De Small Business Startups até Unicórnios existe um longo caminho que as startups percorrem até alcançarem grandes aportes de investidores. O tema está tão em alta que inúmeras empresas brasileiras já estão criando suas próprias startups dentro e fora dos muros da organização já estabelecida.

Mas você não precisa ser uma empresa com dinheiro e amadurecimento digital a ponto de criar iniciativas como essas para trazer o aprendizado das startups para o seu negócio. Por isso, vamos apresentar 6 lições que você pode trazer da lógica das startups para o seu negócio.

1- Inovação deve ser parte da rotina

Você deve estar pensando agora: “lá vem mais um texto falar que devemos inovar nos nossos produtos e que precisamos criar soluções disruptivas”. Não que isso não seja verdade, mas se você está inserido num mercado “arroz e feijão”, ou seja, em um mercado que você tem que produzir o básico mesmo porque isso é o seu negócio também é possível inovar!

Ao contrário do que muitas pessoas pensam ao olhar para startups, a inovação pode acontecer nas camadas de produto da sua empresa – o que é mais fácil de perceber de fora – ou no modelo de negócios – o Nubank que o diga. Mas, mais do que isso, a inovação também existe dentro da empresa, isto é, no seu mindset e na rotina de processos. 

Alguns anos atrás seria inimaginável uma indústria “tradicional” modificar o seu processo de produção em série, certo? Mas este é um dos tipos de inovação para os quais as empresas mais têm se voltado nos últimos anos.

2 – Tenha sempre um olho no produto e outro no processo

Como falamos no ponto anterior, inovação também ocorre nos processos da sua empresa. Você já se perguntou como uma startup é capaz de crescer e, em poucos anos, atingir um valuation de bilhões de reais? À primeira vista a resposta pode estar no sonho da maior parte dos empreendedores brasileiros: fazer mais com menos. Porém, quando você analisa mais profundamente percebe que a real resposta está novamente na inovação.

O típico “fazer mais com menos” envolve você estar sempre de olho no seu processo de produção. E, mais do que isso, em capacitar os seus funcionários para que percebam oportunidades de melhoria e criar um ambiente no qual eles se sintam bem-vindos para propor mudanças e inovar. 

Numa época em que muito se fala em empreendedorismo, muitos esquecem da aplicação dentro das organizações: o intraempreendedorismo. Na maioria das vezes o seu funcionário é capaz de inovar nos processos de produção da sua empresa e trazer grandes impactos no fluxo de trabalho e no retorno financeiro.

3 – Cada um percorre um caminho, deixe que a sua equipe encontre o dela

Você se acha controlador? Provavelmente sua resposta vai ser não, afinal de contas não é muito bonito admitir isso, né? Mas a verdade é que grande parte dos gestores gosta de saber como cada coisa é feita e até mesmo realizar micro gerenciamentos. Mas o que aprendemos das startups e de seus métodos ágeis é permitir que as equipes se autogerenciem e encontrem os melhores caminhos. 

A verdade é que, na maioria das vezes, não importa muito como a sua equipe vai chegar até uma solução, mas sim o resultado em si. É o que chamamos de foco em resultados. Nesse caso, proporcione um ambiente de confiança e de organização e deixe que a sua equipe pense nos melhores caminhos. No início pode até ser difícil e você vai achar que eles não vão chegar a lugar nenhum. Fique calmo! Com o tempo o processo vai se tornando cada vez mais fluído e a equipe vai se tornando mais confiante e integrada. Se você quiser trazer essa lógica para o seu negócio os métodos ágeis podem lhe ajudar muito. Você encontra muito material sobre como implementá-los, vamos deixar três materiais listados aqui:

Os 3 destaques da metodologia agile: lean, scrum e kanban

Gestão ágil: 3 dicas para sua equipe entregar mais

Ferramentas de gerenciamento de projetos gratuitas: 9 opções ágeis

4 – Esteja sempre atualizado

Novas soluções, tecnologias e modelos de negócio surgem quase que diariamente e isso pode ser muito assustador. Entretanto, gosto de dizer que você sempre tem duas opções: se assustar com o tamanho de onda e ser engolido por ela – e que fique claro que você pode ser engolido se lutar contra, mas também se ficar parado – ou surfar, nesse caso, por mais que tente, será impossível frear os avanços. Então, caro amigo, esteja preparado para surfar na onda. 

Startups nascem de uma lógica de velocidade, seja velocidade em tecnologias, em ser o primeiro a lançar uma solução ou, ainda, em lançar o produto para o mercado no momento certo. Faz parte do DNA desse tipo de empresa se reinventar, seja no que for. E uma das melhores lições que você pode tirar com elas é estar sempre atualizado no que surge por aí. 

5 – Simplicidade é (para) tudo

Você pode ter um sonho e provavelmente o seu sonho vai ser muito completo. Com nuvens cheinhas e brilhantes, um arco-íris colorido, unicórnios voando magicamente por aí e muito mais. No mundo real, no entanto, não é bem assim que funciona.

Criar produtos com tudo o que a equipe sonhou muitas vezes inviabiliza o projeto. Sabe por quê? Nossos sonhos costumam ser tão detalhistas que até desenvolvermos, o timing do produto no mercado já passou. Por isso você precisa ter sempre claro qual é o seu MVP (Produto Mínimo Viável, em português), e com MVP eu quero dizer mínimo mesmo. O que é realmente o mínimo para que o projeto possa ser lançado e testado no mercado? Isso é simplicidade.

Além disso, crie uma cultura da simplicidade. Na KingHost, por exemplo, trabalhamos com hospedagem de sites e soluções digitais. Um dos nossos valores é a simplicidade, principalmente no que se refere à forma como as coisas fluem dentro da empresa, seja entre times ou entre pessoas. Encontre uma forma de estimular a simplicidade em tudo o que vocês fazem, seja interna ou externamente – o que vale também para a estrutura da sua empresa, será que é necessário mesmo uma empresa cheia de cargos e hierarquias?

6 – Foco no cliente e na experiência

Talvez um dos pontos mais importantes: tenha foco no seu cliente. Afinal, é através dele  que os seus produtos têm sucesso e pagam as contas no final do mês.

Experiência do usuário, ou a famosa User Experience, não é só mais uma palavra da moda. Ela é uma das maiores lições que podemos aprender com startups. Aliás, as startups mais bem sucedidas costumam vir exatamente a partir de um estudo e percepção de que o mercado é carente de algo.

E, para isso, é preciso conhecer muito bem quem é o seu cliente e qual experiência é ideal para ele. Se você conquistar e encantar a sua base, ela lhe será fiel porque você não só possui um produto bom, mas porque se importa com ele. A melhor publicidade de todas sempre será o boca-a-boca.

Para finalizar, não desista, ok? Inovar e transformar a sua empresa aprendendo com startups não é a coisa mais fácil de mundo. Mesmo que queira desistir, persista. No final você irá perceber que a sua empresa se tornou incrível e isso irá impactar desde a cultura organizacional até os resultados financeiros.

Se você precisar de uma ajudinha para fazer acontecer, indicamos começar avaliando como você pode agilizar a sua rotina. Que tal conferir mais um material que preparamos neste link?

Time KingHost

Somos uma empresa de hospedagem de sites e já nascemos na tecnologia. Buscamos levar conteúdo de qualidade para empreendedores, desenvolvedores, profissionais de marketing e curiosos digitais.

startupsStartups
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Vendas 7 dicas para uma ramp up de vendedores ágil e eficaz
Educação Jurídico Eu Na Facul: Evento online mostra oportunidades de carreira para quem deseja entrar na universidade
Saúde Tecnologia Medicina: Georgia Tech desenvolve pequenos robôs que se deslocam por ondas sonoras
[contact-form-7 id="21113" title="ebook"]