Você sabe o que é futurismo? É a prática sistemática de tentar prever o futuro. Em vez de ter uma conexão com o além, os futuristas geralmente são cientistas sociais, tecnólogos e outros especialistas que usam seu conhecimento do passado e tendências atuais para fazer projeções de eventos futuros. Na verdade, não é diferente do trabalho de um consultor financeiro, exceto pelo fato de que o futurismo possui implicações mais amplas e tende a se concentrar em idéias de longo prazo.

Por exemplo, se você fizesse uma projeção de longo prazo sobre o estado da educação, pesaria coisas como a taxa de avanço da tecnologia móvel, poder de computação, desenvolvimento de inteligência artificial (IA) e tendências demográficas dos estudantes.
Você poderia, então, surgerir a ideia de que os dispositivos móveis se tornarão tão baratos e tão poderosos que poderão ser carregados com tecnologia de aprendizagem adaptativa (AI), usados ​​para melhorar significativamente o acesso e a qualidade das perspectivas de educação nos países em desenvolvimento, o que por sua vez, têm implicações significativas para os programas de aprendizado de inglês nos EUA.
Quando o tema é futurismo na era digital, as ideias vão muito além do que você imagina:

O que realmente faz parte do futuro X o que é presente hoje?

Leitura de mentes

Os neurocientistas estão buscando maneiras de ler a mente das pessoas a partir das máquinas. E a boa notícia é que pesquisadores da Universidade da Califórnia, Berkeley e outros países já estão começando a fazer progressos reais neste campo.

O fato de traduzir a atividade elétrica do cérebro por meio da decodificação de ondas cerebrais é uma maneira de ajudar os pacientes com demência, por exemplo, que têm complicações nos neurotransmissores. Isso impede a tradução de pensamentos em uma fala compreensível ou, então, retarda a transmissão do pensamento a um tempo maior do que a nossa memória de trabalho verbal é capaz de armazenar.

Nanotecnologia

Em praticamente todos os campos, a nanotecnologia está sendo usada para inovações: engenharia, dispositivos médicos, imagens, computação e muito mais. A nanomedicina é uma área com crescimento rápido e dramático.

Uma vez que muitas doenças e distúrbios no corpo ocorrem no nível celular e crescem sem controle devido à genética, a nanotecnologia tem a capacidade de tratar a própria raiz do problema, em vez de controlar os diversos sintomas dispersos pelo corpo. Assim, a nanotecnologia pode ser preventiva e curativa, já que o tratamento atinge os centros de controle mais estreitos e minúsculos.

A terapia gênica nano já começa a se tornar realidade em cobaias, mas futuramente estará acessível a todos. Já imaginou, estarmos diante da cura de doenças como o Parkison e o Alzheimer?

Inteligência Artificial

As empresas de Internet de Coisas, Tecnologia da Informação e Segurança Cibernética começaram a adotar redes neurais artificiais para monitorar e prevenir ataques cibernéticos.

Além de suas aplicações de segurança, empresas como a Amazon e o Google começaram a aplicar a tecnologia aos consumidores, a fim de simplificar as compras e a busca de experiências nas plataformas. Com todo o progresso atual da tecnologia AI, é razoável esperar que, até o ano 2020, a inovação esteja profundamente implementada nas atividades empresariais e de consumo.

A Internet das coisas

Nos últimos anos, com a crescente adoção de sistemas como Google’s Home e o Alexa, da Amazon, a IoT começou a criar um nicho para si mesma. Esses dispositivos continuarão a integrar mais aspectos da casa em um único sistema harmonioso, permitindo que um usuário controle qualquer coisa, desde o ar condicionado até a segurança, por meio do comando de voz e de assistentes pessoais, que também estão instaladas em smartphones.

A Apple lançou o HomePod este ano e a Samsung lançou a tecnologia Bixby para competir com o sucesso dos sistemas Google e Amazon. Provavelmente, em uma década, você poderá agendar o descongelamento de algum alimento a partir do seu celular, mesmo estando a quilômetros de casa.

O que esperávamos no século passado e o que provavelmente está se tornando realidade?

Agora, vamos fazer uma comparação entre o que era imaginado no século passado nos mais diversos desenhos, filmes e livros, o que realmente já alcançamos e o que ainda parece ser sonho futurista.

Os Jetsons

Há décadas, temos acesso a vários modelos de futuro a partir de filmes e desenhos animados. “Os Jetsons” talvez seja o exemplo mais completo. Nele, podemos ver apartamentos e casas elevadas a centenas de metros do solo, pois o ar ficou tão poluído aqui embaixo que a humanidade teve que construir moradias acima das nuvens.

Além disso, vemos robôs executando as tarefas de chão de fábrica e até mesmo cuidando das tarefas domésticas — como é o caso da Rose, que de tão afetuosa, passou a fazer parte da família. Mas o que fascinava mesmo eram os carros voadores. Os robôs, aparentemente, se tornarão realidade nas próximas décadas, já os carros voadores ainda estão longe da realidade.

AI – Inteligência Artificial

Nesse filme, a robótica avançou tanto que tornou-se possível criar androides avançados capazes de imitar perfeitamente as emoções humanas. Assim, um casal com um filho extremamente doente, resolve comprar um robô infantil para substituir a criança, um robô programado para amar os pais eternamente. Porém, em determinado momento, eles abandonam o robô, que continua amando-os, pois foi programado para tal.

Com esse enredo, é possível levantar um questionamento ético sobre até que ponto levaremos a inteligência artificial. Entretanto, não precisamos nos preocupar com isso agora; afinal, ainda nem conseguimos fazer com que os robôs desenvolvam uma linguagem natural.

Admirável Mundo Novo

Neste livro, a tecnologia avançou a tal modo que criou uma sociedade extremamente hedônica baseada em um sistema de castas. Para manter a produtividade, as pessoas eram proibidas de ter relações amorosas e a reprodução era inteiramente feita in vitro. Quando tivessem sentimentos negativos, as pessoas deveriam tomar um medicamente chamado “Soma”, que proporcionava prazer instantaneamente.

Nas castas, temos os alfa que ficavam com as atividades de comando e gerenciamento da sociedade, ao passo que os gama fariam as atividades mais simples, como limpeza das ruas. Cada uma dessas castas era desenvolvida com engenharia genética para desempenhar somente suas funções, sem nenhuma chance de ascensão.

A obra vêm criticar o uso da tecnologia. Na atualidade, é preciso que também reflitamos sobre seu uso para aprimorar a produtividade humana, desde que sempre focados no direito universal da dignidade. Além disso, os medicamentos devem nos auxiliar a viver uma vida mais saudável, em vez de substituir experiências e emoções.

Agora que você já sabe o que é futurismo, entende também que pensar sobre o futuro não é somente se maravilhar com as novidades tecnológicas, mas também refletir sobre as consequências éticas do desenvolvimento tecnológico. Afinal, mesmo que seja possível viver nas nuvens como nos Jetsons, isso não é uma carta branca para poluirmos o solo. Da mesma forma, não é porque criamos robôs cada vez mais parecidos com humanos que também vamos utilizá-los como escravos.

Concorda?

mercadoMercado
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Futuro do Trabalho Trabalho a distância é para todos?
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Futuro do Trabalho Desmistificando o nomadismo digital
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]