Você percebeu que o termo CRO tem sido cada vez mais discutido por profissionais e entusiastas de Marketing Digital?

O motivo desse aumento de interesse pelo conceito não é à toa: o CRO realmente pode melhorar as conversões em qualquer site, desde que executada com cuidado e boas análises.

Mas do que se trata, exatamente, esse termo? Neste post, vamos falar sobre o assunto e, também, apresentar uma Ferramenta de Análise de Páginas ao final. Então, continue a leitura!

O que é CRO

Conversion Rate Optimization (CRO) ou, em português, Otimização de Conversão, é uma forma estruturada e sistemática de melhorar a performance de um site, extraindo mais do tráfego que o endereço já tem. Assim, é possível aumentar as conversões sem necessariamente aumentar o número de visitantes.

Além do site em si, páginas de materiais ricos, pedidos de trial e Calls-to-Action também podem ser otimizados com a técnica.

Colocando esse conceito em prática, vamos tomar como exemplo o site de um escritório de advocacia. O site possui um link para contato no rodapé da página e, de uma média de 2 mil visitantes mensais, recebe 20 mensagens nesse período. Ou seja, apenas 1%. Sabendo disso, o site pode, em vez de tentar aumentar o número de visitas, aumentar a taxa de cliques no “fale conosco” e conseguir mais clientes com a mesma média de visitas mensais.

Na Resultados Digitais, essa prática é utilizada com vários testes. Um exemplo é quando havia um problema com poucos pontos de contato no site e isso dificultava pedidos de orçamento ou testes do RD Station Marketing.

Para resolver, foram colocadas algumas opções de contato com variações da chamada de Call-to-Action em diversas partes da jornada do usuário no site.

Por que CRO é importante para sua empresa?

Estamos vivendo uma época na qual o mercado online está cada vez mais aquecido e sempre recebendo novos investimentos nessa área. Dessa forma, a concorrência, que antes era pequena, passou a ser, em alguns nichos, tão grande quanto no meio offline.

Como consequência, a cada dia que passa fica mais difícil (e consequentemente mais caro) gerar tráfego orgânico para sua empresa, seja pelo preço dos anúncios no leilão que aumenta, ou pelos esforços em SEO que precisam se intensificar.

Por isso, quando a ideia de CRO surgiu, rapidamente ganhou popularidade entre profissionais de marketing, uma vez que permite aumentar o número de conversões em um site mantendo o mesmo investimento na aquisição de tráfego.

Como proporciona esse aumento de resultados sem aumento do investimento nos canais de aquisição, um bom trabalho de CRO consegue impactar e reduzir muito o CAC (custo de aquisição de clientes).

Ainda assim, é muito comum ouvir por aí frases como: “meu site está impecável e já converte muito bem as visitas em Lead, não preciso investir mais em CRO”. Bem, esse é um dos enganos comuns que as pessoas cometem, já que todo site sempre terá espaço para melhorias. O que vai determinar a quantidade e qualidade delas será a sua capacidade de se aprofundar nos dados do seu site através de uma visão bem analítica.

CRO e o Teste A/B

Um fato muito importante sobre CRO é que, como já dito, nenhuma mudança no seu site pode ser baseada no “achismo”. Mais do que isso: é importante que qualquer mudança seja premeditada e principalmente testada antes de aplicada.

Isso porque, mesmo que certa mudança tenha funcionado com uma certa pessoa, não quer dizer que irá surtir o mesmo efeito com você. Isso acontece porque a principal variável de estratégias de CRO é o público que acessa seu site, e este sempre terá suas peculiaridades de negócio para negócio.

Um modelo muito comum e prático de testar mudanças antes de aplicá-las é o teste A/B. Essa técnica consiste em distribuir o tráfego de uma página igualmente para duas versões diferentes (“A” e “B”), sendo A a versão original e B a versão que você quer testar.

Existem alguns cuidados muito importantes antes de executar um teste A/B. Para que os dados que você deseja colher através do teste sejam de máxima certeza, você precisa prestar muita atenção em alguns detalhes.

Um deles é garantir que da “versão A” para “versão B”, a mudança realizada seja a única. Isso porque, se você mudar vários elementos de uma só vez, como terá certeza sobre qual o motivo de uma versão performar melhor que a outra?

Outro cuidado importante é a sazonalidade:

  • Garanta que seus testes durem no mínimo uma semana inteira, dado que o público-alvo que acessa o seu site numa segunda-feira pode não ser o mesmo que acessa em um fim de semana. Por essa razão, o teste se torna mais confiável no decorrer do tempo;
  • Tenha cuidado com feriados, datas comemorativas, ou qualquer evento que possa influenciar na quantidade e no tipo de tráfego que seu site vai receber. Como já dito, CRO tem como a principal variável o comportamento do público-alvo. Se essa variável for afetada por um evento atípico, todo o resultado será também impactado.

5 erros comuns de quem está começando

  • Relevância estatística: quando começamos a testar as primeiras hipóteses, é normal ficarmos entusiasmados com os primeiros resultados. Acontece que, se não tivermos uma validação estatística, muitas vezes tomaremos decisões equivocadas e baseadas em dados irrelevantes. Para ajudar você a calcular quando o seu experimento está ou não validado estatisticamente, utilize uma Calculadora de Teste A/B.
  • Aplicar mudanças que funcionaram para outras empresas: outro erro clássico de quem está começando é achar que o que funcionou para outras empresas, também funcionará para você. Apesar de as experiências de outras empresas serem uma ótima fonte de ideias, cada empresa tem o seu contexto. Por isso, você precisará testar e, provavelmente, adaptar a ideia para gerar resultados reais.
  • Preocupar-se apenas com pequenos elementos: é comum que empresas iniciantes no tema se concentrem muito em pequenas mudanças de cor e posição dos elementos, quando na verdade seu objetivo é passar uma mensagem clara e objetiva, que facilite para o usuário encontrar o que busca.
  • Não prestar atenção no comportamento do usuário: na prática, CRO é reduzir atritos desnecessários, ou seja, tornar o caminho do visitante fluido até a conversão. Para que você tenha hipóteses de grande impacto para testar, é preciso prestar muita atenção ao comportamento do usuário dentro do seu domínio. Para isso, indicamos o uso de ferramentas de mapa de calor e gravação de sessão, como Crazy Egg ou Inspectlet.
  • Basear-se em achismo (principalmente do seu chefe): outro problema que vemos com frequência é a pessoa mais alta na hierarquia impondo suas ideias, mesmo que baseadas em achismos. Boas hipóteses nascem do conhecimento do usuário e seu comportamento, como mencionamos acima, e tudo deve ser testado e validado antes de implementado.

BÔNUS: Ferramenta de Análise de Páginas

Na Resultados Digitais, foi lançada a Ferramenta de Análise de Páginas. Ela foi feita em parceria com a Supersonic, empresa especializada em CRO e referência no mercado brasileiro.

Com ela, você vai saber, de forma super prática, como está a performance das páginas do seu site. São levados em conta critérios como persuasão, SEO, responsividade e também velocidade.

Para iniciar a avaliação, basta acessar a ferramenta de análise de páginas. É bem rápido e você vai ter um ótimo guia para fazer as otimizações da sua página!

agenciasAgências
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Imobiliárias Por que focar em locação de imóveis ao invés de venda?
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Imobiliárias 5 aplicativos de relacionamento para imobiliárias e clientes
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]