Seja bem-vindo à era da produção de conteúdo!

Produção de conteúdo

O mundo do marketing mudou. As buzzwords mudaram: Inbound, Social, Influencers, Automação, SEO, SEM, Transformação digital. Estas palavras se tornaram parte do vocabulário não só do profissional de marketing moderno, mas também dos CEOs, CIOs e até mesmo dos CFOs. Mas o que muitas empresas ainda não se tocaram é que existe uma cola entre elas que garante seu funcionamento em conjunto: o conteúdo .

Vivemos em uma era em que os clientes estão no controle e cada vez mais eles querem participar ativamente da construção das marcas. Eles não querem apenas consumir passivamente, eles querem criar relacionamentos com empresas dispostas a se abrir para que eles participem da criação do produto/serviço.

Cada vez mais, os negócios que compreendem a importância de se adaptar para este novo mercado crescem e os que não se adaptam acabam desaparecendo.

Você está preparado para o futuro do marketing?

Como chegamos até aqui?

O marketing tradicional já faz parte das nossas vidas há muito tempo.

Hábitos foram criados, produtos surgiram e foram inseridos no nosso dia a dia por meio de técnicas de marketing de massa. Ainda hoje, faculdades de publicidade ensinam técnicas de planejamento de mídia voltadas para TV, rádio, revista e jornal, e deixam de lado uma visão mais aprofundada do novo consumidor.

http://madmenintegrated.tumblr.com/post/119254446812

A forma como as pessoas compram e consomem se transformou e as empresas que explodiram com resultados exponenciais foram as capazes de migrar do marketing tradicional para um novo marketing co-criado. No novo mundo do marketing, marcas e clientes trabalham juntos para construir experiências inesquecíveis.

Obviamente, empresas precisam vender para sobreviver, mas cada vez mais pessoas querem comprar de negócios que se ENVOLVEM com elas, que procuram conhecer suas dores e problemas e ajudá-las a resolvê-los.

Saímos de uma economia focada em transações e entramos na era do relacionamento e da criação colaborativa de conteúdo relevante. Estamos vivendo uma nova era e precisamos compreendê-la.

As eras do marketing

Os estudiosos de marketing apresentam sua evolução em eras. Cada era representa uma mudança no modo de produção e comercialização de bens e serviços.

A era da produção de conteúdo

Antes da revolução industrial, tudo era baseado em trocas. Com a revolução, no final do século 18, se tornou possível produzir em larga escala e a ideia era que bons produtos venderiam a si mesmos de maneira 100% orgânica. Então, as empresas direcionavam seus esforços ao aprimoramento de técnicas de produção.

Ao atingir certo ponto, a produção era maior, mais rápida e mais eficiente, e estoques começavam a se empilhar em galpões. Foi aí que entramos na era das vendas , na década de 20 do século passado. Em um cenário de abundância de bons produtos disponíveis, o desafio daquele momento passou a ser encontrar bons vendedores para conseguir apresentá-los aos clientes.

Empresas como a Bayer, a IBM e várias outras se destacaram com operações massivas de vendas. O tempo passou, grandes times de vendas e técnicas de sucesso foram criadas e chegamos em um terreno mais próximo do mundo atual, a era do marketing .

Quando a concorrência aumenta, é preciso se diferenciar. A publicidade massiva se tornou a maior forma de diferenciação entre empresas que vendiam um mesmo produto. Ela criava necessidades para novos produtos e coisas como pasta de dente, shampoos e vários outros utensílios que passaram a fazer parte do cotidiano das pessoas.

No início, a era do marketing começou com os departamentos e times de marketing se tornando peça fundamental para as empresas. Mas rapidamente ficou claro que era necessária uma expansão do marketing para todos os departamentos da empresa.

Se antes marketing era uma célula isolada, depois da década de 60 o marketing passou a ser parte de todas as áreas de uma empresa. Era preciso promover o produto em todos os seus aspectos. Embalagem, marketing para funcionários, promoção, distribuição. Tudo na empresa precisava estar conectado ao marketing.

http://madmenintegrated.tumblr.com/post/118993008662

Mas esse cenário se tornou competitivo. Fazer as pessoas descobrirem produtos em comerciais já não era mais suficiente. A grande jogada é que ficou clara a importância de fidelizar clientes, e não só adquirir novos.

Chegamos à era do relacionamento . Vender para um cliente atual é mais fácil e barato do que conquistar um novo (e já sabemos disso há muitos anos). O crescimento da Salesforce (a maior empresa SaaS da história e da categoria de softwares de CRM, Customer Relationship Management) deixou claro que para fidelizar é preciso se relacionar.

Relacionar-se é fazer com que seus clientes continuem voltando, comprando, utilizando o seu serviço, falando bem do seu produto. Mas apenas um software e campanhas de e-mail marketing voltadas somente para os benefícios e diferenciais do seu próprio produto ou serviço não se mostraram suficientes para chegar lá. Surgiu uma nova necessidade e um novo desafio.

Welcome to the Content Era!

A evolução da produção de conteúdo

Você provavelmente entendeu claramente como o mundo do marketing está mudando ao observar a imagem acima. As coisas estão ficando mais complexas e construir uma empresa sólida envolve cada vez mais novas habilidades. Em todos os meios que vemos acima, apenas uma coisa está presente em todos eles: o conteúdo!

Desde seu início, o marketing produz conteúdo. O tipo de conteúdo pode ter evoluído e se transformado ao longo do tempo, e cada uma das eras passadas teve seus próprios desafios, suas particularidades e limitações, mas algo se tornou cada vez mais claro: nunca existiu uma ferramenta tão escalável e essencial quanto o conteúdo.

Caminhamos cada vez mais para um marketing focado no cliente, e não na empresa. Caminhamos para a era do conteúdo .

O que mudou?

A maneira como as pessoas compram mudou para sempre

Hoje todos temos acesso à informação. É fácil usar o Google para escolher o melhor par de chuteiras, criar um roteiro de viagem ou aprender a programar. Não existe mais estar offline ou viver em um mundo analógico. É preciso estar conectado, aberto e disponível.

O conceito de Marketing de Permissão, criado por Seth Godin deixa essa mensagem bem clara. Por que não fazer com que as pessoas aceitem a sua mensagem de marketing voluntariamente? O cliente assumiu o controle e cabe a nós dar o que ele quer!

The Content Era: um fenômeno global

O novo consumidor é um fenômeno global. Ele é diferente e ele muda cada vez mais

rápido. Pense um pouco sobre o assunto:

Você prefere possuir algo ou apenas usar algo? O Spotify substituiu os CDs e se tornou um gigante do mercado de streaming. Se você é como a maioria das pessoas, você não quer ter CDs, mas sim usufruir do conteúdo que está neles.

Outra grande mudança é que empresas como a Queremos! e a Kickante usam a colaboração para transformar ideias em realidade. As pessoas se juntam para criar e incentivar o lançamento de novos produtos. Neles, o conteúdo dá origem ao produto, de forma colaborativa.

Outra mudança crucial: IoT. A Internet das coisas conecta dispositivos e pessoas, tornando o online all-line . Geladeiras procurando por receitas? Check! Celulares que mapeiam suas atividades físicas? Carros que se dirigem sozinhos? Temos também.

Em uma sociedade tão conectada, não podemos afirmar mais que o mobile vem primeiro.

Todos os dispositivos estão sempre interligados, como focar em apenas um deles? conteúdo é o centro e o dispositivo é apenas um canal que possibilita o consumo em qualquer lugar, a qualquer hora . De smartphones à smart TV’s, entramos na era do conteúdo. O mobile first se tornou content first, e não só first, mas também em todo lugar.

#contenteverywhere

A Era do Conteúdo: Fatos e Dados

Se, no futuro, todo marketing será de conteúdo, precisamos entender como está esta adoção agora. Na Content Trends 2017, uma pesquisa realizada pela empresa que co-fundei, a Rock Content, ficou muito claro que todos os principais segmentos de mercado brasileiros estão adotando o marketing de conteúdo.

Adoção de Marketing de Conteúdo por segmento de mercado

Content Trends 2017 – Rock Content

Mas isso não é verdade só no Brasil. No resto do mundo, conteúdo também se tornou a peça central na estratégia de negócios.

Produção de conteúdo

Inbound Marketing Priorities, State of Inbound 2017 – Hubspot

Isso deixa claro que se as empresas demorarem a entender as novas formas de comunicação, elas vão ficar para trás. Os métodos para atingir e atrair clientes continuam evoluindo e se tornando cada vez mais precisos, mudando aos poucos o foco do “marketing” para o “conteúdo”.

Principais objetivos de marketing de conteúdo

Content Trends 2017 – Rock Content

De acordo com a pesquisa de 2017 do Content Marketing Institute, as empresas que conseguem se adaptar e focar na era do conteúdo seguem obtendo resultados cada vez melhores. O estudo mostra que tanto empresas B2B quanto B2C que adotam conteúdo como um componente central de suas estratégias já se consideram mais bem-sucedidas hoje do que há um ano.

B2C Content Marketing Trends 2017 – CMI

Produção de conteúdo

B2B Content Marketing Trends – CMI

E qual foi o fator que contribuiu para essa melhora? Se você pensou em conteúdo de qualidade e eficiência em criar conteúdo, acertou.

Produção de conteúdo

B2C Content Marketing Trends 2017 – CMI

Agora a pergunta: como se preparar para a Era do Conteúdo?

Uma nova forma de vender e fazer marketing: aprenda com quem está fazendo certo

As melhores empresas do mercado estão se reinventando para se adaptarem a uma nova realidade. Quem fica para trás, acaba morrendo.

Nos últimos 15 anos, 52% das empresas listadas na Forbes 500 desapareceram. Por outro lado, novas empresas estão surgindo e elas têm conteúdo como uma peça central de suas estratégias. Quem vai sobreviver?

Um exemplo interessante é a tradicional General Electric (GE). A empresa não fabrica mais apenas lâmpadas e equipamentos, ela passou a oferecer serviços digitais e experiências integradas.

Além disso, grandes empresas como o Salesforce, Hubspot e Shopify têm o conteúdo como um dos pilares centrais dos seus negócios. No Brasil, destaco o ótimo trabalho de empresas como a Resultados Digitais e a ContaAzul. [JABÁ MODE ON] Ah, e a Rock Content, a empresa que fundei, também! [JABÁ MODE OFF]

O conteúdo se tornou parte crítica do produto! Veja alguns exemplos:

Shopify

A Shopify é uma plataforma que permite a criação de lojas virtuais em minutos. Um dos seus grandes desafios é fazer com que clientes de diferentes segmentos criem lojas de sucesso. Para isso, eles precisam aprender mais sobre marketing, vendas, logística, distribuição e muito mais.

É importante que os usuários tenham sucesso em suas lojas para que a Shopify tenha sucesso. Logo, educar os clientes passa a ser parte integral da estratégia da empresa.

No blog, eles compartilham dicas e conhecimentos sobre as diversas áreas de interesse dos clientes. Sempre ajudando-os a resolver uma dor/problema. No Medium, dão dicas de como utilizar a Shopify e levar sua loja virtual para outro nível. Nos fluxos de e-mail, o tempo todo o usuário é inundado com dicas para ter sucesso no mercado de e-commerce.

E parece estar dando certo. No último ano, eles aumentaram seu faturamento em 90% ($184.1 milhões de crescimento), focando não em vender sua plataforma, mas sim na solução do problema do cliente, que é vender mais online.

Hubspot

A Hubspot cunhou o termo Inbound Marketing e inseriu uma nova metodologia de marketing e vendas no mercado. Obviamente os desafios eram muitos, mas o principal fator para o sucesso deles foi cativar e educar uma audiência para que ela entendesse a relevância dessa nova ideia.

O negócio da Hubspot sempre foi fornecer conteúdo relevante, em diferentes áreas. Por meio de conteúdo , treinamentos, ferramentas e certificações gratuitas, a empresa chegou a um IPO de $125 milhões em 2014 (avaliada em $ 880 milhões) e $270 milhões em receita em 2016.

Rock Content (nossa empresa)

Desde o começo da empresa, temos como objetivo na Rock Content criar e distribuir conteúdo relevante para a nossa audiência.

Ao longo dessa jornada, criamos ferramentas gratuitas (como o Gerador de Personas), cursos para o desenvolvimento de profissionais de marketing digital (Universidade Rock Content), blogs (marketingdeconteudo.com, Inteligência Rock Content e Comunidade Rock Content) e um Medium (Marketing Hackers) para compartilhar cada vez mais conhecimento.

Para nós, tem funcionado também. Nessa jornada, chegamos a um time de quase 300 pessoas e alcançamos algumas dezenas milhões em faturamento em menos de 5 anos de jornada .

Ainda é cedo, e esse post é uma tentativa de mostrar para você que a nova era tem entregado bons resultados para quem se compromete com a ideia.

O que estar empresas têm em comum?

Elas entendem que as pessoas querem criar, consumir e se engajar com conteúdos. Elas não querem ser apenas uma “audiência customizada” no Facebook.

Estas empresas sabem que para ter sucesso, é necessário:

  • Levar o conhecimento de dentro para fora;
  • Trazer conhecimento de fora para dentro;
  • Gerar valor antes de pedir algo em troca;
  • Perguntar ao invés de afirmar;
  • Convidar as pessoas para participar ao invés de “mandar”.

É um novo jeito de pensar e abordar o marketing, a venda, a comunicação e o relacionamento. Antes o mundo girava ao redor do produto. Agora ele gira ao redor do cliente, isso deixa claro que o conteúdo é a ferramenta perfeita para alcançá-lo . Veja o diagrama abaixo para entender melhor a mudança:

Produção de conteúdo

SO WHAT, @DTTG???

Bom, é óbvio que eu falaria que conteúdo funciona, não é mesmo? Afinal sou co-fundador de uma empresa na área, que apostou todas as suas fichas em conteúdo e temos colhido bons frutos.

Mas eu gostaria de ouvir vocês: como tem sido a experiência como clientes, empreendedores e colaboradores de empresas neste novo mercado? Vocês também acreditam que a Era do Conteúdo veio para ficar? Não deixem de comentar 😉

CMO na Rock Content

Diego Gomes é CMO e co fundador da Rock Content e apaixonado por marketing, vendas e SaaS. Nas horas vagas ele escreve sobre negócios, marketing e vendas nos blogs 12minutos e SaaSholic.