automação jurídica é importante porque promove um exercício mais dinâmico e valoroso do Direito. Com o auxílio da tecnologia, o advogado exerce seus talentos com mais liberdade, foco, agilidade e eficácia.

Historicamente, as tarefas em um escritório são divididas em etapas e por atribuição, de acordo com sua urgência e relevância. Desse modo, uma equipe de suporte permite ao advogado focar em atividades que só ele pode fazer. Essa equipe, em bancas menores, pode ser uma única secretária. Ou, em departamentos jurídicos corporativos, um grande time.

Ainda que o setor esteja entre os mais resistentes à mudança, a tecnologia intensifica esse foco de um modo que as pessoas não podem fazer. E, além do advogado, a própria equipe que o auxilia também contribui com isso.

O resultado? Não poderia ser outro que não produtividade, dinamismo, eficiência e realização profissional. Confira os detalhes!

Os desafios da automação jurídica

Construir uma história de inovação e inteligência jurídica vai muito além de conhecer e implantar novas tecnologias. Uma analogia simples ajuda a entender isso de forma definitiva e marcante.

Talvez você nem tenha vivido a época na qual abandonamos as máquinas de escrever. Contudo, em um primeiro momento, os computadores foram usados em escritórios como substitutos mais eficientes delas.

O que a tecnologia já fez para os escritórios?

Não refazer uma petição desde o começo por causa de um pequeno erro de digitação. Não evidenciar a falha para o leitor com o uso de um corretivo. Estes  já eram ganhos enormes.

Armazenar o documento pronto e fazer pequenas alterações conforme cada caso era algo inacreditável. Mas representa muito menos do que fazemos hoje com os computadores.

De agendas com prazos e pastas organizadas com documentos digitalizados até planilhas com previsões de entrada de honorários. Isso sem contar os sistemas eficientes de gestão do escritório. Estes recursos promoviam ganhos inimagináveis nos tempos das máquinas elétricas.

Mas isso ocorre porque os processos mudaram. Assim, as máquinas e os softwares que usamos são ferramentas aprimoradas constantemente.

O que podemos esperar das novas tecnologias?

As tecnologias emergentes do chamado Direito 4.0, como a Inteligência Artificial, a Internet das Coisas, o Big Data e os recursos de automação são meios para a realização de um mesmo fim. A melhora do fluxo de atividades internas de rotina — os chamados processos de gestão.

Portanto, a inteligência da automação jurídica está no investimento em soluções capazes de integrar todos esses processos. Em comparação com o exemplo acima, o futuro reserva possibilidades de uma integração elaborada com o judiciário. E, inclusive, com defesas orais feitas remotamente com o uso de realidade virtual (RV).

Qual é o verdadeiro desafio?

Pode parecer distante, mas a tecnologia para criar um tribunal digital e acessá-lo com o uso de óculos de RV já é operacional. Basta desenvolver o sistema, comprar o equipamento necessário e começar a usar.

O desafio está em viabilizar isso. O que envolve engajar pessoas, redesenhar processos, elaborar regras, desenvolver um projeto piloto, aprimorá-lo e implantá-lo em escala. Em outras palavras, a dificuldade na automação jurídica é a própria implantação.

Vantagens de otimizar os processos

Sendo assim, o que você precisa é de um bom Programa de Inovação no Direito, e não de uma coleção de caixas de softwares. Como resultado, você pode contar com vantagens pontuais e concretas, listadas a seguir.

Crescimento da produtividade

Mesmo em casos nos quais não existe a necessidade de revisar processos para aproveitar a tecnologia, o ganho de produtividade pode ser verificado. Ele é tão significativo que não é totalmente dependente de perícia.

O que muda é a medida de crescimento de produtividade. Ela é substancialmente maior com o uso racionalizado da tecnologia, a partir de uma revisão sistêmica dos processos.

Qualificação das informações

Digitação humana e erro são inseparáveis. Por mais capacitada e eficiente que seja a pessoa responsável por incluir informações em uma base de dados. Existe sempre a possibilidade de falhas, que são agravadas quando a quantidade de trabalho é grande.

É por isso que, por exemplo, censos apresentam alguma margem de erro. Mesmo que todas as pessoas de uma população sejam entrevistadas, isso representa uma quantidade muito grande de dados. Sendo assim, é impossível coletá-los sem alguma defasagem.

A tecnologia não tem essa limitação. E, além disso, pode organizar e detalhar informações para a tomada de decisão com eficiência superior.

Uma pesquisa de jurisprudência ou pareceres feita por Inteligência Artificial pode identificar palavras-chave em segundos. Mesmo que esteja em uma base de dados com centenas de milhões de informações.

É essa quantidade de informação processada e o nível de detalhamento que aumentam a qualificação. O que também inclui os dados relativos à gestão do escritório ou do time.

Melhora do controle

Você já deve ter notado nas redes sociais um despertador que, literalmente, ejeta da cama quem tem dificuldade de acordar. Independentemente do juízo e da utilidade desse recurso, é fato que a tecnologia não depende das questões fisiológicas. Basta energia elétrica.

automação jurídica de processos e controles, além de recursos como a Inteligência Artificial, é ótima para ajudar em:

  • Controle de prazos existentes;
  • Acompanhamento dos gargalos;
  • Melhora continua da eficiência.

Aumento da eficiência e redução de custos

Por fim, esses ganhos acumulados geram o aumento da eficiência e a redução de custos. Esse é o grande impedimento que pode ser superado com a tecnologia. Afinal, esses ganhos estão diretamente ligados.

A adoção da tecnologia é a ação mais eficiente para fazer mais com menos. O motivo? Os recursos de automação jurídica. As pessoas são direcionadas para trabalhos mais qualificados, enquanto a tecnologia assume tarefas repetitivas e volumosas, a um custo baixo.

Ao ler esta publicação, foi possível notar que a automação jurídica permite um foco mais direcionado para ações estratégicas. Uma vez que diminui o tempo gasto com tarefas repetitivas, burocráticas e que não geram valor. A tomada de decisão torna-se mais precisa, assertiva e eficiente – e todos se beneficiam disso.

Você consegue mensurar o tempo que economizaria com automação jurídica? Vamos interagir sobre o tema! Deixe sua mensagem, a seguir.

Equipe Marcelo Tostes

juridicoJurídico
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Investimento O impacto da Economia Compartilhada no seu dia a dia
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Jurídico O que é Lei Geral de Proteção de Dados e como ajuda na segurança jurídica
ABOUT THE SPONSORS
Marcelo Tostes

Escritório com espírito jovem e vanguardista que elabora processos internos na mesma linguagem corporativa dos seus clientes. Uma janela aberta para o mundo, antenada com a revolução tecnológica que exige versatilidade, mas com muita gestão e seriedade.

[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]