A DroneShow divulgou recentemente os dados referentes aos registros de drones no Brasil. Com base no banco de dados dos dois principais sistemas de cadastro de drones, Sarpa (Solicitação de Acesso de Aeronaves Remotamente Pilotadas) e Sisant (Sistema de Aeronaves Não Tripuladas), registrou-se aumento de 55% de zangões em um ano no país.

De acordo com informações divulgadas pelo MundoGeo, em 2018, os registros alcançavam 48.752 aeronaves, número que passou para 71.561 em 2019. Estima-se que, no montante atual, 45.545 drones cadastrados têm fins recreativos e 26.016 profissionais. Além disso, a quantidade de pessoas cadastradas também cresceu, alcançando a marca de 58.804 registros.

O registro de zangões é obrigatório no Sisant e segue diretrizes rigorosas. Cada equipamento deve estar relacionado a um responsável legal (pessoa física ou jurídica) e ter peso máximo de decolagem de até 25 quilos. As aeronaves também não devem ultrapassar 120 metros acima do nível do solo. Devem ser cadastradas no Sisant tanto as aeronaves de uso recreativo (aeromodelo) quanto as de uso profissional (RPA).

tecnologiaTecnologia
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Futuro do Trabalho Mercado Recursos Humanos Relacionamento Futurologista britânico diz que habilidade emocional será essencial no mercado de trabalho
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Aplicativo Gestão Pagamento Recursos Humanos Startups iFood lança opção corporativa para que funcionários façam pedidos na conta da empresa
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]