5 tendências da realidade virtual para você ficar de olho em 2018

Conheça as principais tendência da realidade virtual para 2018

Ao analisar o crescimento da indústria de VR nos últimos anos, fica claro que ela não é apenas mais uma modinha. Em 2014, tínhamos cerca de 200 mil usuários de realidade virtual ativos no mundo. Três anos após, em 2017, já eram 90 milhões e a projeção é que 2018 termine com 171 milhões de usuários.

É um crescimento exponencial que só tende a explodir cada vez mais. E se olharmos para o mercado de software associado à realidade virtual, saímos de US$ 129 milhões em 2015 para US$ 2,57 bilhões projetados para 2018. Nada mal, não?

A expectativa é que toda a indústria de realidade virtual movimente US$ 5,2 bilhões em 2018, e US$ 45 bilhões até 2025 – em 2014, ela valia “apenas” US$ 90 milhões.

Preciso dizer mais para você perceber que essa é uma indústria para ficar de olho? Aqui estão algumas previsões do que está por vir nesse setor ao longo dos próximos meses.

01. Mais vídeos 360° em realidade virtual

De acordo com uma pesquisa da Omnivirt, os vídeos 360° têm mais engajamento que os regulares. Marcas já descobriram isso e várias delas, em diferentes verticais, já estão tirando proveito desse sucesso. Sem falar na qualidade da captura, que melhora a cada ano.

NASA, Microsoft, IBM, Honda e Ford são alguns exemplos de empresas que já vêm apostando em vídeos 360°. Espere para ver a adoção desses vídeos em uma escala muito maior nos próximos anos.

02. Veremos mais adoção do VR em propagandas

A indústria da propaganda é uma das que mais vai promover a adoção do VR pelas massas, graças às suas ações. Já vimos alguns bons exemplos dessa parceria: no ano passado o Google anunciou seu experimento com anúncios em realidade virtual que interagem com os olhos do usuário, a Nike fez uma propaganda utilizando o Neymar e o festival Tomorrowland também recriou a experiência de estar lá em 360 graus.

Estes são apenas alguns exemplos do VR associado ao marketing, mas você pode esperar por muitas outras ações neste ano.

03. Aumento no número de desenvolvedores

O crescimento de qualquer indústria está intimamente ligado ao número de talentos associados a ela. Cada vez mais, desenvolvedores capazes de trabalhar com a realidade virtual estão sendo requisitados pelo mercado. Na verdade, gigantes da indústria já estão se mexendo com o objetivo de encorajar a produção em VR (haja visto o exemplo do Google no ítem acima, incentivando a produção de anúncios em 360 graus).

04. Uma experiência cada vez mais imersiva

Os equipamentos utilizados para a captura desse conteúdo também evoluíram bastante. Esta empresa lançou recentemente o 8Ball, um sistema de captura de áudio capaz de registrar o som em 360 graus ao usar 8 microfones omnidirecionais. Isso promove uma imersão maior ao ouvir sons à frente, atrás, dos lados e acima da cabeça do espectador.

E isso é só o começo: já há indicativos de que gadgets de VR que trabalhem também nosso olfato e tato estão mais perto da realidade do que imaginamos. Em outras palavras, espere por experiências ainda mais imersivas do que as que você conhece atualmente.

05. Mais disponibilidade, custo reduzido

Em 2017, vimos uma guerra travada entre HTC e Oculus, com as duas cortando os preços dos seus gadgets em US$ 200 quase que simultaneamente. Pois você pode esperar mais surpresas do tipo em 2018.

Seja o software ou o hardware, a realidade virtual só será “mainstream” quando tiver preços acessíveis – e isso começará a acontecer em 2018. Os produtos começarão a aparecer mais nas lojas e, graças à escala, os preços deverão cair.