De acordo com informações do Engadget, uma nova descoberta de pesquisadores da Faculdade de Engenharia e Ciências Aplicadas (SEAS) John A. Paulson, de Harvard, poderá revolucionar os instrumentos ópticos, incluindo câmeras, óculos e telescópios.

Combinando músculos artificiais e lentes planas, os cientistas criaram um dispositivo que funciona de forma semelhante ao olho humano. Graças a um músculo elastômero, a lente é capaz de focar rapidamente e executar ações impossíveis para os olhos, como o ajuste do astigmatismo e do deslocamento de imagem, melhorando a visão embaçada.

Batizada como Metalens, a tecnologia utiliza nanoestruturas capazes de focar todo o espectro de luz visível em um único ponto. As lentes tradicionais dependem de vários elementos para conseguir o mesmo resultado, tornando-as muito mais volumosas. As novas lentes, em contrapartida, tem apenas um centímetro de diâmetro, o que pode ser uma alternativa interessante para smartphones, câmeras e headsets de realidade virtual e aumentada, por exemplo.

Por enquanto não há previsão de disponibilidade dos dispositivos ópticos no mercado, mas a expectativa é de que a indústria se beneficie da pesquisa em curto prazo.

inovacaoInovação
Transformação Digital Como o aprendizado de máquina está revolucionando a indústria em 2019?
Saúde Cientistas são capazes de prever a morte de uma pessoa com 83% de precisão
ABOUT THE SPONSORS
Introduce

Arquitetamos estruturas e soluções de redes de computadores que garantem a maior disponibilidade dos serviços de TI e aumentam a proteção da empresa, a confidencialidade de negócios e a produtividade das equipes.