Uma análise sobre as aceleradoras de startup no Brasil

Análise das aceleradoras de startup no Brasil

Um estudo recente do Centro de Estudos de Private Equity da Fundação Getúlio Vargas (GVCepe) mapeou as principais atividades de aceleradoras de startups no Brasil.

Mas, antes de tudo, você sabe do que estamos falando?

O que é uma aceleradora de startup

Resumidamente, aceleradoras são empresas que investem em empresas. Ou seja, são organizações que tem como objetivo apoiar o desenvolvimento de startups e seu crescimento – como o nome sugere – rápido.

Dentro de uma aceleradora, novas empresas recebem o chamado ”survival money” para se manterem funcionando – em troca de uma porcentagem de sua sociedade – e são impulsionadas a receber novas rodadas de investimento, até atingirem o ponto onde conseguem se pagar, conhecido como “break even”.

Dentre os vários benefícios recebidos dentro de aceleradoras, estão:

– Apoio financeiro

– Mentoria

– Local de trabalho

– Networking com investidores

E, diferente de Incubadoras, as aceleradoras estão livres de diretrizes regionais ou governamentais: ideias e modelos de negócio inovadores são os pontos fortes para uma startup receber o apoio de uma aceleradora.

Vamos ao números

Atualmente, mais de 1.300 startups são apoiadas por 40 aceleradoras em território nacional, com aporte superior a R$ 51 milhões.

Nesse montante, os aportes feitos por elas variam de R$ 45 mil a R$ 255 mil, enquanto a média de participação societária requerida das startups é de 8%.

Para você entender melhor como as aceleradoras atuam, separamos as informações mais relevantes sobre elas no gráfico abaixo:

Mapeamento de acelerador de startup no Brasil

 

Além de ajudar no crescimento da startup, as aceleradoras ainda podem auxiliar na evolução da jornada pela Transformação Digital.

Entendeu o tamanho deste mercado e como ele move a economia nacional? Acredite, grandes empresas tem muito o que aprender com startups.