transformação digital foi uma das principais responsáveis por trazer a IoT, juntamente com as novas tecnologias, para dentro das empresas. Contudo, estamos vendo uma nova mudança com o surgimento da Internet das Coisas Médicas, uma vertente dentro do setor de saúde.

Após a adoção da IoT pelos diversos ramos de atuação da sociedade, era natural que um movimento de adaptação de acordo com os desafios enfrentados por cada setor acabasse por acontecer.

Neste post, nós vamos falar um pouco mais sobre esse assunto, que ainda é um movimento recente em busca de melhorias de uma tecnologia que vem se consagrando dentro de consultórios e hospitais. Confira!

O que é IoMT?

A Internet das Coisas é um conceito que busca desenvolver dispositivos conectados à internet e com poder de comunicação, não apenas para o envio de mensagens, mas também para o recebimento.

Sua principal característica é a troca de informações, que tem como objetivo melhorar a gestão de um determinado sistema de que o dispositivo faça parte e também aumentar o desempenho dele por meio de dados externos.

Contudo, esse conceito está mais intimamente ligado a empresas e a maximização de produção junto com uma melhoria de resultados e receita. Quando falamos sobre saúde e aplicação de IoT, surge outro termo, com uma nova especificação.

IoMT, Internet das Coisas Médicas, pode ser tratada como uma evolução desse conceito, voltado exclusivamente para o setor de saúde. Aqui o objetivo é fornecer atendimento personalizado, com um tratamento orientado por dados por meio do uso de dispositivos adaptados aos pacientes.

As tecnologias utilizadas para alcançar essas metas podem tomar várias formas, como dispositivos móveis munidos de aplicações inteligentes, equipamentos médicos de uso doméstico, aplicativos de atendimento, kits de pronto atendimento, entre outras.

O mercado de IoMT

O mercado de IoMT está em pleno crescimento e o motivo para isso é a melhoria que essa tecnologia pode trazer para o setor de saúde, com um controle maior das condições de pacientes, garantindo mais conforto aos usuários.

Segundo dados de um relatório publicado ainda em 2016 pela Grand View Research, organização de pesquisas norte-americana, o mercado de IoMT poderá chegar ao valor de 409,9 bilhões de dólares em 2022.

Essa estimativa revela o quanto se espera dessa tecnologia e o que os especialistas estão prevendo acerca de sua implantação e adoção por grande parte dos profissionais de saúde ao redor do mundo.

Ainda segundo o relatório, um dos principais motivos para o avanço da Internet das Coisas Médicas será o aumento das doenças crônicas e o envelhecimento da população mundial, que necessitará de mais cuidados.

Como a IoMT está sendo aplicada?

Um exemplo muito comum de aplicação de IoMT em nossas vidas, que não é comumente lembrado, é o de pulseiras e relógios “fit”, que monitoram uma série de itens, como batimento cardíaco, movimentação, número de passos, entre outros.

No entanto, temos diversos outros exemplos de aplicação que já estão sendo utilizados por consultórios e hospitais para realizar um melhor atendimento de seus pacientes.

Podemos citar como exemplo a utilização de leitos inteligentes, que realizam a leitura de vários indicadores vitais do paciente, informando um sistema central sobre sua condição.

Outro exemplo é o uso de tags RFID, que permitem um monitoramento e uma gestão de ativos e equipamentos médicos por meio de radiofrequência dentro de um ambiente.

Benefícios

Existem diversos benefícios que podem ser citados quando falamos na aplicação de Internet das Coisas Médicas. Esse mercado está em pleno crescimento e as organizações que adotam a tecnologia podem contar com as seguintes vantagens:

Dados consistentes

Um dos maiores benefícios da IoMT é o acesso, por parte dos profissionais de saúde, de dados consistentes com a realidade. Um problema comum é a falta de informações sobre o paciente.

Muitas vezes, ele se dirige pouco à assistência e, com isso, não permite que sejam coletados muitos dados a seu respeito, prejudicando um atendimento mais assertivo, baseado em dados passados.

Acesso remoto

Desafogar hospitais e clínicas é outro benefício da IoMT, permitindo que pacientes possam ser monitorados por meio de acesso remoto e evitando que todos tenham de ser mantidos no ambiente da clínica ou do hospital.

Isso garante maior conforto e tranquilidade ao paciente, que poderá seguir com todas as suas atividades normalmente e, caso tenha qualquer problema, pode entrar em contato direto com algum profissional.

Atendimento personalizado

A reunião de dados consistentes e em grande quantidade por meio do uso de dispositivos implantados no paciente garante uma análise e um atendimento personalizado para cada caso.

Por meio da IoMT, os profissionais de saúde podem descobrir hábitos, problemas de saúde e outras informações que ajudem em um posterior tratamento ou até mesmo a evitar o surgimento de alguma complicação.

Feedback constante

O monitoramento facilitado por meio dos dispositivos de Internet das Coisas Médicas permite que haja um feedback constante acerca das reações do paciente em relação ao tratamento aplicado.

Sendo assim, o profissional poderá verificar em tempo real o comportamento e o estado clínico do paciente de acordo com o tratamento ministrado, decidindo entre continuar ou mudar sua abordagem.

Desafios

Mesmo em pleno crescimento, o uso de IoMT ainda é inicial, sendo que, segundo dados disponibilizados pela Nexeon Med, empresa americana de tecnologia e medicina, existem 3,7 milhões de dispositivos conectados monitorando pacientes. Porém, esse número não chega a 10% dos equipamentos médicos em utilização no mercado hoje.

Contudo, cerca de 90% dos ambientes hospitalares e clínicos contam com acesso à internet por meio de conexão cabeada ou Wi-Fi. Um dos principais desafios é inserir maiores meios de conectividade, permitindo que os dispositivos se comuniquem, e aumentar o número de equipamentos inteligentes.

Outro ponto que deve ser de grande interesse devido a sua complexidade e importância é a segurança da informação. A grande geração de dados confidenciais acerca de pacientes poderá chamar a atenção de cibercriminosos e aumentar o número de ataques em busca dessas informações.

Futuro da IoMT

Ainda vamos ouvir muito sobre IoMT e não se assuste se, em pouco tempo, você contar com algum tipo de dispositivo de monitoramento de sinais vitais implantados em seu corpo.

O mercado de IoMT vem em grande aceleração e espera-se que esse crescimento não pare tão cedo, devido ao número de doenças crônicas e ao envelhecimento da população de diversos países.

Segundo dados da ONU, o número de idosos, pessoas acima de 60 anos, vai triplicar em até 40 anos. Esses indivíduos precisarão de mais cuidados e monitoramento e é aí que entra a IoMT.

Por enquanto, esperamos que você possa ter compreendido um pouco mais acerca de Internet das Coisas Médicas, suas aplicações e expectativas para o futuro.

Quer saber mais? Então leia este próximo post e entenda como a IoT está mudando o mercado de saúde!

Esdras Moreira

CEO na Introduce Formado em Redes de Computadores, com especializações em Gestão de Pessoas, Coaching e MBA em Marketing. É co-founder da introduceti.com.br, que conduz o crescimento dos negócios através de estratégias e tecnologias. Além disso é investidor no projeto Globin.it, Middas e Grupo 3Minds.

saudeSaúde
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Mercado Uma análise sobre como serão as empresas do futuro
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Futuro do Trabalho Orgulhe-se de trabalhar em casa e afaste a Síndrome de Impostor
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]