A Dell organizou, na semana passada, mais uma edição do Dell Technologies World, seu maior evento anual para funcionários, clientes e parceiros. Mais de 15 mil pessoas de 122 países (incluindo este que vos escreve) estiveram presentes em Las Vegas (EUA) para ouvir as novidades da empresa.

Assim como em edições passadas, a Dell usou o encontro para fazer uma série de anúncios de novos produtos. No entanto, o que mais me chamou atenção foi a transformação no discurso da própria Dell. Ao invés da tecnologia pura e simples, o fator humano foi, de longe, o mais abordado nas keynotes. Além disso, o otimismo com relação às inovações e tendências também marcou o passo das falas. “A humanidade fez progressos incríveis nas últimas décadas, mas tudo foi um aquecimento. Nas próximas três décadas, veremos mais progresso do que nunca”, anunciou Michael Dell em seu discurso de abertura.

O progresso real, de acordo com ele, não são os gadgets que sempre chamam atenção do público, mas sim avanços como a erradicação da surdez e cegueira com o uso da inteligência artificial. “Uma nova era de milagres está chegando. Nos temos uma grande responsabilidade em mãos, que é a de garantir que a tecnologia reflita nossa humanidade e nossos valores”, disse. “Assim como a tecnologia pode amplificar a geniosidade humana, ela também pode amplificar a nossa fragilidade”.

Dell também discutiu sobre o conceito de bias inconsciente na inteligência artificial. “Acho que ninguém tem a solução perfeita para isso até o momento. Criar um mundo mais inclusivo é super importante e o acesso à tecnologia é uma maneira de democratizar e progredir mais rapidamente. Isso requer um ambiente construtivo para permitir que essa tecnologia ganhe espaço”.

De qualquer forma, o executivo é otimista com o futuro. “A tecnologia melhora nossas vidas, mas também traz desafios e nós assumimos esses desafios. É por isso que todos nós estamos trabalhando juntos para construir um mundo melhor”.

De acordo com Dell, todo negócio, organização ou governo precisa se reimaginar nessa era digital e, segundo ele, o tsunami de dados que estamos vivendo é o maior ativo do mundo atual. “É a base do universo que estamos criando”, acrescentou.

“Transformar tudo isso em resultados e sucesso: esse é o coração da transformação digital. Nós, agora, temos mais ferramentas do que antes. Computação avançada, inteligência artificial, machine learning, deep learning, infraestruturas automatizadas… e aí você acrescenta o 5G. Pronto! Temos todos os ingredientes para que uma revolução aconteça. Nossa missão é acelerar o progresso humano”, concluiu.

*O jornalista viajou para o Dell Technologies World a convite da Dell.

Igor Lopes

Diretor de Conteúdo no TD Igor Lopes, jornalista, é hoje o Diretor de Conteúdo do TD. É também colunista de tecnologia no BandNews TV. Já passou pelos principais veículos especializados em tecnologia do Brasil. Na NZN, foi diretor de conteúdo das sete propriedades do grupo (Tecmundo, The BRIEF entre outros); no Canaltech foi editor-chefe e cofundador do site. Cobre o mercado de negócios em tecnologia há mais de 12 anos.

tecnologiaTecnologia
Inovação Serviços de IoT devem saltar de US$ 79 bi em 2018 para US$ 189 bi até 2023
Inovação Dell World: “Precisamos de um novo contrato social entre máquinas e humanos!”