A nova tecnologia 5G promete revolucionar a conexão móvel com a internet e causar grandes impactos em praticamente todos os setores econômicos. Estamos num período de antevermos novas possibilidades e demandas que surgirão em função dessa internet incrivelmente mais rápida que suas predecessoras. 

A expectativa é de que o 5G no mercado imobiliário também traga profundas mudanças, e as adaptações são iminentes. Para entender um pouco mais sobre o assunto, acompanhe este artigo e fique por dentro das novidades. 

Qual é o impacto do 5G no mercado imobiliário?

A tecnologia 5G, ou quinta geração da internet móvel, é uma rede sem fio (wireless) com uma velocidade, no mínimo, dez vezes superior à da atual 4G. Seu gasto de energia é aproximadamente 90% menor e permite que a duração da bateria dos dispositivos seja mais duradoura. Outra vantagem dessa rede é um alto índice de conectividade, sem queda de performance.

Como se trata de uma rede wireless, cuja infraestrutura necessária nos edifícios é menos complexa, ela deve substituir os cabos de fibra ótica. Assim, trará mais flexibilidade, eficiência e economia na comunicação e na troca de dados. Com tais qualidades, podemos concluir que a rede da quinta geração de internet móvel, sozinha, será suficiente para as operações de toda uma empresa.

E quais inovações podemos esperar do 5G no mercado imobiliário? Primeiro, agilizará processos internos das companhias e otimizará a experiência do cliente, permitindo uma comunicação praticamente em tempo real. Além disso, podemos prever uma série de mudanças nos padrões e utilização dos imóveis.

Como funciona sua transmissão e quais são as adequações necessárias?

O 5G utiliza ondas de rádio de alta frequência (superiores às do 4G), as quais suportam um grande volume de informações. Além dessa característica, suas ondas são mais curtas, o que requer antenas menores, porém, em maior quantidade. Mesmo aproveitando as grandes torres de transmissão já existentes, será necessário implantar uma nova infraestrutura para acomodar o crescente número de equipamentos.

Dessa forma, todo um mercado de locação de espaços para a instalação das antenas, principalmente no topo dos prédios, deve surgir nos próximos anos. Proprietários poderão gerar uma renda passiva e negociar valores com as empresas de telecomunicação. Tudo isso em função do tamanho dos equipamentos instalados, superfície ocupada e condições de acesso.

Por outro lado, essa tecnologia ainda vai necessitar de recintos para os seus servidores. Sabemos que o volume de dados e informações armazenados vem subindo exponencialmente. Espera-se que sejam criadas micro centrais de data base espalhadas pela cidade, impactando e aumentando a demanda no setor imobiliário.

Mudança nos padrões de construção

Uma desvantagem dessa nova rede é que os sinais de rádio não conseguem passar facilmente através de qualquer material. Concreto, aço e vidro reforçado, muito presentes nas construções brasileiras, são os principais entraves. Ainda não se sabe ao certo como os proprietários pretendem fazer as adaptações necessárias. Mas, sem dúvidas, eles terão que se preparar para um investimento que contorne o problema.

Muitos já estudam como realizar tal transformação. Por exemplo, acrescentar antenas dentro dos prédios ou criar sistemas para ambientes fechados podem ser soluções cabíveis.

Existe um novo paradigma também para aquelas empresas que prestam serviços disponibilizando espaços para o funcionamento de terceiros. O desenvolvimento de ambientes inteligentes, com maior valor agregado, principalmente em locais de coworking, deve ser o diferencial daqui para frente.

Outra modificação é que a construção civil será cada vez mais viável por meio remoto. Ou seja, operar uma máquina pesada de qualquer lugar do mundo será uma prática cada vez mais comum. Nesse sentido, as empresas de engenharia também já arquitetam o que irão fazer. Utilizar a inteligência artificial para diminuir custos de mão de obra e aumentar a segurança será condição básica para manter-se vivo nos negócios.

Crescimento da IoT

Poder acender as luzes da sua casa via mobile, antes mesmo de você chegar a ela, ainda é considerado um luxo. Contudo, daqui a alguns anos isso será mais comum do que imaginamos. A isso damos o nome de Internet das Coisas, ou “IoT” (Internet of Things). Em suma, são todos aqueles objetos que têm conexão com a internet, além do seu computador e do seu smartphone, e que funcionam de maneira sincronizada.

Mais do que fornecer conforto e comodidade, a Internet das Coisas torna as tarefas do dia a dia muito mais ágeis e eficientes. Podemos esperar, então, que as construções possuam todo um sistema de iluminação, segurança, temperatura e câmeras conectado à internet. 

Além disso, hoje em dia já existem geladeiras que conseguem criar alertas para os vencimentos dos alimentos. Assim como lâmpadas com câmeras acopladas, as quais permitem que você monitore o seu pet quando não estiver por perto. Dessa forma, imagine o que mais será possível; acontecerá uma reforma também em nossos costumes e padrões sociais.

Logicamente, tudo isso demandará muita análise, pesquisa e capital aplicado. Neste cenário, a tecnologia 5G no mercado imobiliário chega para acelerar todos esses processos de transformação digital e atender aquilo que se tornará uma necessidade vital.

Relacionamento com o cliente

A internet 5G no mercado imobiliário também vai propiciar uma maior qualidade e agilidade no atendimento ao cliente. As visitas presenciais aos imóveis já têm sido substituídas pelos tours virtuais, que, por sua vez, darão espaço à experiência da realidade virtual ou da realidade aumentada

Como consequência, os processos de locação e venda se tornarão mais simples e claros. O reconhecimento de voz também estará mais presente nas buscas por imóveis e em um primeiro contato com a empresa. Toda a parte burocrática também deve ser afetada. Podemos citar como exemplo a tecnologia blockchain, que funciona como uma espécie de livro contábil virtual, com informações públicas e compartilhadas. 

Com a utilização do 5G no mercado imobiliário, a blockchain deve ampliar o seu alcance, tornando-se disponível nos smartphones. Isso permitirá a elaboração de contratos inteligentes, processos de financiamento muito mais rápidos e quiçá, a substituição total dos cartórios.

Portanto, vimos que a evolução para a nova rede de internet deve causar inúmeros impactos nossas vidas. Afinal, o 5G no mercado imobiliário também trará muitas novidades e será necessário estar atualizado e precavido para poder se manter nos negócios.

Você quer estar à frente de seu tempo e não ser engolido pelas novas tecnologias? Conheça mais sobre os nossos serviços, e fique por dentro das inovações do mercado imobiliário.

Eduardo Barbosa

Profissional com mais de 25 anos de experiência em finanças, desenvolvimento de negócios, reestruturação e mudança organizacional. Como CEO da Brognoli Negócios Imobiliários desenvolve trabalhos com forte impacto no segmento imobiliário, atuando com foco em processos de transformação digital e crescimento acelerado. Nos últimos anos, Eduardo também tem ajudado novos empreendedores com mentoring, palestras, artigos, conselhos e conexões, buscando viabilizar a escalabilidade destas. Tem uma intensa e longa experiência como professor na área de mercado de capitais e Economia Comportamental.

imobiliariasImobiliárias
e-Commerce Transformação Digital Varejo Vendas Com pandemia do coronavírus, e-commerce dispara no Brasil
ABOUT THE SPONSORS
Bloco

O Bloco é uma iniciativa da Brognoli para a inovação do Mercado Imobiliário. O Bloco nasceu com o objetivo de auxiliar empresas do setor imobiliário a desenharem novas propostas de valor e experiências positivas para os consumidores por meio de conexões entre o ecossistema de inovação.