Junto com a ideia de abrir uma startup, nasce o sonho de receber um investimento. Quando este dia chega, o empreendedor descobre que montar uma equipe ideal será de longe um de seus maiores desafios. É neste cenário que o uso de softwares e ferramentas de RH se torna um grande aliado, trazendo os benefícios da análise de dados para os processos de recrutamento e gestão.

Imagine que o dia-a-dia em uma startup é composto por metas, validações e aprendizados. Todo esse processo traduzido em dados para se tornar mais assertivo a cada tentativa. Nessa rotina que busca transformar incertezas em certezas, sempre com o menor investimento possível, as peças que formam o tabuleiro devem ser muito bem escolhidas. 

RH em startups

Startups são idealizadas em sua grande maioria por um CEO, um especialista em marketing e um especialista em TI. Raras são às vezes em que encontramos um expert em RH no time de founders. Então quando o dinheiro entra, o turnover muitas vezes pode se apresentar como um dos principais gargalos de tempo e de dinheiro. 

O que estes profissionais multidisciplinares deveriam ter ciência é que as áreas de Recursos Humanos estão cada vez mais tecnológicas. E bem mais humanas justamente por isso.

Esse fenômeno ocorre porque através de softwares e ferramentas de RH é possível identificar o melhor perfil para os integrantes de uma empresa e analisar se os candidatos a determinada vaga seguem este padrão comportamental.

Cultura organizacional em startups

Quando falamos em startups imaginamos um ambiente moderno, com pessoas descoladas, horários flexíveis e vídeo games espalhados pelas salas. Mas você já parou para pensar na quantidade de empresas disruptivas que estão surgindo nos mais variados setores? 

Uma startup que está criando uma nova rede social, por exemplo, possui um fit cultural muito diferente de outra que atua na área da saúde ou na agropecuária. Estas características devem estar muito bem alinhadas no processo seletivo e ficam mais fáceis de identificar através de softwares e ferramentas de RH.

Conforme mudam os padrões de empresa, varia-se também o perfil comportamental que melhor se encaixa nestas realidades. O colaborador que está vivendo de acordo com seus valores e propósito apresenta um maior índice de felicidade. E assim uma startup proporciona um ambiente motivador, independentemente se ela oferece um parque de diversões para seu time ou se possui um dresscode mais rígido.

Utilize seu mindset de startup no processo seletivo

Como já foi apontado anteriormente, basicamente todos os processos em uma startup são focados em resultado, medidos por  ferramentas e metodologias como KPIs e Growth Hacks. Por que no RH deveria ser diferente?

Nesse caso, a meta de um processo seletivo deve ser contratar pessoas qualificadas, que se enquadram na cultura organizacional e com o perfil comportamental indicado para a vaga. 

Entre as vantagens de um recrutamento bem estruturado (e bem sucedido) em uma startup, podemos apontar:

  • Redução de Turnover: economizando dinheiro (e tempo) com rescisões de contratos e novas contratações;
  • Orçamento de RH estável: possibilitando que o investimento em contratações previsto no seu BP se mantenha o mais próximo do original;
  • Formação de equipes de alto desempenho: encontrando pessoas com perfil e habilidades complementares;
  • Melhoria no clima organizacional: reduzindo conflitos interpessoais e facilitando a adaptação de novas contratações com a equipe.

Para se obter esse tipo de resultado, é fundamental a utilização de ferramentas e softwares de gestão e contratação, aliados de metodologias como People Analytics

Você já ouviu falar em People Analytics?

A análise de dados chegou no RH com um nome que já diz muita coisa: People Analytics. Este conceito nada mais é do que uma metodologia de coleta, organização e análise de dados em empresas que visam melhores resultados na gestão de pessoas. 

A “data”, neste caso, pode ser coletada em registros simples, como marcação de ponto, entrega de resultados de acordo com o prazo e pesquisas de clima organizacional. Mas pode, e deve, ser bem mais elaborada, principalmente com o auxílio de softwares e ferramentas de RH e com a colaboração da sua equipe de TI.

Mais TI e menos feeling no RH

A esta altura você já deve estar pensando, “preciso falar com o meu CTO”. E a questão é bem por aí. Quanto mais as tarefas das suas equipes estiverem gerando dados para o departamento de RH, mais benefícios a empresa vai encontrar como um todo. Um RH empoderado de softwares e ferramentas toma decisão com base em dados, e não com base na percepção do avaliador. 

Uma das ferramentas mais indicadas para processos seletivos em startups, visando a estruturação de um RH com maturidade digital, é o PDA (Personal Development Analysis). O software auxilia no recrutamento, detalhando o perfil ideal pretendido para cada vaga e possibilitando a criação de Estudos de Compatibilidade entre pessoas X competências, pessoas X cargos, líder X liderado, além de mapeamento de times e outras correlações para assessment e desenvolvimento dos profissionais.

Com uma metodologia simples e cientificamente comprovada, permite descrever e analisar o perfil comportamental das pessoas, mostrando como o indivíduo responde a diferentes situações, desafios e compromissos. 

Os relatórios gerados em sua plataforma auxiliam a empresa a entender melhor o funcionário, assim como ele a entender a si mesmo, buscando aproveitar o que tem de melhor e evoluir no que for necessário.

Para se ter uma ideia: este software de RH garante uma efetividade dos processos de seleção em até 75% e proporciona uma redução no turnover entre 20% e 50%.

Como inserir ferramentas de RH na minha startup

A aquisição de softwares de RH como o PDA pode ser feita por qualquer tipo de empresa. O valor investido é acessível, e baixo, principalmente quando comparado ao que se economiza com uma contratação errada. 

Startups com um profissional especialista em RH estão aptas a extrair o que essas ferramentas têm de melhor. Se sua empresa ainda está formando este profissional, talvez seja interessante buscar uma consultoria para ter auxílio na interpretação dos dados gerados pelo software.

Mas lembre-se: independente da ferramenta escolhida, um passo importante é trazer sua equipe de TI mais para perto do RH. Comece a coletar dados de maneira integrada e os utilize para auxiliar na tomada de decisão. Você só tem a ganhar, e os seus funcionários também.

Jorge Ribeiro

Head Marketing na Grou e Brand Marketing Manager da PDA International - Chapter Brasil. É especialista em estratégias digitais de marketing e vendas, comunicação e gestão comportamental. Atua promoção de HR Tech e na transformação digital do RH corporativo.

recursos-humanosRecursos Humanos
Gestão Inovação 3 dicas para construir uma cultura colaborativa de inovação
Investimento O impacto da Economia Compartilhada no seu dia a dia
ABOUT THE SPONSORS
Grou

A Grou oferece softwares de assessment e desenvolvimento para gestão de pessoas que impulsionam a performance dos profissionais e os resultados do negócio com base de people analytics.