Para a revista Forbes, a cantora Anitta pode ser considerada um exemplo de empreendedorismo no país. Larissa de Macedo Machado, nome real da artista, em poucos anos conseguiu sair da zona norte do Rio de Janeiro para ganhar o mundo, controlando todos os aspectos de sua carreira.

Durante um painel no Universo TOTVS, Anitta falou sobre a trajetória na profissão. Em vez de ser apenas artista, a cantora decidiu fundar uma empresa com o irmão Renan Machado, a Rodamoinho Produtora. Desde então, a cantora é a sua própria empresária, fator crucial para o seu crescimento global.

Hoje com 26 anos, a artista acredita que o principal desafio para empreender no Brasil é lidar com as questões financeiras e burocráticas. “É muito difícil porque o Brasil é um país muito complicado, legislativamente falando. Parece um teste para ver se você realmente quer fazer aquilo”, comentou.

Apesar de ter ganhado fama na música, Anitta afirma que a longo prazo pretende abandonar a profissão e se dedicar exclusivamente ao mundo dos negócios. Nesse sentido, um de seus projetos envolve dar consultoria para outros artistas.

Dicas de empreendedorismo

1. Dividir os momentos

Por exercer as funções de artista e empresária, Anitta considera fundamental dividir os momentos, ora priorizando os negócios, ora focando na arte.

“Se os negócios não vão bem, isso pode refletir no seu trabalho como artista, já que ele implica em passar coisas boas adiante. Você não pode trazer um aborrecimento ou a pressão de um projeto da parte dos negócios para a frente das cortinas. Quando você faz as duas coisas, é importante deixar uma coisa de lado para colocar a outra em ação.”

2. Não focar nas redes sociais

Para Anitta, a internet não é um bom medidor de sucesso. Apesar de ter quase 40 milhões de seguidores no Instagram, a cantora acredita que para conhecer verdadeiramente o público é fundamental o contato pessoal.

“O mundo da internet é muito diferente da realidade. Um número digital não necessariamente se reproduz nas vendas e vice-versa – números de vendas às vezes não são vistos na internet. São universos distintos. Gosto de medi-los separadamente.”

3. Encontrar a própria fórmula

Na opinião da cantora, não se deve ter como base a experiência dos outros para empreender, mas sim em encontrar a própria essência.

“Você deve observar alguns exemplos, mas não pode tomar aquilo como algo para ser feito. Dessa maneira você não tem o seu diferencial, não cria o novo – que é o que vai provocar o seu crescimento e chamar mais atenção. Você fará apenas mais do mesmo.”

4. Criar as próprias oportunidades

Buscando se destacar no mercado, a cantora entrou para o mundo do empreendimento com os recursos que tinha e criando suas próprias oportunidades.

“Nem sempre você vai encontrar todas as portas abertas e, muitas vezes, a melhor forma de conseguir o que se quer é criar as suas próprias portas, da sua maneira. Assim, você cria um case que outras pessoas vão querer seguir.”

5. Conhecer o público

Anitta afirma que para inovar é imprescindível conhecer o público e pensar sobre o que o agradaria.

“O que será que surpreenderia essas pessoas? O que elas precisam, mas ainda não sabem? O que ainda não foi pensado e que pode gerar engajamento? É preciso tentar entender como a minha ideia faria a diferença, modificaria ou movimentaria o meio, de acordo com o meu mercado de atuação.”

6. Transformar os aspectos negativos em positivos

A artista e empresária acredita que acontecimentos negativos podem ser úteis.

“Comecei aos 17 anos, hoje tenho 26 – são quase 10 anos na estrada. O amadurecimento não era o mesmo naquela época. Mas, ao mesmo tempo, se não fossem todos os erros, talvez não teria tido tanta visibilidade negativa que, depois, com muito trabalho, tornou-se positiva. Há muitos males que vêm para o bem se você souber trabalhar para transformá-los.”

7. Aprender com os erros

Antes de abrir a Rodamoinho Produtora com o irmão, Anitta era empresariada. Em 2014, no entanto, optou por administrar a própria carreira.

“Aprendi no erro, na prática. Esse foi um momento de muito crescimento em questão de um ano, algo que aconteceria em, provavelmente, cinco ou seis anos em um cenário diferente. Foi muito engrandecedor, inclusive para essa fase internacional da minha carreira que vivo hoje.”

8. Manter a própria linha de pensamento

Apesar de gerenciar a própria carreira, Anitta trabalha com uma equipe de várias pessoas. Isso significa que diariamente a cantora recebe diferentes conselhos e opiniões, mas filtra cada argumento a partir de sua própria linha de raciocínio.

“É muito importante escutar cada um, mas sempre manter a minha linha de pensamento. Trabalho com várias pessoas, elas conhecem o meu jeito de pensar, então entendem que suas ponderações devem seguir essa linha.”

9. Enxergar a longo prazo

Para a cantora, um verdadeiro líder é capaz de enxergar a longo prazo.

“É algo muito instintivo e meu. Meu irmão é mais velho e nós discutimos muito porque eu vejo um mundo muito maior – mas é algo meu. Sempre tive uma cabeça de pensar 360°.”

10. Ter aliados

Todo o trabalho da cantora é feito com base em planejamento, e para tomar decisões Anitta conta com o apoio de seu irmão.

“Se fosse só ele, sem mim, talvez ele mantivesse os trabalhos, a empresa e os negócios mais localmente no Brasil. Não arriscaria tanta globalização como fazemos hoje, da minha maneira. No entanto, se fosse só eu, já teria sido diferente. Teria dividido tudo com todos, pois gosto muito de compartilhar. O ideal é encontrar o meio termo entre o que nós dois pensamos.”

gestaoGestão
Tecnologia A inteligência artificial pode acabar com as fake news?
Tecnologia Telecom Até 2023, smartphones 5G devem crescer 179,9% ao ano