Com as mudanças drásticas que a sociedade tem vivenciado nos últimos anos, os eventos virtuais já se tornaram realidade. Sendo um novo formato de reunir pessoas e promover ações, eles oferecem diversas vantagens. Porém, para que sejam completamente bem-sucedidos, é importante criar eventos acessíveis. 

Confira no post a seguir, por que a inclusão é um importante aspecto dos eventos atuais. Veja também como ela faz diferença para promover engajamento do público e fortalecimento de uma marca. Por fim, confira 4 dicas de como realizar este tipo de evento. Boa leitura! 

Eventos acessíveis: por que é importante criá-los hoje em dia 

Conhecidas como o mal do século XXI, a depressão e outras doenças psicossomáticas têm se tornado cada vez mais comuns. Com a pandemia, seus casos têm sido cada vez mais relatados. Porém, antes dela surgir, já havia fatores na sociedade para que elas ocorressem. 

Dentre eles, a crise de identidade é um grande gatilho para uma doença assintomática. Sendo relacionada a um momento de mudança positivo ou negativo, ela é resultado de um grande questionamento da pessoa, em relação a si mesma e ao mundo ao redor. 

Por essa razão, muitos aspectos da forma como vivemos e nos enxergamos podem levar a essa crise. Afinal, apesar de vivermos globalmente, nos dividimos cada vez mais em nichos personalizados.

Dessa forma, o tempo todo, estamos em contato com pessoas que pensam e vivem de forma diferente da nossa. Sendo assim, é um grande desafio aprender a viver com as diferenças. Por isso, a tendência é buscarmos nosso nicho, no qual nos sentimos confortáveis, por interagir com pessoas mais parecidas conosco. 

Para ilustrar esse cenário, há diversos exemplos de polarização social, que acontecem não só no campo político, mas em aspectos culturais, sociais e de identidade.

Ou seja, em vez de ocorrer uma troca e diálogo entre os diferentes grupos, o espaço tem se aberto para disputas que tomam forma, principalmente, em redes sociais; como é o caso da cultura do cancelamento. Com isso, facilmente ocorre um grande desgaste emocional, afetando diretamente a saúde mental das pessoas. 

Por essa razão, é fundamental que as empresas usem seus espaços e ações para promover um ambiente de diálogo, algo que pode ser feito por meio dos eventos acessíveis. 

Assim, mais do que atender a cada nicho social, eles são uma forma de promover o engajamento do público, favorecendo o respeito e a troca de informações, além de criar experiências valorizadas pelos mais diferentes tipos de pessoas, que se sentirão mais confortáveis ao expressar sua identidade, sem medo de represálias. 

Dessa forma, elas poderão enxergar a inclusão como um diferencial de sua empresa. Com isso, maior será o reconhecimento positivo da marca diante da sociedade, por meio de ações que promovam a igualdade e o respeito entre todos. 

4 dicas fundamentais para criar eventos inclusivos

Mais que uma característica dos eventos em 2021, os eventos acessíveis são uma boa forma de se aproximar de seu público e fortalecer a sua marca. Veja a seguir, 4 dicas que você precisa seguir para realizar este tipo de evento. 

1. Amplie o leque de pronomes ao seu perfil

Se o objetivo é a inclusão, faz-se necessário dar ferramentas para que cada participante possa expressar sua identidade. 

Nesse caso, dê espaço para que a pessoa indique a forma de tratamento que prefere, seja em sua identificação na hora da ação ou no cadastro anterior ao evento. Assim, outras pessoas poderão ter indicações claras sobre como falar com ela, especialmente no caso de networking. 

2. Esteja ciente que o anonimato facial pode ser necessário

Em eventos online, é comum pensarmos na transmissão de vídeo e, consequentemente, na divulgação do conteúdo. 

É claro que deixar um evento — ou parte dele — disponível posteriormente pode ser bom para a empresa. Afinal, é uma forma de gerar interesse para uma próxima edição, para outro tipo de evento, bem como serve para mostrar como a empresa atua. 

Porém, principalmente em isolamento, muitas pessoas podem não se sentir à vontade com a exposição de sua imagem; seja pelo fator de segurança ou porque querem ficar à vontade em casa.

Sendo assim, é fundamental para a organização do evento deixar claro como será seu funcionamento, desde o momento da inscrição. 

Além disso, relembrar, no começo da ação, que os participantes podem desligar a câmera ou que o encontro será filmado em certo momento, é uma forma de demonstrar mais respeito ao público. 

4. Não se intimide com o preconceito velado 

Ao convidar pessoas para palestrar ou moderar eventos acessíveis, é fundamental que elas entendam a forma como agir. Por exemplo, dando espaço igual para que todas as pessoas se manifestem, além de promover o respeito entre opiniões e garantir que ideias consideradas ofensivas não sejam propagadas. 

Neste sentido, vale a mesma indicação para os próprios participantes, que em seu momento de exposição de opinião ou dúvida, devem igualmente seguir boas práticas. Assim, todos podem se sentir mais confortáveis e o evento será reconhecido por isso.

Mais do que uma forma de estabelecer a empresa no mercado e atender diferentes públicos, os eventos acessíveis são uma boa oportunidade para criar networking, discutir questões relevantes para a área, além de incentivar o respeito de opiniões diversas, em prol de uma sociedade mais unida. 

Dessa forma, é importante adotar boas práticas para que a ação seja bem-sucedida e os participantes se sintam verdadeiramente incluídos. 

Quer criar um evento acessível e adequado para a sua empresa? Saiba como com a Transformação Digital!

recursos-humanosRecursos Humanos
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Recursos Humanos 7 estratégias de geração de leads para seus eventos online
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Recursos Humanos 20 perguntas que você precisa fazer sobre a estrutura do seu evento online
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]