Segundo dados de pesquisa apurados pelo site VPN Mentor, o segmento de usuários que mais cresce na internet é o de pessoas que usam mídia social em dispositivos móveis.

Em 2018, nada menos que 5,13 bilhões de pessoas eram usuários da internet por meio de dispositivos móveis. Desse total, quase 3 bilhões acessam as mídias sociais via mobile.

E os números não param por aí. No Brasil, 1 em cada 3 pessoas já usa o smartphone para acessar a rede mundial de computadores. E, no mundo, mais da metade do tráfico na internet é realizado pela internet móvel.

Nos EUA, desde de 2017 o acesso à internet via dispositivos móveis superou o desktops com o mesmo fim.

E se esses números impressionam, você precisa conhecer mais alguns. Pesquisa do SPC Brasil revelou que em nosso país 38% da população usa o smartphone para comparar preços na internet, 32% para pesquisar serviços, 14% para fazer pagamento e 78% para fazer compras.

E mais: segundo a pesquisa da Opinion Box, 85% das pessoas estão satisfeitas com o m-commerce.

M-commerce?

M-commerce significa mobile commerce, sendo um termo usado para designar o comércio digital feito via dispositivos móveis.

Neste post, você vai entender melhor o que é m-commerce, como são realizadas as vendas mobile e se esse tipo de e-commerce pode ser usado em empresas B2B.

Este post também pode interessar a você: Descubra tudo que um chatbot para vendas pode fazer para você faturar mais

O que é m-commerce, afinal?

Ok, parece que já está claro para você o que é m-commerce, mas sempre é válido ir um pouco mais a fundo nesse tipo de definição de comércio digital.

Por isso, compartilhamos com você algumas características que deve ter em mente para entender definitivamente o que é m-commerce:

  1. É uma abreviação da expressão mobile commerce;
  2. Trata-se da compra e venda de bens ou de serviços através de dispositivos móveis;
  3. Dispositivos móveis (mobile) são aqueles que não usam fio para acessar a internet, como tablets e smartphones;
  4. É realizado por meio de canais de venda digitais, como marketplaces, lojas online, apps e até mesmo com links em redes sociais.

Pronto, agora o seu entendimento sobre o que é m-commerce ficou bem mais completo!

Quais as vantagens do m-commerce?

As vantagens do m-commerce são muitas, a começar pelo grande número de usuários que você não atingiria se restringisse sua atuação ao e-commerce tradicional, isto é, sem estar adaptado para dispositivos móveis.

Assim, seu cliente pode pesquisar seus produtos e serviços onde e quando quiser. E se isso é bom para empresas B2C, também é muito interessante para o B2B. 

Afinal, cada vez mais as pessoas estão enfrentando rotinas de trabalho corridas. Assim, poder usar o smartphone para procurar as soluções que precisam para suas empresas em momentos em que estão distantes de um desktop faz todo sentido.  

Isso acaba se tornando um momento de distração quando se está no Uber ou aguardando o embarque em um aeroporto. Trata-se de uma atividade de trabalho, é claro, é mais leve e facilmente executável com um smartphone.

E se você contar com um app de vendas da sua empresa como uma experiência de usuário agradável e boa usabilidade (veja o exemplo da Apple Store), isso pode até se tornar uma atividade preferencial para seus clientes durante esses momentos de intervalo entre tarefas.

Vale lembrar também que o marketing de conteúdo é uma das táticas de atração e conquista de leads mais usadas no B2B, principalmente para produtos e serviços de venda complexa e consultiva.

Por isso, ter uma presença de qualidade em dispositivos móveis é fundamental para auxiliar no processo de fechamento de vendas. Afinal, se seus clientes são atraídos para seu blog, em grande parte dos casos, através do mobile, contar com links de conversão nesse canal pode fazer toda a diferença!

Não se esqueça da análise de dados! 

As novas tecnologias que estão sendo trazidas pela transformação digital nas empresas, como o Big Data, a Inteligência Artificial e o aprendizado de máquina criam oportunidades incríveis para o m-commerce. 

Assim, mesmo não gerando um grande número de conversões, o m-commerce pode ser uma excelente fonte de dados e insights para o seu negócio.

Por isso, não deixe de empregar o m-commerce para potencializar a inteligência de dados em sua operação comercial.

O B2B no m-commerce não são apenas produtos, lembre-se disso!

Pode parecer que fazer venda B2B por meio do m-commerce não seja a plataforma ideal.

Mas entenda que não se trata apenas de vender produtos e serviços por meio de marketplaces ou lojas virtuais.

A maneira como o m-commerce interage com as empresa é bem mais rica do que isso. Veja alguns exemplo de estratégias de sucesso que já estão sendo empregadas por diversos segmentos no m-commerce B2B.

1. Plataformas de e-procurement

De um lado, empresas que procuram produtos e serviços de qualidade. Do outro, fornecedores desses produtos e serviços.

Plataformas desse tipo integram as duas pontas da cadeia de suprimentos. Assim, oferecem a possibilidade dos compradores de uma empresa encontrarem serviços e produtos de qualidade por um bom preço e, da mesma forma, um espaço de divulgação para os fornecedores. 

2. Serviços de cartório digital

Não apenas a certificação de assinaturas digitais, mas também o envio de certidões e outros títulos públicos por meio de sua solicitação online em um app especialmente desenvolvido para isso.

Assim, a empresa ganha tempo e agilidade, sem a necessidade de se dirigir ao cartório para providenciar essas documentações.

3. Serviços de conta corrente pessoa jurídica

Quando o financeiro da empresa faz uma TED, ele não deixa de estar usando o m-commerce para realizar uma transação e pagar uma taxa por ela.

Isso sem falar em diversos outros serviços bancários que são realizados dessa forma todos os dias por milhares de empresas.

4. Entrega de produtos e documentos

A Loggi é um dos maiores exemplos de m-commerce nessa área de atuação, atendendo tanto B2B como B2C.

A empresa fornece serviços de entrega de documentos (motoboy), delivery para restaurantes e também entregas para e-commerces.

5. Serviços de TI

Suporte e assistência técnica terceirizada na área de TI é outra área que tem se destacado no m-commerce B2B.

A Encontre um Nerd é um exemplo de site de crowdsourcing nessa área, conectando pequenos empreendedores com grandes empresas que precisam de suporte e assistência técnica na área de tecnologia da informação.

6. Limpeza de escritórios

Outro serviço B2B que tem se mostrado bastante ativo no m-commerce é a limpeza de escritórios. Mais uma vez, são sites de crowdsourcing que proporcionam essa ponte entre empresa e microempreendedores que se dedicam ao serviços de limpeza.

Veja um exemplo aqui: Blumpa

7. Capacitação e cursos online

Cursos de capacitação online são uma ótima opção para empresas que querem manter suas equipes preparadas para desempenhar suas tarefas com o máximo de qualidade.

E, hoje, existem diversos marketplaces e e-commerces especializados em oferecer esse tipo de serviço, seja por meio de sites ou, no caso do m-commerce, em aplicativos móveis, o chamado mobile e-learning.

8. Transferência internacional de valores

Transferir dinheiro de uma conta corporativa para outra pode ser complexo, burocrático e demorado. Mas não se você usar aplicativos de transferência internacionais de valores, como o RemessaOnline.

Basta se cadastrar na plataforma e enviar alguns documentos digitalizados. Em pouco tempo, tudo estará pronto para que sua empresa faça as transferências de valores que necessita.

9. Aplicativos de empréstimos

Atualmente, existe uma grande variedade de aplicativos que permitem às empresas captar recursos financeiros via empréstimos.

Nem sempre são bancos tradicionais que disponibilizam esses recursos, podem ser fintechs, por exemplo, empresas que usam a tecnologia para disponibilizar serviços bancários mais ágeis e baratos.

10. Feiras e eventos corporativos

É muito importante aparecer no mercado em eventos e feiras, ou participar delas para se manter atualizado e conhecer fornecedores.

Não deixa de ser uma forma de m-commerce usar aplicativos para se cadastrar nessas feiras e pagar pela participação ou visita por meio do aplicativos online.

Ficou claro para você o que é m-commerce e como ele pode ser usado no mercado B2B?

Então, não deixe de pensar nessa alternativa como um canal de vendas para seus negócios B2B.

* Este artigo foi escrito por Júlio Paulillo, Co-founder e CMO do Agendor, a plataforma de aprimoramento em vendas para vendedores profissionais.

Júlio Paulillo

Co-founder & CMO na Agendor Júlio gosta de viver simples. Toca gaita pela manhã para começar bem o dia. Empreendedor desde cedo e apaixonado por negócios, tecnologia e vendas. Atualmente aplica seu background tecnológico nas áreas de marketing e vendas do Agendor, e acredita que todas as pessoas são vendedoras de alguma forma.

e-commercee-Commerce
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Recursos Humanos O que é Comunicação Não Violenta e como aplicá-la na sua empresa
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Imobiliárias O que os consumidores esperam hoje do mercado imobiliário?
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]