essas respostas tenham de 40 a 55 palavras.

Verifique a oportunidade de criar listas ou tabelas

Nada mais prático para responder uma questão de forma sucinta do que uma lista, certo? Quando você pergunta: “quais são os melhores programas para automação de marketing digital?”, uma lista com os 10+ feita por um blog especializado ajudará muito, não é?

Uma tabela comparativa também ajudará você a entender as diferenças entre as principais empresas. Esse é o objetivo do Feature Snippet — ser rápido, sucinto e objetivo, como as listas e tabelas bem elaboradas.

Identifique em seus artigos bem ranqueados se existe a possibilidade de substituir parágrafos em que estejam sendo feitas comparações ou que estejam elencando produtos ou empresas em sequência por tabelas ou listas.

Existe relação entre a posição zero e o crescimento das pesquisas por voz?

É inegável a praticidade de utilizar comandos de voz para fazer pesquisas apenas perguntando, sem a necessidade de digitar. Esse benefício faz com que as pessoas ganhem um tempinho no quase sempre corrido dia a dia.

Como um dos pioneiros nesse novo modelo de buscas cada vez mais utilizado, o Google recorrentemente refina o seu algoritmo para que as buscas por voz recebam cada vez mais respostas claras e objetivas.

O que isso tem a ver com os Featured Snippets?

Tudo! Provavelmente você já fez uma pesquisa por voz no seu smartphone ou assistente virtual e recebeu uma resposta também por voz. Essa resposta sonora nada mais é do que a leitura automática de um Featured Snippet, que está na posição zero.

Esse novo cenário merece um olhar atento dos profissionais de marketing das empresas e dos criadores de conteúdo, que deverão traçar estratégias para que os seus artigos se mantenham relevantes nessa transformação digital. O foco deve ser produzir um artigo completo e relevante, mas que apresente ideias claras e objetivas para o que a persona procura.

Se a posição zero é o novo topo do Google, é preciso priorizar essa estratégia?

A verdade é que a posição zero deve ser considerada com parte da sua estratégia para aumentar a relevância e o ranqueamento do seu site, e não como um objetivo. Confira alguns motivos para isso a seguir:

Não há garantia de chegar lá

Por mais que você tente achar o padrão e entenda as principais nuances dos Featured Snippets, é necessário entender que alguns tipos de conteúdo nunca chegarão à posição zero, por isso o seu foco deve ser sempre a qualidade e a relevância do conteúdo, pensando em ranqueamento.

Muitas vezes você não conseguirá adaptar as informações a um dos formatos usados para os Snippets. Você pode até criar conteúdos que estejam no padrão para que o Google os transforme em um Snippet, mas nem isso garante que você chegará lá.

É imprevisível

Vale a pena trocar uma estratégia consolidada de SEO, com resultados interessantes e aumento de tráfego orgânico, por uma estratégia imprevisível? Além de não haver garantias de que você chegará à posição zero, por melhor que o seu conteúdo seja, mesmo se chegar também não há garantias de que ele permanecerá por lá.

A posição zero é muito volátil, e pode acontecer de o seu artigo entrar de manhã e de noite não estar mais.

Chegar à posição zero é um desafio e uma excelente oportunidade para os sites se firmarem como autoridades e “donos” de determinadas palavras-chaves. O importante é que essa busca não interfira no planejamento de SEO tradicional e que os dois objetivos caminhem juntos para o crescimento do seu site.