Diferentes Clouds: o que é multicloud?

Entenda o que é multicloud e como unir diferentes serviços em nuvem para criar um solução personalizada para seu negócio!

Pretendemos responder à pergunta sobre o que é multicloud com a máxima objetividade. Por isso, tratamos com brevidade esta introdução. Saiba que, para além do uso mais elementar, estamos falando de um recurso fundamental para escalar negócios e diversificar operações.

Parecem boas justificativas para se aprofundar no tema? Então, confira!

O que é multicloud?

De modo geral, a multicloud é um modelo caracterizado pelo uso de vários serviços em nuvem, ou seja, envolve diferentes provedores de hospedagem pública. A melhor forma de definir a multicloud é entendê-la considerando o contexto do ambiente de TI no qual ela está sendo usada.

É improvável pensar em um modelo operacionalizado exclusivamente na nuvem. Por isso, é necessário avaliar como todos os ambientes de armazenamento externo são gerenciados em combinação com a infraestrutura local.

Além disso, ela é uma iniciativa orgânica, ou seja, forma-se com base nas opções dos vários departamentos de uma organização. Eles vão escolher soluções cloud de acordo com suas próprias necessidades e interesses.

A Cloud Tech, uma comunidade especializada no tema, oferece uma explicação interessante. Segundo entendemos, consideram que a multicloud se refere a misturar e combinar as melhores soluções e serviços de diferentes provedores de nuvem para criar a solução mais adequada para um negócio. Por isso, ela diminui a dependência de fornecedores e aumenta a flexibilidade da empresa.

Como funciona a multicloud?

Inicialmente, muitas empresas adotaram a estratégia por questões de confiabilidade. Ela ainda é vista muito em função de evitar perda de dados ou interrupção de serviços e da operação da organização. Contudo, a solução também funciona impulsionada por objetivos mais amplos das empresas. Eles podem incluir, por exemplo:

  • o uso de serviços mais eficientes;
  • aproveitamento de velocidade;
  • aumento de capacidade;
  • atendimento de demandas sazonais;
  • utilização de recursos exclusivos de determinado provedor do serviço.

Além disso, algumas organizações adotam a multicloud para atender exigências legais, regulações e políticas próprias que exigem dados gravados em vários locais. A computação em várias nuvens garante essa flexibilidade sem necessidade de altos investimentos em estrutura.

Também é possível armazenar aplicações em locais mais próximos do usuário final ao buscar oferecer desempenho superior e melhor experiência de uso.

Quais os benefícios da multicloud?

Diminui a dependência de fornecedores

Como mencionado, a utilização de hospedagem em várias nuvens evita os problemas que decorrem da dependência de um único fornecedor desse serviço. Além de diminuir custos e reduzir os riscos causados por instabilidade nos provedores, a prática melhora a agilidade e a flexibilidade nas organizações que a adotam.

Fornece mais opções

Com várias nuvens, você pode escolher o provedor de nuvem mais adequado para oferecer suporte a determinados serviços, aplicativos e necessidades específicas de cada equipe e departamento da organização.

Melhora a presença geográfica

O uso de vários fornecedores de nuvem oferece mais opções de segmentação geográfica para gerenciar problemas de latência (que é o tempo que um pacote de dados demora para transitar de um local para outro) e atender a critérios de segurança.

Reduz os custos

Vários contratos com vários fornecedores aumentam a complexidade, mas também podem reduzir os custos. A multicloud oferece a possibilidade de contratos menos “amarrados” e aumenta o poder de negociação.

Contudo, é preciso mencionar que a maioria dos provedores oferece descontos por volume. Quanto mais você compra de determinado serviço, menor é o valor pago individualmente por ele. Por isso, essa redução de custos pode ser relativa dependendo de cada caso.

Quais os principais dados e números referentes à tecnologia?

Segundo um estudo da Microsoft e da 451 Research, quase um terço das organizações já trabalha com quatro ou mais fornecedores de nuvem. Outra análise da Dimensional Research levantou que 77% das empresas estão planejando implementar essas soluções no futuro próximo.

Ao mesmo tempo, de acordo com um relatório de 2016 da Business Cloud News (BCN), 57% das organizações não têm nenhuma estratégia multicloud, enquanto 35% não têm uma estratégia de nuvem privada e 28% não têm uma para a pública.

Talvez essa aparente incoerência tenha relação com o aspecto orgânico que mencionamos. Ou seja, várias equipes e departamentos contratam o serviço segundo seus próprios critérios, mas sem uma política geral definida pela organização.

Ainda no tocante à quantidade de empresas que utilizam o serviço, o tamanho da organização pode ser determinante na opção e nos benefícios de utilizar várias nuvens. De acordo com um relatório de 2017 da Network World, é inevitável que grandes empresas com muitas divisões, suas próprias agendas e alianças de fornecedores optem por utilizar várias nuvens.

Quais as diferenças entre multicloud e nuvem híbrida?

Para evitar confusões, vamos fazer uma rápida comparação entre a multicloud e a nuvem híbrida. Ela se refere a um ambiente de computação em nuvem que combina uma nuvem privada local e uma nuvem pública de terceiros.

Uma empresa geralmente adota a nuvem híbrida para realizar uma tarefa específica, como a capacidade de executar demandas regulares de trabalho interno e, em seguida, utilizar uma nuvem pública nos momentos de pico.

É um recurso adotado para evitar os problemas vividos com as nuvens privadas. Como vimos, a diferença é que a multicloud é uma arquitetura que usa duas ou mais nuvens públicas.

Onde se aplica a multicloud?

Atualmente, você não precisa ter domínio de um serviço para oferecê-lo a seus clientes. Ao contratar um serviço de nuvem gerenciado, poderá fornecer funcionalidades adicionais a seus clientes sem precisar contratar mão de obra ou criar uma estrutura complexa.

Ao mesmo tempo, enquanto as nuvens gerenciadas cuidam de unidades específicas, outras podem atendê-lo melhor para fins de segurança ou processamento. Como os provedores de serviços em nuvem estão trabalhando para tornar a alternância entre nuvens cada vez mais eficiente, a tendência é de que ela passe a ser utilizada de forma cada vez mais diversificada.

Um bom exemplo é relativo à IoT. Os provedores estão se estruturando para gerenciar dados de sensores e devices e, desse modo, oferecer uma solução de suporte fundamental para essas aplicações, principalmente no que se refere à segurança, controle e análise.

De outro lado, a multicloud também viabiliza o armazenamento de grande volume de dados necessários para o uso de big data. De modo geral, as empresas em processo de assimilação da transformação digital podem usar esse recurso para se modernizar e aumentar a capacidade e a agilidade de suas áreas de TI.

No caso da inteligência artificial, os provedores estão prontos para oferecer tecnologia avançada e escalável por meio de plataformas prontas. Elas oferecem soluções que, para a maioria das empresas, são inviáveis para ser estruturadas individualmente.

Apesar disso, construir uma implementação multicloud não deve ser uma decisão impulsiva. Por exemplo, como estamos falando de uso combinado de diferentes estruturas, podem existir problemas de incompatibilidade tecnológica. Por isso, além do conhecimento sobre o que é multicloud, é fundamental uma análise técnica prévia.

Ainda temos importantes informações sobre o tema para o seu conhecimento. Para isso, leia a postagem complementar sobre o que é cloud computing e como ela vai afetar o nosso futuro.