Exemplos de cidades inteligentes no Brasil que vão te dar orgulho

Conheça os principais exemplos de cidades inteligentes no Brasil

Cidades inteligentes são uma realidade que pode até parecer um pouco distante, mas que evolui rapidamente e desponta-se como um caminho a ser seguido no desenvolvimento de centros urbanos em todo o mundo.

Existem, inclusive, alguns exemplos de cidades inteligentes no Brasil, que podem surpreender pela criatividade das soluções para uma utilização mais eficiente dos recursos disponíveis, reduzindo o impacto das nossas vidas no meio ambiente por meio da transformação digital.

Desde a Smart City Laguna, conhecida como “smart city social”, até cidades como Cajamar, no interior de São Paulo, podemos listar uma série de municípios brasileiros com iniciativas espetaculares na busca por melhores condições de vida para as pessoas com o mínimo impacto ambiental possível. Vamos a eles!

Conheça algumas cidades inteligentes no Brasil

Smart City Laguna, uma smart city social

De fato, Smart City Laguna é um dos melhores exemplos de cidades inteligentes no Brasil, com um projeto direcionado para a sustentabilidade e a qualidade de vida dos seus habitantes. E não é só isso: a acessibilidade é prioridade nessa cidade, que é considerada uma smart city social!

Localizada no distrito de Croatá, município de São Gonçalo do Amarante, no estado do Ceará, a Smart City Laguna foi projetada sobre quatro pilares: Ambiente Construído, Sistemas Tecnológicos, Recursos do Ecossistema e Pessoas. Por isso, é uma proposta única de cidade inteligente, já que, ao contrário de quase todas as smart cities de que se tem conhecimento, Laguna foi pensada para ser inclusiva e acessível.

Leia também: Desafios da Transformação Digital no turismo e hotelaria

A ideia é a de ter casas em lotes a partir de 150 metros quadrados que poderão ser compradas a partir de R$ 110 mil, e a cidade será aberta a todos, nada parecida com o “condomínio fechado” que se imagina ao falarmos sobre esse tipo de empreendimento.

Será possível circular por toda a cidade usando uma abrangente e segura rede de ciclovias, mas, na prática, isso não vai ser necessário. O projeto prevê áreas residenciais próximas das empresas e do comércio, minimizando a necessidade de grandes deslocamentos diários. Pedestres são mais valorizados do que os veículos nesse tipo de cidade, principalmente considerando o aspecto social de Smart City Laguna.

Além disso, como se espera, em uma cidade inteligente, tudo funcionará com um aplicativo que pode simplificar a vida dos moradores. Mas o seu uso vai além de simples utilidades automatizadas em soluções tecnológicas dessa smart city. Os habitantes terão não só informações detalhadas sobre os gastos da sua casa, mas também sobre o que é consumido na manutenção da cidade inteira.

Os sensores presentes em quase tudo, desde postes de luz e lixeiras até serviços públicos, demonstrarão a economia alcançada por meio das rotinas automatizadas nesse painel de controle acessível a todos os moradores. Essa economia será direcionada para melhorias na estrutura e nos serviços oferecidos.

Entre os recursos do aplicativo da Smart City Laguna, existe um botão de emergência para o caso de urgências e outras necessidades médicas, que está integrado ao sistema de saúde da cidade.

Outras funções são: controle de gastos residenciais, sistema de compartilhamento de carona, trocas de livros, empréstimo de bicicletas, compartilhamento de comida, sistema de oferta e procura de trabalho, entre outros. Esse app unificará toda a tecnologia empregada na cidade no smartphone dos cidadãos moradores de Smart City Laguna.

Pedra Branca, uma cidade criativa

Outro exemplo brasileiro é a chamada cidade Pedra Branca, que, na verdade, é considerada uma “cidade-bairro” no município de Palhoça, na grande Florianópolis, Santa Catarina.

Construída onde antes era uma bela fazenda familiar, ela foi criada como um loteamento residencial em 1999.

Pedra Branca tem como prioridade a localização do comércio varejista, do lazer, da educação e da prestação de serviços, sempre a distâncias pequenas de onde as pessoas moram, para que todos os deslocamentos possam ser feitos de bicicleta ou a pé.

A cidade Pedra Branca busca o ideal de uma localidade onde as pessoas possam viver, trabalhar e divertir-se sempre em locais próximos, priorizando a qualidade de vida dos seus felizes moradores.

No ano de 2013, foram entregues os dois primeiros quarteirões de uso misto — o que significa que escritórios, lojas e apartamentos estão distribuídos em dez edifícios, além de mais dois condomínios e dois prédios de escritórios.

O projeto chamado “Masterplan Pedra Branca”, que é o desenvolvimento do potencial urbanístico de Pedra Branca até o ano de 2020, foi feito com a participação de 11 dos mais renomados escritórios de arquitetura e urbanismo do mundo, junto a consultores do Brasil, como Jaime Lerner, e de outros países, como o arquiteto Jan Gehl.

Veja outros exemplos de cidades inteligentes

A consultoria Urban Systems, que é uma empresa especializada na análise demográfica e em mapas digitais, publicou um ranking com as cidades mais inteligentes do Brasil sob alguns critérios que levam em consideração a capacidade de cada uma delas em alinhar seu desenvolvimento econômico ao planejamento urbano.

Assim como nas consideradas smart cities, o foco é destacar a sustentabilidade e a qualidade de vida dos seus habitantes, aliada à redução da “pegada ecológica” de cada uma delas.

Santos é destaque no urbanismo

Com modernas leis de ocupação dos seus espaços, Santos (SP) tende a se tornar ainda mais inteligente e talvez venha a ser um modelo nesse sentido, devido ao plano de um novo centro que conta com a integração de trânsito, segurança e outros serviços públicos para os seus moradores.

Rio de Janeiro na ponta da tecnologia e da inovação

A infraestrutura de suas instituições de ensino superior, a construção de um ambiente favorável à inovação e a presença de instituições de apoio à tecnologia deixam a capital do RJ na ponta desse critério avaliado pela Urban Systems.

São Paulo demonstra sua alma empreendedora

O programa Empreenda Fácil, que promete reduzir para sete dias o tempo gasto na abertura de empresas (atualmente esse processo pode levar cerca de 100 dias) é um dos fatores que levou a capital paulista à frente das melhores cidades brasileiras no critério de empreendedorismo.

Belo Horizonte é destaque positivo para o meio ambiente

Conhecida também como “cidade jardim”, Belo Horizonte faz valer seu título pelos bons índices de saneamento urbano e coleta pública de lixo. BH também se orgulha da alcunha de “capital solar do país”, tendo como destaque o uso de energia solar no famoso estádio do Mineirão.

Entenda os grandes investimentos na área

Apesar de se valer muito das soluções criativas para questões urbanas, não há cidade inteligente que se desenvolva sem grandes investimentos em tecnologia. Só no Brasil, o desenvolvimento e a aplicação de tecnologias voltadas para smart cities devem movimentar US$ 59 bilhões nos próximos anos!

Isso se deve à grandiosidade dos projetos dessa área. Por exemplo, os smart grids servem para avaliar e direcionar, de maneira otimizada, o fornecimento de energia das grandes cidades, o que pode representar economia na casa dos milhões de reais para a administração de uma localidade em pouco tempo.

De qualquer forma, de nada adianta fazer investimentos volumosos como esses se as políticas públicas não andarem de mãos dadas com a tecnologia e a inovação, já que todos esses projetos exigem uma visão de longo prazo para se tornarem viáveis, fazendo dessas cidades mais sustentáveis e socialmente desenvolvidas como se espera.

Esses são os principais exemplos de cidades inteligentes no Brasil. Tudo isso nos faz pensar mais sobre a evolução dos centros urbanos por meio da tecnologia e da sustentabilidade, não é mesmo?

Outro artigo muito interessante sobre o tema é o nosso artigo chamado: Smart Cities: como a Transformação Digital pode melhorar as cidades — vale a pena conferir!

Imagem: Instituto Planet