Você já ouviu falar em Lean Inception? As empresas que trabalham com produtos digitais necessitam apresentar soluções e produtos cada vez mais rapidamente para se manter competitivas.

Contudo, as metodologias de criação existentes hoje não atendem a essa demanda, fazendo com que as organizações percam tempo e dinheiro. Quando finalmente conseguem entrar no mercado, pode ter sido tarde demais.

Este artigo tem como objetivo demonstrar o que é o Lean Inception, como ele funciona, quais os resultados esperados com sua aplicação e apresentar um caso de uso em que a metodologia foi aplicada com sucesso. Acompanhe!

Método Lean Inception

O modelo de colaboração para a criação de produtos não é novo. Diversas empresas, principalmente pequenos negócios que precisam de uma orientação, como as Startups, buscam por especialistas na hora de criar de seus modelos de negócios, produtos ou serviços.

Contudo as metodologias existentes estão se tornando inviáveis, uma vez que, em um mundo cada vez mais conectado por conta da transformação digital, levar algumas semanas de desenvolvimento para se atingir um objetivo é praticamente uma eternidade.

O criador do método Lean Inception, Paulo Caroli, visualizou no conceito de Mínimo Produto Viável a inspiração para o que viria a se tornar sua metodologia, criando um ciclo de colaboração muito mais eficaz e rápido.

O MVP, sigla em inglês para Minimum Viable Product, é uma versão simples para um produto que pode ser negociado sem problemas. Ou seja, ele determina quais são as características básicas necessárias ao produto funcional para que ele agregue valor e possa ser comercializado pela empresa – para, em seguida, receber upgrades de acordo com os feedbacks dos early adopters (primeiros usuários do produto).

Podemos, então, conceituar a metodologia de Lean Inception como um método de criação de produtos de forma colaborativa, no qual o foco principal é obter o MVP, enxugando todo o processo.

Funcionamento

O problema principal da criação de produtos tradicional é tomar muito tempo e, consequentemente, muitos recursos da empresa, fazendo com que muitas vezes seja perdido o time-to-market.

Ou seja, quando o produto é finalmente finalizado, o mercado já não está com uma grande demanda dele, ou ela já foi suprida por outra solução, fazendo com que o retorno esperado despenque.

Esse problema é ainda mais acentuado no mercado de produtos digitais, no qual todos os dias surgem novas tecnologias. Sendo assim, qualquer empresa que busque ser competitiva não pode se dar ao luxo de perder tempo em desenvolvimento de soluções.

A ideia do Lean Inception não é desenvolver a solução, mas sim criar o esboço do que ela será e fazer isso em um prazo máximo de apenas uma semana, enxugando ao máximo o produto e sem foco em funcionalidades que não são necessárias.

O recrutamento

O processo de Lean Inception deve ser colaborativo. Para que ele obtenha sucesso, é preciso reunir o máximo de interessados no produto final como os desenvolvedores, gerentes e diretores, stakeholders e quem mais for participar de alguma forma do desenvolvimento da solução.

Além disso, o poder de decisão deve estar na mão de alguém, ou seja, uma pessoa dentro do grupo deve ser responsável por “bater o martelo” e encerrar discussões que possam se estender e fazer com que se perca tempo.

As ferramentas

Para o desenvolvimento de uma ideia sobre o MVP, a metodologia de Lean Inception utiliza-se de diversas ferramentas de criação colaborativa, como Brainstorming e Design Thinking.

Dessa forma, todos os envolvidos podem colaborar com ideias para o produto final, sendo que cada um dos insights é analisado rapidamente por todo o grupo e apenas os essenciais são levados a frente.

A criação do projeto

Outro ponto essencial no Lean Inception é a criação do projeto em que será aplicada a metodologia. Alguns gestores podem ter a ilusão de que é possível aplicar o método em um projeto que não está progredindo como forma de acelerá-lo.

Infelizmente, para que a metodologia funcione, é preciso sempre começar os projetos do zero, sem que nenhuma atividade tenha sido feita, pois apenas dessa maneira as ideias fluirão de forma natural no grupo.

Os problemas

Em um primeiro momento, o foco de todo o grupo reunido para a criação do produto deve ser os problemas enfrentados e que devem ser resolvidos por aquele novo ativo. Aqui são realizadas as apresentações, a explanação dos problemas, definição das personas e o fechamento sobre tudo o que foi dito.

As soluções

Em um segundo momento, após a definição exata de todos os problemas enfrentados, é o momento de criar uma visão de produto que busque resolver os pontos encontrados. Aqui é definido o que o produto é e o que ele não é, o que deve fazer e o que não deve, até que um rascunho de MVP seja formulado e aprovado pela maioria.

Resultados

O principal resultado da aplicação da metodologia de Lean Inception, desenvolvida por Paulo Caroli, é a diminuição do tempo hábil para a criação de produtos digitais, algo essencial para empresas que atuam no setor de tecnologia e precisam de respostas rápidas para o mercado.

A consequência dessa agilidade é a economia de recursos financeiros e de tempo, uma vez que as empresas respondem rapidamente aos anseios de seu público-alvo e necessitam de menos investimentos para isso.

É claro que o MVP não é o ponto final do desenvolvimento do produto. Após sua finalização e comercialização, parte-se para os estudos de outras necessidades do consumidor final a fim de criar algo de mais valor e evoluí-lo.

Contudo o MVP prioriza o essencial e auxilia as empresas a criarem um produto que já pode ser comercializado mais rápido e atenda a todas as necessidades básicas de seus clientes.

Case Luíza Labs

O Magazine Luíza é uma das maiores empresas atuantes no setor de varejo hoje e conta com uma grande presença digital, liderando a corrida por inovação dentre as suas concorrentes.

A empresa conta com o Luíza Labs, uma fábrica de desenvolvimento de produtos digitais e tecnologia para as suas plataformas de vendas. O laboratórios é o principal responsável pelas inovações dentro da gigante do varejo.

Atualmente, o time de desenvolvedores do Luíza Labs implantou o Lean Inception como a sua metodologia de trabalho para a criação de novos produtos digitais, tanto para clientes externos como para o público interno.

A equipe vem adaptando o método para a sua realidade e hoje já é capaz de criar novos produtos e encontrar a solução para seus problemas em um ciclo de apenas 2 dias, melhorando ainda mais o seu poder de resposta as variações do mercado.

A metodologia de Lean Inception é uma ótima maneira de startups criarem seus produtos digitais de forma enxuta e rápida, sem perder tempo com funcionalidades que não serão utilizadas, garantindo, assim, melhores resultados.

Para continuar aprendendo, confira agora os impactos das metodologias ágeis na Transformação Digital impactos das!

gestaoGestão
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Transformação Digital Transformação dos negócios: qual caminho devo seguir?
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Tecnologia O impacto da Inteligência Artificial na produtividade empresarial
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]