Como a Inteligência Artificial gera valor para negócios e clientes

como-a-inteligencia-artificial-gera-valor-para-negocio

Décadas atrás, a Inteligência Artificial (IA) era vista como uma utopia por muitos profissionais. Na atualidade, ela finalmente oferece resultados práticos de produtividade. No entanto, muitos ainda se perguntam: como a Inteligência Artificial gera valor?

Os resultados do uso de IA já podem ser observados em soluções aplicadas em diversos campos, como na gestão de estoques, atividades preditivas e até nos carros autônomos. Ao mesmo tempo, como tudo que é novo, a utilização da IA demanda por aprendizado e isso é evidente quando pensamos na geração de valor.

Pensando nisso, explicaremos um pouco mais sobre a Inteligência Artificial, os valores gerados por ela e como proceder para agregar seus benefícios!

Qual o contexto atual de utilização da IA?

Um ótimo artigo da Mckinsey revela um crescimento exponencial no volume de dados que alimenta a IA. São bilhões de gigabytes todos os dias coletados por meio de dispositivos em rede — de navegadores a sensores de IoT.

Ainda segundo os dados apresentados pela consultoria, esse crescimento já gerava entre US$ 26 bilhões e US$ 39 bilhões em 2016, o que corresponde a um crescimento de 300%. Em sua maior parte, os investimentos em IA correspondem a gastos internos de P&D (Pesquisa & Desenvolvimento).

O artigo também aponta para o fato de que os primeiros adeptos da IA tendem a pertencer ao segmento tecnológico. Isso significa que há um amplo mercado de expansão para escalar a IA em outros segmentos. Além disso, estão claramente identificados os benefícios de aumento de receita, redução de custos e apoio às decisões executivas como principais motivações.

As empresas pioneiras na utilização dessa tecnologia já apresentam resultados positivos. Com o aumento da capacidade de combinar inserção digital com estratégias proativas, elas conseguem maior lucratividade e um nível de competitividade superior, com tendência de crescimento nos próximos anos.

É importante ressaltar que essa realidade demonstra a existência de uma lacuna entre os primeiros adotantes e os tardios. Mais do que isso, a tendência é que a lacuna aumente. Enquanto as organizações que se adiantaram no desenvolvimento e aplicação da IA já começam a colher os frutos desse investimento, resta às outras “correr atrás do prejuízo”, o que, ao menos momentaneamente, as coloca em desvantagem competitiva.

Quais os valores podem ser gerados pala IA?

Conforme dissemos, o aumento de competitividade e de lucratividade são os valores principais gerados pela IA. Contudo, essa constatação é elementar e genérica. Por isso, vamos encontrar ganhos de valor mais específicos.

Quando começamos a usar a tecnologia em sistemas de CRM e de gestão, contávamos com uma quantidade limitada de dados para um nível de relacionamento mais personalizado. De um modo geral, as empresas conseguiam identificar o extrato de consumidores que entregava maior retorno e passaram a atendê-los com mais atenção.

Por exemplo, em alguma medida, um supermercado poderia oferecer um atendimento muito próximo ao do antigo dono de mercadinho, que conhecia seus clientes pelo nome tanto quanto sabia de suas preferências e até dos problemas mais pessoais.

Contudo, em algum momento percebemos limitações quanto às possibilidades de promover um relacionamento tão satisfatório quanto o concebido nas formulações teóricas de marketing, ao mesmo tempo em que o mercado mudou. Entre os maiores desafios da atualidade está o de entender o mercado como um todo e, por outro lado, responder as expectativas dos consumidores de forma única e personalizada, em um nível inimaginável naqueles tempos de adoção dos computadores pessoais.

O valor mais incrível gerado pela a IA é justamente a capacidade de processar um mar de informações e aplicá-las pontualmente. Combinada com a inteligência humana, ela entrega uma capacidade de predição e precisão que potencializam significativamente as ações proativas.

A velocidade e a capacidade de reação assumem uma dinâmica mais compatível com a do mundo atual. Em termos comparativos, podemos dizer que a IA está entregando para a Inteligência de Negócios o mesmo nível de produtividade proporcionado pela automação das operações industriais e administrativas. Isso não significa que essas áreas também não se beneficiem. A IA também é capaz de executar tarefas de atendimento e suporte nas atividades mais operacionais.

Como a inteligência artificial gera valor?

De forma bem prática, podemos dizer que a IA gera valor ao aprender sobre detalhes de uma forma que os primeiros algoritmos foram incapazes de fazer. Por exemplo, aquele e-mail de um fornecedor que você aguardou ansioso e foi parar na caixa de spam, a IA pode identificar qual critério o colocou lá.

No reconhecimento de fala e facial IA pode, inclusive, aprender sobre nossas emoções e, em consequência, sobre os gatilhos que nos levam a adotar determinados comportamentos. Isso é fundamental para entender as reações de clientes e usuários, seja na aplicação de soluções de realidade virtual, seja em uma situação de risco em um espaço público monitorado.

Esse tipo de aplicação ajuda a máquina a melhorar seu desempenho ao receber feedback sobre ele. Isso significa que as máquinas são capazes de se tornarem melhores, assumindo comportamentos mais adequados e produtivos e, em consequência, serem mais eficazes.

Qual o futuro da utilização da Inteligência Artificial?

Voltando ao artigo da Mckinsey citado no primeiro tópico, vemos também que existe a tendência dessa tecnologia não ser compartilhada igualmente. Conforme o texto: “Empresas com sede nos Estados Unidos absorveram 66% de todos os investimentos externos em empresas de IA em 2016, de acordo com nossa revisão global; A China ficou em segundo lugar, com 17%, e está crescendo rapidamente.”

Ainda completam dizendo: “Ambos os países cultivaram “ecossistemas” de IA – grupos de empreendedores, financiadores e usuários de IA – e emitiram planos estratégicos nacionais nos últimos 18 meses com dimensões significativas de IA, em alguns casos apoiados por bilhões de dólares de iniciativas de financiamento de IA.” Eles também citam a Coreia do Sul e o Reino Unido com planos estratégicos semelhantes e alertam para necessidade de outros países adotarem a mesma política.

Desse ponto de vista, para aproveitar a forma como a inteligência artificial gera valor, as empresas precisam obter ativos digitais e agregar as habilidades corretas. De outro modo, não é razoável pensar que a IA, por si só, promova o salto esperado para além do básico no processo de Transformação Digital.

Para se aprofundar ainda mais no assunto, acesse o conteúdo: A revolução da inteligência artificial nos processos de negócio e na força de trabalho