Nos últimos meses, a utilização de Inteligência Artificial na gestão de pessoas tem ganhando destaque nos debates do board das organizações. E não é para menos: ferramentas com IA permitem a otimização de diversos processos. No entanto, as dúvidas sobre sua aplicabilidade nas empresas são comuns. Será que a IA cabe no meu RH? Minha companhia tem perfil para adotar essa tecnologia? Que tipos de resultados podemos obter com ela?

Para esclarecer as dúvidas, Felipe Azevedo, Vice-Presidente da LG lugar de gente, reflete sobre o tema. Segundo o executivo, as experiências proporcionadas pela IA já fazem parte da rotina das pessoas e a gestão do capital humano também deve se beneficiar delas. “Aposto que seu funcionário está, neste momento, cercado de gadgets tecnológicos. Ele usa o Waze para fugir do trânsito, conversa com seus pares e com bots no WhatsApp e aprende seguindo aquele guru no Instagram. Por outro lado, acredito que seu RH já use os meios digitais para encontrar talentos e empregue ferramentas on-line para melhorar os resultados.”

Benefícios da Inteligência Artificial na gestão de pessoas

Felipe Azevedo destaca que a IA no RH não é coisa de filme de ficção científica, nem estratégia utilizada somente nas grandes empresas. “Pelo contrário: ela já é amplamente explorada, ainda que de forma indireta, pela sua organização. O que você talvez não saiba é que os benefícios se multiplicam quando a IA se volta ao seu contexto e às suas demandas específicas. Com ela, os processos ganham profundidade e agilidade, os colaboradores tornam-se mais produtivos, conhecem melhor a equipe e a si mesmos e ganham maior capacidade na tomada de decisão”, explica.

Felipe Azevedo, Vice-Presidente da LG lugar de gente

O executivo relata, ainda, casos em que empresas passam por desafios que a IA poderia resolver. “Já ouvi de muitos gestores que o grande volume de candidatos para determinada vaga, por exemplo, tornou-se um problema. Que a gestão de seus funcionários tem se tornado difícil mesmo em processos comuns, como em uma simples solicitação de férias. Ou ainda, que gostariam de desburocratizar algumas ações do RH. Muitas vezes, esses gestores nem imaginam que a solução já existe e que é simples e acessível.”

Para expor melhor o assunto, Felipe Azevedo reflete sobre a utilização da IA em quatro ferramentas diferentes. Confira abaixo.

1 – Chatbot

De acordo com o executivo, quando utilizada através de chatbot, a Inteligência Artificial é uma solução acessível que serve tanto para uma companhia com 70 colaboradores, quanto para uma com 100 mil funcionários. “A implementação da ferramenta dependerá muito mais do mindset do que do porte da organização. Enquanto uma empresa menor irá fazer melhor uso da IA como um assistente personalizado e ágil, a grande terá um maior ganho de escala. De fato, quanto maior for a empresa, mais bem alimentado será o sistema e maior será a produtividade gerada, conferindo mais inteligência aos processos e menor custo por indivíduo”, afirma.

2 – Games

Quando se trata de gamificação, o vice-presidente destaca que será necessário um perfil de alta rotatividade para que a Inteligência Artificial otimize o processo. “Seu desempenho depende da volumetria de candidatos, geralmente encontrada em posições como de call center, de vendas, de estágio e de trainee. Isso ocorre, pois, quanto mais a solução for utilizada, mais informações a IA consegue coletar, aprender e mais inteligente ficará o processo.”

3- Matching de candidatos

O termo matching de candidatos, que é relativamente novo, vem ganhando relevância nas companhias por otimizar o recrutamento e seleção de talentos. O recurso é resultado da utilização de Inteligência Artificial (IA) no processo seletivo e permite que o RH gere um ranking dos profissionais com os perfis mais aderentes ao que foi solicitado na vaga. 

A partir dessa possibilidade, a gestão de pessoas se livra do extenso processo de avaliação de currículos. Esse nível de precisão faz com que a ferramenta otimize a seleção ao filtrar os candidatos com base nos pré-requisitos de cada vaga, eliminando ruídos gerados por inscritos que não têm o perfil profissional que a empresa busca.

4- People Analytics

Já o People Analytics contempla outras estratégias. Segundo Felipe Azevedo, seu maior trunfo é que as plataformas trazem insights que não seriam vistos, possibilitando solucionar questões que muitas vezes ficam ocultas. “Costumo dizer que os benefícios trazidos pela IA são tão claros que não é necessário um esforço de defesa para engajar os líderes e colaboradores. Não existe solução mágica, mas os ganhos são evidentes e o investimento pode ter um retorno rápido, se a IA for bem aplicada e ‘treinada’. Seja na redução de tempo em tarefas repetitivas, seja no aumento da produtividade de seus processos, a IA irá revolucionar seu RH”, finaliza.

Quer saber como aplicar a Inteligência Artificial na gestão de pessoas da sua empresa? Conheça a LiGia, plataforma de IA da LG lugar de gente. Clique aqui para ver uma demonstração e descobrir tudo que ela pode fazer por você e para seu RH.

A LG lugar de gente é a maior empresa brasileira especializada em soluções de tecnologia para RH do país. Com 35 anos e mais de 1.000 clientes, oferece um sistema completo e integrado para gestão de pessoas, que conta com módulos de gamificação, people analytics, inteligência artificial, chatbots, mobilidade, dentre outros recursos como autoatendimento para smartwatches. Foi eleita por 8 vezes a empresa mais lembrada em software de folha de pagamento pela premiação Top of Mind de RH, e também possui a Certificação ISO 27001, referência internacional para gestão de segurança da informação.

Conheça mais sobre a empresa em www.lg.com.br 

futuro-do-trabalhoFuturo do Trabalho
Marketing 22 erros que você pode estar cometendo na sua estratégia de Marketing de Conteúdo
Recursos Humanos O impacto do coronavírus nos empregos e como as empresas podem se adaptar