O avanço das tecnologias pessoais é intenso. De acordo com os especialistas, nos próximos anos, os assistentes virtuais receberão grandes atualizações, acompanhando as tendências dos novos smartphones. A expectativa é de que, entre 2022 e 2023, os dispositivos incluirão visão computacional com inteligência artificial, além de tecnologias imersivas.

De acordo com o CIO Dive, até 2023 os resultados dos negócios digitais serão responsáveis pelo impulsionamento de 40% dos investimentos em tecnologias imersivas. Para efeito comparativo, em 2018 o número foi de menos de 5%. Esses dados mostram que essas inovações representam uma grande oportunidade para as empresas: ao mesmo tempo
em que os avanços em tecnologias pessoais podem melhorar o desempenho de colaboradores, as organizações podem usufruir de iniciativas altamente lucrativas.

Para encorajar a transformação digital, os líderes do setor de tecnologia devem criar objetivos orientados para resultados, mostrando o valor das soluções para assegurar a aceitação das empresas. Entender como as tecnologias podem ser incorporadas aos fluxos de trabalho e enfatizar a segurança das aplicações também é essencial para a adoção ao processo de digitalização.

Com estratégias bem definidas, as ações ajudarão no desenvolvimento de negócios para o futuro. Para isso, os analistas vêm estudando quais tecnologias pessoais podem impulsionar a transformação empresarial, levando em consideração o que as organizações devem incluir em seu planejamento. Confira.

1. Visão computacional

A visão computacional é uma área da inteligência artificial desenvolvida para que as máquinas interpretem e entendam o mundo real. Junto a modelos de deep learning, os computadores processam e analisam imagens, podendo identificá-las e classificá-las corretamente, extraindo informações contextuais do mundo físico.

Segundo os especialistas, a visão computacional criará experiências mais envolventes ao usuário, além de possibilitar o desenvolvimento de serviços específicos em diferentes áreas, como educação, varejo, indústria, saúde e segurança. Na manufatura, por exemplo, empresas estão utilizando a visão computacional para detectar defeitos em tempo real. Já os bancos começaram a implementar a tecnologia para garantir a identificação de clientes em casos que envolvem grandes quantias de dinheiro.

2. Assistentes virtuais

Os assistentes virtuais devem reformular completamente a interação do usuário com os dispositivos. Apesar de muitas pessoas verem a tecnologia como mero auxílio para a
realização de pesquisas e obtenção de informações sobre tráfego, agenda e clima, no local de trabalho esses assistentes podem, por exemplo, planejar reuniões, incluindo a reserva da sala, a organização das agendas dos participantes e até mesmo a realização das atas.

Os assistentes virtuais e corporativos devem, ainda, mudar a forma como os colaboradores interagem com o espaço de trabalho físico e virtual, estimulando melhorias de produtividade e eficiência, além de criar experiências de maior engajamento com as atividades exercidas. Hoje, empresas já estão aderindo aos assistentes virtuais para funcionários, buscando auxiliar em tarefas diárias no setor de TI, como redefinições de senhas e resolução de problemas de centrais de atendimento.

3. Experiências imersivas

As tecnologias imersivas incluem a realidade aumentada (RA), realidade virtual (RV) e realidade mista (RM). Apesar de frequentemente estarem associadas a entretenimento, essas soluções têm sido aplicadas em diferentes modelos de negócios, como no planejamento de construções civis, veículos e aeronaves. Além disso, as experiências imersivas vêm tendo impacto positivo, por exemplo, em treinamentos na área da saúde e na aquisição de novas habilidades em diversos setores.

As realidades aumentada, virtual e mista também podem ser utilizadas na reinvenção dos negócios, desfrutando de seus aspectos visuais como parte fundamental de processos operacionais. Algumas empresas planejam incorporar as tecnologias para que trabalhadores remotos possam auxiliar em manutenções e reparos, na localização de mercadorias e dando instruções para colaboradores que estejam em outros locais.

4. Impressão 3D

A impressão 3D permite a criação de objetos físicos a partir de modelos digitais. Podendo ser utilizada para diversos propósitos, desde a criação de protótipos e peças simples até produtos complexos, como peças de aviões e foguetes e até mesmo na produção de modelos de células e tecidos humanos, a impressão 3D promete transformar os negócios dos mais variados setores ao longo dos próximos anos. Justamente por permitir que alguns produtos sejam produzidos localmente e de forma simples, a tecnologia de impressão 3D merece ser considerada para alguns processos durante a transformação digital.

5. Wearables

Os wearables incluem uma variedade de dispositivos, desde pulseiras, smartwatches, até vestuário inteligente. Com sensores integrados, os wearables são capazes de monitorar dados biométricos, como frequência cardíaca e temperatura corporal. Em alguns casos, podem até mesmo detectar condições ambientais, como a presença de gases perigosos.

Seu potencial na transformação digital é vasto. Especialistas apontam que as oportunidades incluem o uso de dispositivos no treinamento de funcionários, visando a redução do tempo de conclusão de tarefas, rastreamento de localização e até mesmo na facilitação de interação, substituindo aparelhos maiores, como smartphones e tablets.

Como pode ser observado, cada uma das tecnologias pessoais pode ter efeito positivo sobre negócios que estejam passando pela transformação digital. É necessário, no entanto, garantir que sua aplicação faça sentido aos modelos e atividades da empresa, avaliando as capacidades e limitações das soluções apresentadas. Também é importante deixar claro a todos os usuários os objetivos de sua implementação, mantendo-se atualizado sobre as normas legais de uso para que todas as aplicações sejam realizadas baseadas na ética, privacidade e segurança.

futuro-do-trabalhoFuturo do Trabalho
Saúde Tecnologia médica deve apresentar crescimento de 5% a 7% em 2019
Gestão Tecnologia Tecnologia da Informação Decisões de TI não estão mais nas mãos dos CIOs, diz pesquisa
ABOUT THE SPONSORS
Introduce

Arquitetamos estruturas e soluções de redes de computadores que garantem a maior disponibilidade dos serviços de TI e aumentam a proteção da empresa, a confidencialidade de negócios e a produtividade das equipes.